6 hábitos que são tão prejudiciais à saúde quanto fumar

Ficar longe do cigarro é o primeiro passo para ter uma boa saúde, mas isso não é o suficiente

Escrito por Raquel Praconi Pinzon

Foto: iStock

Fumar é um hábito que oferece prejuízos a praticamente todos os nossos órgãos e, como você bem sabe, aumenta o risco do surgimento de várias doenças, desde hipertensão até enfisema pulmonar e diversos tipos de câncer.

Não é à toa que o cigarro reduz a vida das mulheres em 11 anos e a dos homens em 12 – afinal, estima-se que 1 em cada 2 fumantes acaba morrendo por causas relacionadas a esse hábito. Contudo, ele não é o único a prejudicar severamente a nossa saúde. Confira outros seis comportamentos tão perigosos quanto o fumo, mesmo que alguns deles pareçam inofensivos:

1. Tomar refrigerante em excesso

Foto: iStock

Os refrigerantes contêm altas doses de açúcar, o principal culpado pelo aumento dos casos de obesidade, diabetes, problemas cardíacos e outras doenças crônicas. Estima-se que o consumo de uma latinha por dia possa resultar em um aumento de 7 kg ao fim de um ano.

Mesmo os refrigerantes light oferecem riscos, pois todas as bebidas industrializadas contêm aditivos como corantes, aromatizantes e conservantes, que sobrecarregam o fígado.

2. Dormir menos que 6 ou mais que 10 horas por dia

Foto: iStock

Tanto o excesso quanto a falta de horas de sono aumentam os riscos de doenças como depressão, obesidade, diabetes e problemas cardíacos. Por isso, o ideal é dormir entre 7 a 9 horas todos os dias, conforme a sua necessidade pessoal.

Leia também: 13 dicas para ter uma vida saudável sem neuras

Além disso, recomenda-se evitar a popular função “soneca”, pois os períodos de sono interrompidos nos deixam ainda mais cansadas do que se nos levantarmos assim que o primeiro alerta tocar.

3. Passar muito tempo sentada

Foto: iStock

De acordo com uma pesquisa australiana, adultos que passam mais de 11 horas sentados por dia têm um risco 40% maior de morrer nos próximos 3 anos do que pessoas que permanecem nessa posição por menos de 4 horas.

Ainda, esse hábito aumenta os riscos de doenças cardíacas, diabetes e câncer, mesmo que você pratique exercícios com frequência. Por isso, é essencial se levantar a cada hora para se movimentar.

4. Tomar muito café

Foto: iStock

Tomar café é uma excelente forma de se sentir mais disposta pela manhã. Contudo, segundo uma pesquisa feita nos EUA, consumir mais do que 4 xícaras de café por dia pode aumentar o risco de morte em pessoas com menos de 55 anos.

As hipóteses que explicam esse efeito estão relacionadas ao fato de a cafeína estimular a liberação de adrenalina, reduzir a ação da insulina e aumentar a pressão arterial. Além disso, parece haver um fator genético envolvido nesse mecanismo, aumentando a mortalidade principalmente entre os homens.

Leia também: 10 hábitos saudáveis que você deve adotar

5. Cruzar as pernas

Foto: iStock

Esse pode parecer um hábito inofensivo; entretanto, permanecer muito tempo com as pernas cruzadas pode ter complicações como o surgimento de veias varicosas, aumento da pressão arterial, tensão nos quadris, problemas posturais e até mesmo trombose.

6. Ter uma alimentação inadequada

Foto: iStock

Não adianta achar que você tem um estilo de vida saudável porque você não fuma se a sua dieta não é lá muito equilibrada. Uma alimentação rica em fast food e alimentos industrializados pode oferecer tantos conservantes e outros aditivos químicos quanto o consumo de tabaco e bebidas alcoólicas.

E você já conhece bem as consequências de uma dieta inadequada: anemia, obesidade, hipertensão, diabetes tipo 2, aterosclerose e vários tipos de câncer, entre outras doenças.

Isso tudo quer dizer que o cigarro não é tão ruim assim? É claro que não! O tabagismo continua sendo um hábito muito perigoso, mas é essencial ter em mente que apenas ficar longe do cigarro não é suficiente. Para realmente conservar a nossa saúde, é necessário seguir uma rotina global de cuidados, procurando fazer boas escolhas também em relação à alimentação, ao descanso e à atividade física.

Leia também: 11 hábitos que podem evitar um AVC

Para você