10 receitas de iogurte grego caseiro para você se deliciar gastando menos

Esse tipo de iogurte é super cremoso e versátil, bem como uma excelente fonte de cálcio, o que auxilia na saúde óssea

Escrito por Tais Romanelli

Foto: Getty Images

Não é de hoje que o iogurte faz sucesso, tanto para ser consumido puro, como acompanhando frutas, cereais ou, simplesmente, sendo ingrediente das mais variadas receitas. Mas, de um tempo para cá, um tipo específico tem se destacado, estando presente em grande quantidade na maioria dos supermercados do país: o iogurte grego.

Este iogurte é feito a partir dos mesmos ingredientes do iogurte natural, porém, recebe a adição de mussalina, substância que não deixa a receita coalhar em altas temperaturas e, além disso, como o soro é retirado, sua consistência fica mais cremosa.

Patrícia Cruz, personal diet, Mestre em Ciências da Saúde pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP), membro do Departamento de Nutrição da Associação Brasileira para Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica (ABESO), especialista em nutrição e transtornos alimentares, explica que o iogurte grego é obtido a partir do concentrado proteico (soro do leite), leite desnatado, creme de leite. “Porém, passa por um processo de ‘dessoragem’ maior, tornando-se mais espesso e cremoso. Apresenta ainda maior concentração de proteínas e gordura”, diz.

O produto já é bastante apreciado em outros países, como Estados Unidos, mas, no Brasil, embora esteja ganhando cada vez mais destaque, ainda é novidade para muitas pessoas. Abaixo você confere deliciosas para fazer seu próprio iogurte grego em casa, e conhece mais sobre suas principais características.

10 receitas de iogurte grego para fazer em casa

Foto: Getty Images

1. Iogurte grego caseiro: o primeiro passo é preparar a receita básica do iogurte e, depois, é necessário retirar parte do soro para ele ficar mais consistente e cremoso. Você precisará de um recipiente fundo, tipo bowl, uma peneira e uma toalhinha de algodão fina e bem limpinha.

Leia também: 10 substituições para tornar sua alimentação mais saudável no verão

2. Iogurte grego prático: nos supermercados, o iogurte grego é mais caro do que a versão comum, além de ter mais calorias. Já essa receita caseira é deliciosa, barata e fácil de fazer. Ela leva adoçante, mas caso precise do iogurte para preparar pratos salgados é só não adicionar esse ingrediente.

3. Iogurte grego especial: fica com uma espessa camada de gordura por cima (um queijinho delicioso) e cremoso por baixo. Boa pedida para colocar por cima das frutas no prato! Com mel ainda, vira uma deliciosa sobremesa!

4. Iogurte integral com leite em pó: delicioso, pode ser consumido com frutas, geleias, cereais, granola, gelatinas ou até na preparação de molhos, pães, tortas e bolos.

5. Iogurte grego com nata e leite condensado: você usará leite, natas, iogurte natural e leite condensado. O resultado é um iogurte grego doce na medida certa, muito mais cremoso e barato do que os encontrados nos supermercados.

6. Iogurte grego com adoçante e baunilha: além de light, é muito saudável, livre de conservantes e corantes. Você precisará de leite morno, iogurte integral natural, adoçante e essência de baunilha.

Leia também: 14 dicas para mudar seus hábitos culinários e preparar refeições mais saudáveis

7. Iogurte grego com calda de morango: com textura e sabor maravilhosos, este iogurte grego leva uma deliciosa calda de morango sem açúcar. Serve ainda de base para várias outras receitas.

8. Iogurte grego fake com coco queimado e calda de gengibre: o preparo é fácil e o rendimento é de quatro porções. Você precisará de coco fresco ralado, açúcar, água, gengibre ralado, coalhada seca, iogurte natural sem açúcar e mel.

9. Iogurte grego com baunilha, mel e calda de frutas: é delicioso e rende bastante. Apesar de a receita ser trabalhosa (demorada), não é difícil de fazer. Você usará, basicamente, leite, iogurte natural, pêssegos e açúcar.

10. Iogurte grego sem lactose: ótima dica para quem não pode consumir lactose. Para esta receita você usará leite zero lactose, iogurte natural sem lactose, uma panela grande, escorredor de macarrão e um pano fininho para escorrer.

