Centella asiática: conheça essa importante aliada para sua beleza e saúde

Perda de medidas, melhora da celulite e benefícios para a saúde são apenas algumas das vantagens de incluir a planta no seu dia a dia

Escrito por Luciana Rodrigues
Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

A centella asiática é uma erva antiga encontrada no sul da Ásia e na Austrália que ajuda a diminuir medidas e traz uma série de benefícios estéticos e, por isso, tem chamado a atenção de diversas pessoas para o seu uso.

Ela é bastante usada na medicina tradicional chinesa e também na Índia. Há relatos de uso dessa erva nos países orientais há mais de 2000 anos, mostrando que não é de hoje que seu uso medicinal, terapêutico e cosmético é conhecido.

O consumo da centella asiática pode trazer uma série de benefícios para seu organismo e para sua beleza, aumentando seu bem-estar e auto-estima!

Ficou curiosa e quer saber mais sobre esta planta? Confira a seguir a lista completa de benefícios, formas de consumo, bem como as advertências sobre o uso desta erva.

Benefícios da centella para a saúde

Segundo a nutricionista Regina Moraes Teixeira, especialista em nutrição funcional e fitoterapia, o princípio ativo contido na erva ajuda na vascularização e também no fortalecimento das veias, ajudando na prevenção e no alívio de varizes e hemorroidas, além de fortalecer o sistema imunológico.

Leia também: 8 alimentos contra a celulite

E os benefícios não são só físicos! Seu uso também ajuda a reduzir a ansiedade, uma das grandes vilãs dos últimos anos, além de permitir uma melhora das funções cerebrais, importante principalmente para quem está entrando na terceira idade.

A nutricionista também ressalta a atuação no aumento da produção de colágeno, substância essencial para o organismo da mulher, e no retardo do envelhecimento precoce.

Centella asiática e seu uso cosmético

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

As vantagens do seu consumo vão além da saúde, ajudando também a deixá-la mais bonita e mais confiante consigo mesma.

O dermatologista Carlos Eduardo Fonseca Parenti, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) aponta diversos benefícios estéticos derivados de seus princípios ativos (triterpenos pentacíclicos, ácido asiático e asaticosídeo, entre outros), que auxiliam no “tratamento de cicatrizes em geral, queimaduras, celulites e estrias, psoríase e esclerodermia (doença autoimune do tecido conjuntivo) e fotoenvelhecimento”.

Ou seja, se você quer amenizar o efeito dessas marcas incômodas, pode investir no uso da centella asiática para isso.

Leia também: 10 alimentos anti-idade que você deve incluir na sua dieta

E como apontado por Regina, há um aumento na produção de colágeno. Segundo o médico dermatologista, esse aumento ocorre devido a um estímulo para que o fibroblasto produza um colágeno sadio. Essa substância ajuda a melhorar o tônus muscular, diminuindo a flacidez e o aspecto ressecado da pele.

Formas de uso

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

A centella asiática pode ser encontrada de várias formas para ser consumida. A mais comum delas é em cápsulas, mas também há versões em spray, pomada, gel ou creme.

Caso você vá ingeri-la, o consumo ideal, segundo a nutricionista Regina, é de 20mg a 60mg, 3 doses por dia, tomando cuidado sempre para não ultrapassar a ingestão máxima de 600mg diárias. Caso contrário, poderá causar toxicidade no organismo e prejudicar o fígado e o sistema nervoso.

Segundo Carlos Eduardo ainda não há um consenso sobre qual é a melhor forma para ser utilizada em caso de uso tópico (direto na pele), ou seja, você pode utilizar qualquer uma das disponível, seguindo a orientação do seu médico.

Efeitos colaterais

Apesar de ser uma substância natural, o uso da centella asiática pode causar efeitos colaterais para o organismo em alguns casos, principalmente se ingerido em doses acima do normal. Apesar destas situações serem raras, é preciso ficar atenta.

Leia também: 12 passos para emagrecer sem mudar sua rotina radicalmente

Segundo o dermatologista Carlos Eduardo são encontrados poucos casos de icterícia, acúmulo de bilirrubina, deixando a pele e olhos amarelos. Ainda são registrados casos pontuais de náuseas e dor de cabeça.

Contraindicações

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Da mesma forma, também há contraindicações para o uso da erva. Segundo Regina, mulheres que estão grávidas ou amamentando não devem fazer uso da centella asiática.

Pessoas com problemas no fígado, úlceras, gastrites e problemas renais também devem evitar o consumo da substância, pois podem sobrecarregar esses órgãos e piorar a condição já existente.

A nutricionista finaliza alertando sobre a importância de consultar um profissional da saúde antes de começar a consumir a centella asiática para que se avalie se realmente é o tratamento mais indicado para o fim pretendido.

Leia também: Noz-moscada: aroma, sabor e benefícios surpreendentes para o seu cardápio

Assuntos: Alimentação

Dicas pela Web