Causas da dispareunia e tratamentos para a dor associada ao sexo

Escrito por
Em 19.10.19

iStock

Talvez o nome não soe tão familiar, mas, dispareunia pode ser resumida como a dor relacionada ao momento da relação sexual. A maioria das mulheres já sentiu, em determinada situação, um incômodo no momento do sexo. O problema está quando o desconforto é recorrente.

As características da dor são variadas, bem como as causas que, podem, inclusive, ser de origem emocional. Por isso, cada caso deve ser investigado pelo médico ginecologista. Confira abaixo quais são os principais sintomas, causas e tratamentos para a dispareunia.

Índice do conteúdo:

O que é dispareunia

Maura Azzi Tassi (CRM 5298909-6), ginecologista e obstetra do Instituto Maieve Corralo, explica que a dispareunia é uma dor que ocorre imediatamente antes, durante ou depois do sexo. “Pode acometer homens e mulheres, mas é mais comum em mulheres. As mulheres podem sentir dor na vulva (área ao redor da abertura da vagina), dentro da vagina ou na parte inferior da barriga”, destaca.

Sintomas da dispareunia

iStock

A dor pode se manifestar de diferentes maneiras e intensidade, por isso, de acordo com a profissional, os sintomas da dispareunia podem incluir:

Leia também: 7 problemas vaginais e como lidar com cada um deles

  • Dor na vulva/vestíbulo/introito (parte externa), vagina (parte interna), pelve ou o assoalho pélvico;
  • Ardência e/ou desconforto;
  • Dor isolada ou em vários locais;
  • Dor constante (com cada evento e atividade sexual) ou situacional (com algumas experiências ou parceiros, mas não com outros, por exemplo).

Maura ressalta que a intensidade das sensações é relativa. “Pode ser leve, moderada, ou chegar a manifestações agudas, quando a dor é dilacerante”, diz.

A dispareunia de introito, também chamada de vaginismo, é a manifestação mais comum quando a causa da dor tem origens emocionais. “Ocorre pois a contração da musculatura vaginal impede a penetração confortável e prazerosa”, explica a médica.

Ela também complementa com a informação de que há mulheres que sofrem com a dispareunia até 12 meses após o parto. “Distorção da anatomia, tecido de granulação inflamado ou desenvolvimento de um ponto de gatilho são possíveis causas. A dispareunia pós-parto, também pode ter fundo psicológico […] porque depois do parto, dúvidas quanto ao corpo e à sexualidade são normais.” Além disso, tudo isso pode ser intensificado pela mudança de rotina do casal com a chegada do bebê.

Causas da dispareunia

A ginecologista destaca que possíveis causas para a dispareunia em mulheres são:

  • Parto: o sexo pode ser doloroso por várias semanas ou meses após o parto.
  • Endometriose: pode causar dor na barriga durante o sexo.
  • Ressecamento vaginal: pode ser causado pela própria menopausa ou pela não excitação antes do sexo.
  • Vulvodínia: dor ao tocar na vulva (principal causa de dor sexual em mulheres com menos de 50 anos).
  • Cistite intersticial: essa condição causa dor na bexiga e outros sintomas.
  • Dor pélvica crônica: dor na área inferior do abdome que dura seis meses ou mais.
  • Infecção na vagina ou bexiga: entre outros sintomas pode também apresentar dor no momento do sexo.
  • Problemas de pele ao redor da vagina: irritações na pele também podem deixar a área mais sensível.
  • Sentimentos ruins: sobre um parceiro ou relacionamento, bem como ausência de desejo sexual pelo mesmo.
  • Uma experiência dolorosa no passado: como por exemplo, uma experiência passada de sexo ou um exame médico que doeu.
  • Circunstâncias emocionais: histórico de abuso sexual, estresse, depressão, ansiedade, crenças rígidas, medos (como o de engravidar), insegurança quanto ao corpo, falta de autoconhecimento, problemas de autoestima.

A dor na relação não é um sinal de gravidez, mas há maior prevalência de dispareunia no terceiro trimestre de gravidez, comparado ao período pré-gestacional. “O que pode ocorrer devido ao fato de a mulher se sentir mais vulnerável e incomodada com contrações uterinas provocadas pelo orgasmo, a possíveis desconfortos nas posições sexuais e/ou à ideia subjetiva de falta de atratividade física neste período”, acrescenta Maura.

Leia também: Vagina: guia completo para solucionar dúvidas e conhecê-la melhor

A especialista destaca que sentir algum tipo de desconforto na relação sexual, principalmente relacionado a alguma posição é normal. Por isso, ela indica que ponderação para analisar casos de incômodos recorrentes com episódios únicos e isolados.

Tratamento para dispareunia

iStock

Os tratamentos para dispareunia, explica Maura, vão variar de acordo com a causa. “Antibióticos ou medicamentos antifúngicos, por exemplo, vão ajudar se a dor for causada por uma infecção na vagina ou na bexiga; cremes ou géis podem ser indicados para manter a vagina úmida; pode ainda ser indicada fisioterapia para relaxar os músculos ao redor da vagina, se for o caso”, diz.

Pode ser necessário o apoio psicológico se a dor for causada por sentimentos ruins sobre sexo, particularidades de um relacionamento e/ou por questões de baixa autoestima, medos etc. A médica também acrescenta que consultas com especialista em sexologia podem ajudar em alguns casos. E, dependendo da causa da dor, uma cirurgia pode ser indicada.

É impossível falar sobre um único tipo de tratamento, pois as causas são inúmeras, envolvendo desde questões físicas até fatores emocionais. Isso reforça a importância de buscar ajuda médica ao constatar que a dor tem sido frequente. Veja também coisas sobre sexo que você não deve se preocupar.

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Para você