Entretenimento

15 filmes sobre racismo para ajudar a refletir sobre o tema

Canva

Atualizado em 07.07.22

Identificar as situações de racismo presentes no dia a dia é mais que necessário para debater o preconceito e pensar em mudanças individuais e coletivas, a fim de proporcionar políticas públicas de inclusão e igualdade. Conheça abaixo 15 filmes sobre racismo para ajudar a refletir sobre esse problema estrutural e institucional.

Publicidade

1. Kbela

O racismo se apresenta de várias formas, uma delas é o padrão de beleza. Mulheres negras tem seus cabelos alisados e sua beleza diminuída por não obedecerem ao padrão baseado na beleza europeia. Kbela, um curta premiado dirigido por Yasmin Thainá, usa metáforas para expor o racismo diário. Neste filme, você vai entender como o padrão de beleza é um dos mecanismos de opressão para excluir a mulher negra.

2. Corra!

Chris é um jovem negro que está prestes a conhecer a família de sua namorada. Por serem um casal interracial, o jovem teme que os pais de Rose desaprovem o relacionamento. Mas isto é o menor de seus problemas. Dirigido por Jordan Peele, o filme usa o suspense para fala sobre as diversas camadas do racismo e suas consequências para os negros, utilizando a própria linguagem do terror como uma metáfora para o racismo. Um ótimo filme sobre racismo!

3. Selma – Uma luta pela igualdade

A marcha negra de Selma a Montgomery, no Alabama, organizada por Martin Luther King Jr. é o tema deste filme. Nela, o ativista protestava pelo direito do voto negro nos EUA. O filme é uma biografia de Luther King, contada a partir de uma manifestação pequena, porém muito importante para o direito dos negros norte-americanos. A direção é de Ava DuVernay e o filme é essencial para entender como a luta política é essencial para conquistar direitos.

4. Mudbound – lágrimas sobre o Mississipi

Neste filme dirigido por Dee Rees, os temas centrais são as tensões raciais e de classe nos anos 40, entre duas famílias de raças diferentes numa fazenda do Mississipi. Tudo começa quando a família McAllan se muda para a região, precisando conviver com os caseiros, que são negros. O contraste entre as duas famílias denuncia a diferença do tratamento por causa da cor de pele, sendo um excelente filme para entrar na sua lista de filmes sobre racismo.

5. ANA

Publicidade

Este curta fala de racismo para as crianças. Ana é uma menina que não se reconhece como negra, muito provavelmente porque falta representatividade negra para esses sujeitos se identificares. É Jeannette, uma refugiada do Congo, que a ajuda nesse processo de descoberta. A produção é de Vitória Felipe denuncia a falta de abordagem sobre o assunto e como colocar questões raciais na formação das crianças é essencial para construir um mundo mais justo.

6. Dúdú e o lápis cor de pele

Dúvidas surgem em Dúdú quando sua professora de artes o aconselha a usar o lápis de cor da pele para terminar o desenho. Ao perceber que a cor era diferente do tom da sua pele, a criança busca alguém que possa ter a mesma cor do lápis. A direção de Miguel Rodrigues é um excelente filme sobre racismo, pois traz outro exemplo de como a sociedade não representa os sujeitos negros nem em questões básicas, como o lápis de cor.

7. Medida Provisória

Na distopia, o governo brasileiro decide reparar seu passado escravocrata determinando que os negros do país retornem para a África. Essa decisão afeta drasticamente a realidade da população, fazendo com que os personagens se questionem sobre questões sociais e raciais. Dirigido por Lázaro Ramos, o longa é uma triste metáfora que mostra que, para muitos, a segregação ainda é a solução para resolver os problemas de cor.

8. A negação do Brasil

O documentário de Joel Zito Araújo reúne uma série de entrevistas com artistas negros brasileiros para debater o preconceito racial no país vivido não só no dia a dia, mas também nos bastidores do cenário audiovisual e artístico. Nesse filme, é interessante comparar a trajetória de outros atores e perceber que o fator racial é, muitas vezes, um fator para atrasar a carreira de muitos jovens talentosos.

