Balaclava, a tendência que levantou debate sobre preconceito e racismo

Acessório de cabeça foi destaque da Semana de Moda de Nova York e tem levantado debates acerca de xenofobia e privilégio racial

Publicado por                                
Em 17.02.22 às 11:11

KATYA

Por
Em 17.02.22 às 11:11

Você sabe o que é balaclava? Trata-se de uma espécie de gorro que chega ao pescoço e queixo. Alguns modelos cobrem os cabelos e rosto, deixando somente os olhos de fora, sendo comparados a uma “touca ninja”. A tendência fashionista iniciou no hemisfério norte, mas vem adquirindo visibilidade também no Brasil.

Publicidade

Historicamente, mais do que um acessório do hype, que vem despertando interesse de grandes marcas e famosos, a balaclava está associada ao uso militar. Inclusive, seu nome vem de uma cidade ucraniana onde houve confronto da Guerra da Crimeia.

Além disso, esse gorro foi usado por manifestantes separatistas pró-Rússia no Leste Europeu, o que marcou a memória das pessoas como algo que denota ameaça.

Marcas revelantes do mundo da moda, como Givenchy, Miu Miu e Moschino levou a balaclava para as passarelas, chegando até mesmo à Semana de Moda de Nova York. E isso refletiu no aumento repentino de buscas por essa peça, seja para compra ou ideias para inseri-la aos looks.

Outro ponto é que, com a pandemia de Covid-19, a peça foi tomando novos significados, passando a ser utilizada para proteger melhor o rosto. E também utilizada para compor looks de inverno. Exemplo disso é que se tornou uma peça utilizada por infuencers e famosos ao nível internacional, como Justin Bieber, Kim Kardashian e Billie Eilish.

Por que a balaclava gerou debate sobre preconceito e racismo?

Começando pelo Brasil, o ex-BBB e apresentador João Luiz Pedrosa mencionou no Twitter que o uso de balaclava é um privilégio branco.

Publicidade

Um seguidor respondeu dizendo “Sendo negro, eu não tenho confiança nenhuma de usar algo parecido com isso em público”. Enquanto outra seguidora destacou: “Se com uma marmita confundem com armamento, imagina aí com balaclava”.

A peça também tem gerado debates quando comparada ao hijab, utilizado por muçulmanas. A tiktoker Tayah, que pratica o islã, questionou o uso da peça como tendência, com o argumento de que usar um hijab é “processo torturante, que todas [as mulheres] odeiam e que elas fazem por Deus”. Veja mais detalhes em:

@subwaytattoo 🙂 #balaclava ♬ original sound – Tayah

Você usaria a peça como acessório apostando na tendência ou prefere pensar em outras possibilidades para montar seus looks de inverno, sem cair em polêmicas?

Assuntos: Acessórios