Coletor menstrual: tudo o que você precisa saber sobre o assunto

Escrito por
Em 23.07.19

Maria Helena

Apesar de ter sido inventado nos anos 1930, várias pessoas ainda não conhecem o coletor menstrual. É um copinho feito de silicone hipoalergênico e usado no lugar do absorvente para coletar o sangue da menstruação. O receio de usar o coletor pode ser por ter que ser introduzido no canal vaginal e isso ainda é um tabu para algumas pessoas.

Continua após o anúncio

O coletor menstrual é uma alternativa econômica porque ele dura alguns anos dispensando assim a compra mensal de absorventes. Outra grande vantagem é ser ecologicamente correto. No lugar do lixo gerado pelos absorventes descartáveis, você só usa um copo, significando menos desperdício a longo prazo. Continue lendo para tirar todas as suas dúvidas sobre o coletor menstrual.

Mas afinal, o que é um coletor menstrual?

Também chamado de copo menstrual, o coletor é um item de higiene feminina que é inserido na vagina durante a menstruação para coletar o sangue. Diferente dos absorventes internos, ele não absorve o líquido menstrual.

É feito geralmente de silicone médico flexível, no formato de um sino e tem uma haste que serve para introduzir e retirar. A maioria das marcas de copos menstruais vendem um tamanho menor e outro maior. São geralmente incolores e translúcidos, mas várias marcas também oferecem copos coloridos, acompanhados de uma bolsinha de tecido para transportar ou guardar.

Em um intervalo de 4 a 10 horas, dependendo da quantidade de fluxo, o coletor deve ser removido, esvaziado, enxaguado e reinserido. Após cada período, o coletor menstrual deve ser fervido por pelo menos 5 minutos e armazenado para uso no próximo mês.

Leia também: Calcinha absorvente: entenda se vale trocar os métodos comuns por ela

Por que usar o coletor menstrual?

Depois de conquistar a confiança das europeias e americanas, o coletor menstrual tem ganhado popularidade entre as brasileiras. Isso porque apresenta várias vantagens. Confira:

Vantagens do coletor menstrual

É econômico: um único coletor pode durar até 10 anos. É mais barato do que o dinheiro gasto por mês com absorventes tradicionais.

Continua após o anúncio

É ecologicamente correto: absorventes higiênicos levam muito tempo para degradar e com o copo coletor dura muito tempo até ter que ser descartado.

Odor: não há odor porque o fluido não fica exposto ao ar.

Praticidade: os coletores têm capacidade para um volume de fluxo muito maior do que os absorventes externos ou internos, o que permite uso por períodos mais longos. Você pode ficar com o copo por até 10 horas, enquanto que absorventes teriam que ser trocados de 3 a 4 vezes por dia.

Leia também: Ciclo menstrual: acabe com as suas dúvidas sobre o tema

Desvantagens do coletor menstrual

Aprender a usar: se adaptar a colocar e retirar o coletor pode levar um tempo. Você vai precisar de prática!

Higiene: a remoção e inserção em locais públicos pode ficar comprometida dependendo da higiene do lugar.

Tamanho: para decidir qual o melhor tamanho você vai precisar experimentar. Não tem outro jeito!

Acessibilidade: a venda dos coletores ainda é majoritariamente feita pela internet dificultando o acesso àquelas pessoas que não estão acostumadas com esse processo de compra.

Já está convencida de que o coletor menstrual é uma boa alternativa para você? De um modo geral, há mais vantagens do que desvantagens! Mesmo assim, respeite seu corpo e pense primeiro no seu conforto.

Leia também: 5 apps de calendário menstrual para monitorar seu ciclo e facilitar sua vida

Continua após o anúncio

Dúvidas frequentes sobre o coletor menstrual

iStock

Para solucionar as dúvidas mais frequentes sobre o coletor menstrual, entrevistamos a residente de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital das Clínicas da UFMG, Maysa Teotonio Josafá Simão (CRM MG 65082). Confira abaixo:

1. Quais os cuidados com o coletor menstrual? Os coletores menstruais são muito econômicos e práticos de usar, porém alguns cuidados são necessários. É importante se atentar sobre frequência de troca, higiene adequada do dispositivo, o fato que o seu uso deve ser individual e intransferível, e a escolha do tamanho adequado.

