Brasil, o país de um estupro a cada 10 minutos e um feminicídio a cada 7 horas

Fórum Brasileiro de Segurança Pública divulgou dados sobre a violência contra mulheres em 2021 e mostra que país é extremamente violento

Publicado por                                
Em 08.03.22 às 17:26

iStock

Por
Em 08.03.22 às 17:26

Na véspera do Dia Internacional da Mulher (07), o Fórum Brasileiro de Segurança Pública divulgou dados sobre a violência contra mulheres em 2021. Os números baseados nas ocorrências das Polícias Civis das 27 Unidades da Federação. Apesar do leve recuo no ano de 2021 em relação aos casos de feminicídio, houve um aumento nos registros de estupro e estupro de vulnerável no mesmo ano.

Publicidade

Conforme o levantamento do Fórum, houve um pequeno recuo no número de mulheres assassinadas por questão de gênero. No ano de 2020, foram registradas 1.351 mulheres mortas por feminicídio, enquanto em 2021 os números diminuíram para um total de 1.319. Uma redução de 2,4%. Uma média de uma mulher morta de feminicídio a cada 7 horas.

Faz-se necessário lembrar que muitas mulheres que sofrem violência e abuso sexual acabam não denunciando nas delegacias, por medo ou por estarem em condições de vulnerabilidade, em que se encontram uma situação de dependência emocional ou financeira dos seus agressores. Dessa forma, precisamos refletir sobre a importância e significado dessa data tão emblemática para nós mulheres.

Violência sexual: estupro e estupro de vulnerável

Nos anos de 2020 e 2021, período de isolamento devido à pandemia de Covid-19, houve uma redução de 12,1% nos registros de estupro contra mulheres no Brasil. No entanto, ocorreu crescimento de 3,7% nos registros de estupros e estupros de vulnerável contra meninas e mulheres no Brasil.

Segundo o Fórum de Segurança Pública, foram registrados 56.098 boletins de ocorrência de estupros, incluindo o de vulneráveis do gênero feminino. Isso significa que a cada 10 minutos uma menina ou mulher foram vítimas de estupro. Isso considerando apenas os casos registrados pelas autoridades.

O período de abril de 2020 indicou um menor número de registros de estupro de mulheres. Acredita-se que isso é em decorrência da intensificação das medidas de isolamento social que dificultou o acesso das mulheres às delegacias para o registro dos boletins de ocorrência.

Ao considerar o início da pandemia em março de 2020 e os dados apresentados de dezembro de 2021, indica-se que ao menos 100.398 meninas e mulheres registraram casos de estupro e estupro de vulnerável em delegacias de todo país.

Feliz dia da mulher?

Esses dados revelam o quanto ainda é preciso lutar para ter direito à segurança do nosso corpo e vida. Quantas mulheres conhecemos que foram vítimas dessas violências? Com todas as adversidades e agressões que sofridas diariamente, o Dia Internacional da Mulher existe para nos lembrar que ainda há muito para conquistar e que o Brasil é um país sexista.

Aproveite para ler nosso editorial sobre 8 de março e entenda porque essa data não é, necessariamente, comemorativa.