Patrícia destaca que o iogurte grego pode ser considerado um alimento saudável, já que apresenta uma boa concentração de proteínas e cálcio. O problema é que alguns dos produtos encontrados à venda hoje possuem muitos conservantes e aditivos que podem ser prejudiciais à saúde.

Leia também: Conheça as diferenças entre iogurte, leite fermentado e bebida láctea

Então que tal preparar seu próprio grego? Escolha sua receita preferida e delicie-se com a textura e o sabor maravilhoso deste iogurte!

Mitos e verdades sobre o iogurte grego

Foto: Getty Images

Abaixo você esclarece suas principais dúvidas sobre o iogurte grego:

1. O iogurte grego é mais gostoso do que o iogurte natural

Verdade. Esta é uma questão bastante relativa, mas, no geral, o iogurte grego costuma agradar mais, já que, com a retirada do soro, diminui-se o sabor azedinho e ele ganha consistência mais cremosa.

2. Iogurte grego ajuda a emagrecer

Mito. Patrícia explica que não é possível fazer esse tipo de afirmação. “A composição do iogurte grego no mercado brasileiro apresenta um teor mais elevado de gordura. No entanto, já temos versões light/zero e, se consumido com moderação, este produto pode fazer parte de uma dieta saudável”, diz.

3. O iogurte grego pode levar ao ganho de peso

Verdade. Patrícia explica que, como todo alimento, se consumido em excesso, o iogurte grego pode levar ao ganho de peso. “Se exceder em calorias necessárias ao dia, isso vai sim ajudar no ganho de peso”, comenta.

Leia também: 39 receitas de bolo de coco irresistíveis e fáceis de fazer

4. Todos os iogurtes gregos disponíveis nos supermercados são iguais

Mito. É sempre importante avaliar o rótulo do produto. “Tudo depende do objetivo do consumidor, mas, quando pensamos em iogurte, devemos ficar atento aos produtos com maior concentração de cálcio e menor teor de gordura. Esse é o foco no momento da escolha”, diz Patrícia.

5. Iogurte grego é fonte de proteínas

Verdade. Patrícia destaca que algumas marcas apresentam sim uma boa concentração de proteína. Até por isso, o iogurte grego costuma ser mais indicado (do que o iogurte natural) para quem pratica atividades físicas, embora a diferença neste sentido não seja tão significativa.

6. O iogurte grego ajuda a melhorar o trânsito intestinal

Verdade. “Os produtos industrializados em território brasileiro não apresentam essa alegação, mas, como todo iogurte é fonte de bactérias fermentadoras, os conhecidos lactobacillus, o iogurte grego pode, sim, auxiliar no bom funcionamento do intestino.

7. Iogurte grego é boa fonte de cálcio

Verdade. “O iogurte grego é uma excelente fonte de cálcio, o que vai auxiliar na saúde óssea”, diz a especialista.

Vale destacar que o iogurte grego é mais rico neste nutriente do que o iogurte tradicional.

8. O iogurte grego tem muita gordura

Verdade. Patrícia destaca que, infelizmente, algumas marcas apresentam um teor de gordura elevado. Exatamente por isso é sempre interessante avaliar os rótulos dos produtos e, sobretudo, contar com orientações de um nutricionista para saber se deve incluir (ou não) este alimento em sua dieta, levando em conta suas particularidades e objetivos.

9. O iogurte grego não é um bom aliado na hora de fazer receitas

Mito. Patrícia destaca que a versão natural do iogurte grego pode ser utilizada em pudins, tortas, patês, molhos. “É, inclusive, uma forma de substituir o excesso de gordura da dieta, isto é, podemos assim excluir manteiga e óleo quando utilizamos o iogurte grego”, diz.

Em relação à quantidade de açúcar, Patrícia explica que as versões de iogurte grego sem sabor possuem teor de açúcar menor. “Já opções com sabor de frutas e caldas tendem a apresentar um pouco mais”, diz. O que reforça, mais uma vez, a importância de avaliar os rótulos dos produtos.

Agora você já conhece as principais diferenças entre o iogurte grego e o iogurte tradicional, e tem, inclusive, ótimas receitas para fazer seu iogurte grego caseiro. Lembrando que ele pode ser consumido com frutas, geleias, cereais e até na preparação de molhos, pães, tortas, bolos etc. O que vale é usar a criatividade!

Dicas pela Web
Comentários