2. Existe risco de infecção ou irritação? Quadros de infecção e irritação local podem ocorrer principalmente por uso inadequado do dispositivo. Ao contrário do absorvente interno, não há casos relatados de Síndrome do Choque Tóxico (condição grave associada ao uso de absorvente interno por mais de 8 horas). Pacientes alérgicas ao látex também devem ficar atentas. Apesar da composição da maioria dos coletores ser de silicone hipoalergênico e não látex, é importante verificar junto ao fabricante antes de efetuar a compra.

3. Quanto tempo posso ficar com coletor menstrual? A frequência de troca deve ser ajustada a cada mulher e as características do seu fluxo menstrual. É aconselhável a troca a cada 4-6 horas, porém é seguro manter o seu uso por até 8-10 horas em dias com fluxo reduzido. É importante observar sempre as recomendações do fabricante, pois podem haver variações.

4. Pode dormir com o coletor? Sim, você pode dormir com ele sem risco de qualquer dano ou infecção. Na posição deitada, o fluxo fica acumulado no fundo de saco vaginal e quando você se levanta ele volta a se depositar no copo coletor. É aconselhável apenas respeitar o tempo de troca. Assim, apenas haverá vazamento se o dispositivo não for bem posicionado.

5. Como saber o meu tamanho do coletor menstrual? De forma geral, são fabricados 2 tamanhos diferentes (A e B), sendo a escolha baseada não no tamanho ou peso da paciente, mas na história obstétrica e a idade da paciente – o que geralmente reflete o tônus/flacidez dos músculos vaginais. Mulheres com filhos de parto vaginal ou idade acima de 35 anos têm indicação do modelo A, enquanto para mulheres sem filhos e idade inferior a 35 anos seria mais indicado o modelo B.

6. Qualquer mulher pode usar o coletor menstrual? Sim, qualquer mulher, mas em algumas situações ele é contraindicado, como durante o puerpério (período que dura até 42 dias após parto), em vigência de tratamentos de infecções vaginais. Não há contraindicações de uso para mulheres virgens, porém é importante ressaltar que pode haver ruptura do hímen durante a inserção. Mulheres em uso de DIU também podem utilizar o coletor, com atenção apenas para não tracionar o fio durante a extração (é algo difícil, mas que pode acontecer).

7. O coletor menstrual pode causar cólica? Não. Não há estudos que associem o uso do coletor menstrual com aumento de cólicas. O que pode ocorrer é a paciente sentir dor abdominal/vaginal ou até mesmo cólicas se o dispositivo for colocado ou retirado de forma incorreta.

8. Pode praticar esportes ou ir à academia usando? Pode e deve! Há relatos de diversas atletas de alta performance que mencionam melhora do conforto e até mesmo do desempenho físico com uso dos coletores. Também não há contraindicações ao uso em praia ou piscina. Porém, é importante se certificar que o vácuo foi adequadamente estabelecido.

Continua após o anúncio

9. O coletor se adapta a qualquer ciclo menstrual? Sim, se adapta. Talvez, o necessário seja fazer ajustes na frequência de troca do coletor.

10. Como higienizar o coletor menstrual? Depois de esvaziar seu coletor, você deve higienizá-lo com água corrente e sabão neutro, enxaguar bem para não ficar nenhum resíduo menstrual e secar para usar novamente. Antes de utilizar seu copo coletor pela primeira vez e no início e término de cada ciclo, também é preciso fervê-lo. Esse processo pode ser feito no micro-ondas ou no fogão. Apenas separe um recipiente específico para isso e manipule o coletor sempre com as mãos limpas.

É sempre bom lembrar que o coletor menstrual não é e nem serve como contraceptivo. Também não previne doenças sexualmente transmissíveis. Se você tem dúvidas e se sente insegura para usar, procure seu/sua ginecologista para te orientar e ajudar a decidir o que é melhor para seu bem-estar.

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Para você