5 benefícios do slow beauty para você aderir já e ser mais sustentável

Escrito por
Em 22.05.21

iStock

Por                                
Em 22.05.21

Se você é se preocupa com meio ambiente e é adapta as alternativas naturais de tratamentos e cosméticos, com certeza precisa conhecer o slow beauty. Esse movimento busca um consumo consciente, além de presar por formulações mais naturais e limpas. Então, as dermatologistas Drª Anna Fernanda (CRM 138147) e Drª Patricia Silveira (CRM 5268733-2), especializadas em dermatologia natural, contaram mais sobre o movimento, os seus benefícios e como aderir. Acompanhe!

Publicidade

Índice do conteúdo:

O que é o movimento slow beauty

Slow beauty, traduzido do inglês significa “beleza lenta”, é um movimento que visa um consumo consciente. A Drª Anna explicou que o movimento “propõe um despertar de consciência a respeito tanto da nossa saúde quanto do consumismo e das questões ambientais. Dentro dessa premissa, está a preocupação em como o cosmético é produzido, qual sua composição, quais os impactos ambientais a sua produção e seu descarte geram”.

“O movimento slow beauty propõe uma mudança em relação aos produtos que temos hoje de fácil acesso no mercado, que são extremamente poluentes e tóxicos na sua composição. Visa ter mais respeito, consciência e responsabilidade em relação ao descarte desses produtos”, complementou a Drª Patricia.

5 benefícios do slow beauty que podem transformar a sua vida

iStock

Já deu para perceber que o slow beuty é tudo de bom, não é mesmo? Mas continue a leitura, pois a seguir você encontra os principais benefícios de aderir a esse movimento. Olha só:

  • Favorece o consumo consciente: para a Drª Anna, aderir ao movimento “leva a um consumo mais comedido, o uso de produtos naturais que não agridem o organismo humano nem a natureza e além de privilegiar os pequenos produtores”. Ou seja, se tem consciência exata daquilo que está consumindo.
  • Busca diminuir os impactos ambientais: o slow beauty se preocupa com os resíduos gerados pelos produtos cosméticos. Segundo a Drª Patricia, algumas substâncias, como os sulfatos e as fragrâncias, causam impacto ambiental, pois não são filtráveis. Essas substâncias são chamadas de ecotoxinas e prejudicam a vida marinha, causam a desregulação hormonal que resulta na alteração da tireoide e até mesmo infertilidade.
  • Prioriza as fórmulas limpas: ou seja, dá prioridade as fórmulas compostas por substâncias químicas que não são nocivas à saúde e ao meio ambiente. Dessa forma, busca gerar a menor quantidade de resíduos possíveis e, consequentemente, de menor toxicidade.
  • Utilizam produtos naturais: por conta da sua composição, os produtos do slow beauty são considerados seguros. Isso, porque, segundo a dermatologista Patricia, eles “não fazem testes em animais, não são poluentes do meio ambiente, não são bioacumulativos, não utilizam fragrância e corantes sintéticos e não causam alergia”.
  • É econômico e versátil: “A medida em que se reduz o consumo, diminui a quantidade de produtos a ser utilizado na rotina de beleza. Além disso, a vantagem dos produtos naturais é que são multifuncionais, ou seja, um único produto pode ser utilizado para diversas finalidades, o que geralmente os cosméticos convencionais não faz”, disse a Drª Anna.

Aderir ao slow beuty é um estilo de vida e busca tratar o corpo e o meio ambiente de forma gentil, sem a interferência de agentes nocivos. Por fim, Anna destaca que essa prática “não há contraindicações e só traz benefícios à saúde humana e do meio ambiente. É um caminho sem volta!”.

Como aderir ao slow beauty e ter um consumo mais consciente

Para Drª Anna, “aderir a esse movimento é muito fácil porque simplifica a rotina e a vida”. Além disso, Drª Patricia comenta sobre a acessibilidade dos produtos: “você só consegue, na maioria das vezes, comprar os produtos online e em e-commerce. Mas hoje em dia é possível substituir tudo”. A seguir, confira outras dúvidas sobre o assunto respondidas pelas dermatologistas convidadas:

iStock

1. Qual a melhor maneira de começar o slow beauty?

Publicidade

Anna Fernanda (AF): “A melhor maneira de começar é inicialmente passar com um profissional especializado, no caso o dermatologista, para avaliar as reais necessidades da pele, e a partir disso, escolher produtos específicos que atendam a essa necessidade. Uma rotina cheia de produtos e passos de skincare não garante a saúde da pele”.

2. Quais produtos usar?

Patricia Silveira (PS): “Eu indico usar todos! Do desodorante à pasta de dente, do filtro solar ao hidratante corporal e facial. Enfim, todos os produtos do dia a dia. Na minha concepção, não justifica o uso dos produtos convencionais, já que temos todos os itens substitutos na cosmética natural. Então, não faz sentido em usar os sintéticos”.

3. Qual a diferença entre os produtos orgânicos para os convencionais?

AF: “Orgânico é um selo que considera vários critérios, entre eles de que o produto tenha 95% de matéria-prima orgânica, se o cultivo é sem agrotóxicos e sustentável, além das condições de trabalho humano”.

PS: “Toda a matéria-prima é certificada, desde o seu plantio até a sua forma de extração e manufaturação na indústria. Ou seja, toda a cadeia produtiva desse cosmético é certificada com ingredientes de origem orgânica”.

4. É necessário fazer os próprios produtos no slow beauty?

AF: “Hoje, com a expansão do setor de beleza limpa e sustentável, temos várias opções de produtos prontos de excelente qualidade. Mas as receitas diy (do it yourself – faça você mesmo) feitas com as proporções adequadas e com matéria-prima de boa procedência, são super bem-vindas”.

PS: “Fazer os próprios produtos implicam na cosmética artesanal. (…) A cosmética artesanal não consegue suprir todas as necessidades dos cosméticos convencionais. A cosmética artesanal não é capaz de trazer a mesma performance que uma cosmética natural, porém industrializada”.

5. O Slow Beauty pode se adequar a qualquer orçamento?

Publicidade

PS: “Hoje em dia existem tantas marcas com uma variedade enorme de propostas e superacessível para todos os bolsos, com preços que são compatíveis e concorrentes com o que a gente encontra nas farmácias. Então, hoje em dia, a gente tem cosmética natural no Brasil para todos os bolsos!”.

Com certeza aderir o slow beauty só traz benéficos! Isso porque além de cuidar da própria saúde, o movimento se preocupa com os outros seres vivos e os impactos ambientais. E se você quiser conhecer mais sobre o consumo consciente, veja esta matéria sobre o movimento slow fashion e saiba como ser mais sustentável na moda.

Assuntos: Bem-Estar, Cosméticos