9. A voz suprema do blues

Também sob um recorte do mundo artístico, “A voz suprema do blues” trata de racismo no cenário musical dos EUA. O filme se passa numa sessão de gravação de um CD de Ma Rainey, conhecida como “Mãe de Blues”, e sua banda. O conflito se dá na exploração do talento negro por uma indústria musical racista dos anos 20. Direção de George C. Wolfe, o filme é perfeito para as pessoas que gostam de unir a música e conflitos políticos em um só lugar.

10. Se a Rua Beale Falasse

Publicidade

O artista Fonny é preso por um crime que não cometeu. Essa prisão acaba com os planos de se casar com Tish, que espera um filho seu. Cabe a ela provar a inocência do noivo para tê-lo em casa no nascimento do bebê. O filme é dirigido por Barry Jenkins e possui cenas recheadas de linguagem cinematográfica. Se este quesito é um fator decisivo nas suas escolhas, então provavelmente você vai amar esse filme!

11. Infiltrado na Klan

Neste filme de Spike Lee, Ron Stallworth é um jovem policial negro que se infiltra na Ku Klux Klan do Colorado para deter a organização. A infiltração é um sucesso, fazendo com que Ron se torne líder da seita racista e consiga boicotar seus planos na região. Essa comédia dramática discute a discriminação, segregação e o preconceito com maestria, mostrando que o ódio está intrinsicamente relacionado à ignorância.

12. Monster

Steve Harmon é um estudante de cinema do Harlem que tem sua vida revirada ao ser acusado injustamente de homicídio qualificado. Ele é preso e espera julgamento. Ele precisa provar sua inocência frente a um sistema que o condena com base no preconceito racial. Entretanto, como comprovar sua inocência se as leis foram criadas a partir de uma visão totalmente eurocêntrica? A direção é de Anthony Mandler é um prato cheio para refletir sobre essas questões.

13. Dois estranhos

Também conhecido por Dois Perfeitos Estranhos, ele retrata a relação entre racismo e violência policial. Neste curta-metragem vencedor do Oscar, o cartunista Carter James tenta voltar para casa para passear com seu cachorro após passar a noite em um encontro. De repente, Carter se vê revivendo o mesmo dia várias vezes, tentando escapar de ações letais de um policial branco por causa da cor da sua pele. Dirigido por Travon Free e Martin Desmond Roe, o filme traz referências das mortes de Geoge Floyd e Breonna Taylor.

14. Cara gente branca

Quatro jovens negros da universidade de Winchester decidem reagir às demonstrações de racismo na instituição após alunos brancos darem uma festa sobre raça negra. Com doses de ironia, a comédia incita a reflexão sobre a própria definição de racismo, racismo estrutural e racismo reverso. Dirigido e roterizado por Justin Siemen, o longa de 2014 tem o mesmo nome da série da Netflix. E não é para menos, pois a série – dirigida por Barry Jenkins, Tina Mabry e Charlie McDowell – foi inspirada neste filme.

15. O ódio que você semeia

Publicidade

O que você faria ao ter um amigo ser assassinado pela polícia? Esse é um dilema que acompanha Starr Cartes, a única testemunha da morte de seu melhor amigo. A adaptação de George Tillman Jr. também retrata a opressão e violência policial e o racismo institucional entre aqueles que deveriam proteger a todos. Com medo de ser mais um número, Starr tenta se enquadrar em um padrão. Um ótimo filme para refletir o contraste entre abordagem policial para pessoas negras e brancas.

Para continuar refletindo, que tal conferir uma lista de filmes para empoderar mulheres e selecionar seus favoritos para o próximo final de semana?

Comunicadora, voluntária e empreendedora. Apaixonada por moda, leitura e horóscopos. Graduada em Comunicação Social - Jornalismo pela PUC-Rio, com domínio adicional em empreendedorismo.