Dicas de Mulher Dicas de Comportamento

Guia do orgasmo feminino: o prazer da teoria à prática

Dicas quentes para você aprender explorar o próprio corpo, aumentar o seu prazer seja na masturbação ou na relação e conseguir "chegar lá"

em 18/04/2015

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

O orgasmo feminino infelizmente ainda é um tabu para a sociedade em geral e ainda mais triste é constatar que em muitas relações ele não é considerado com a devida importância. Embora o orgasmo não seja o único critério que determina o sucesso de uma relação sexual ou de qualquer atividade sexual, ele é definitivamente um recurso poderoso de prazer.

E para que ele receba a devida atenção, nós mulheres precisamos nos conhecer e estimular nossas sensações, além de orientar os parceiros para que eles não se esqueçam de que a mulher também goza e merece que seu orgasmo também seja algo esperado na relação sexual.

Seja na masturbação ou na relação com penetração, é importante que a mulher se sinta a vontade e que os pontos certos sejam estimulados, por ela ou pelo parceiro. E como ninguém “nasce sabendo”, toda prática é válida e a comunicação entre o casal sobre o assunto deve ser constante.

A seguir, você confere dicas de ouro e informações preciosas da Dra. Márcia Mathias, consultora e sexóloga do site AshleyMadison.com que vão te ajudar a conhecer melhor o seu corpo e a analisar a sua vida sexual para que você consiga buscar o prazer que toda mulher merece sentir.

Qual a diferença entre orgasmo vaginal e clitoriano?

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Segundo a Dra. Márcia, a diferença está no ponto que será estimulado. O orgasmo mais fácil de ser atingido é o clitoriano, pois seu estímulo é feito em um órgão externo de fácil acesso e de grande sensibilidade ao toque por ser muito enervado – o clitóris.

“Algumas mulheres tem dificuldade de atingir o orgasmo vaginal, pois, neste caso, a região mais sensível e que leva ao clímax está em um ponto interno e que necessita de estímulos contínuos em diferentes pontos da vagina para ser atingido.

Sendo assim, é interessante que se a mulher não sentir o orgasmo vaginal, que ela procure estimular ou orientar o parceiro a estimular o clitóris durante a penetração, o que permitirá que a mulher tenha prazer clitoriano, mesmo durante a penetração, e não dependa apenas do orgasmo vaginal.

Inclusive, uma boa dica é orientar o parceiro a fazer sexo oral com bastante estímulo clitoriano nas preliminares, a fim de deixar a região da vagina bem preparada para a penetração, umedecida e mais “inchada”, além de mais sensível e propensa a ter mais orgasmos além do que o seu parceiro pode proporcionar com o sexo oral.

O clitóris é um órgão poderoso e que permite acesso ao prazer com mais facilidade, por isso ele nunca deve ser deixado de lado no sexo.

Quais são as principais maneiras de estimular o corpo a ter mais orgasmos?

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

“O orgasmo fica mais fácil de ser atingido quando a mulher conhece o seu corpo e entrega-se à emoção com foco” garante a especialista. Em alguns momentos, para estimular e acelerar as regiões mais sensíveis é possível usar alguns recursos, como aponta Dra. Márcia:

  1. Masturbação com ou sem penetração;
  2. Brinquedos eróticos como vibradores e outros;
  3. Filmes pornográficos;
  4. Sexo tântrico.

Nesse sentido, a masturbação é uma excelente ferramenta para você se conhecer e descobrir quais pontos, quando estimulados, mais te dão prazer e usar isso no sexo a dois ou na masturbação. Lembrando que a masturbação não precisa deixar de existir quando você passa a ter relações sexuais, ambas atividades podem coexistir e se complementam muito bem, uma estimulando a outra.

Não consigo ter orgasmo, e agora?

A Dra. Márcia Mathias esclarece que nesses casos é preciso enfatizar as preliminares. Uma ideia interessante que ela cita é utilizar a técnica de auto hipnose para diminuir a ansiedade. “É preciso também explorar mais o próprio corpo, acabando com as culpas religiosas, estimulando a libido e, ao detectar alterações do desejo sexual, buscar ajuda médica e psicológica para realizar tratamento se for necessário” orienta a profissional. Ela ainda adiciona que não devemos nos esquecer de que algumas medicações podem afetar a vida sexual, diminuindo a libido e o prazer.

Orgasmo a dois: existe fórmula para que o sexo seja prazeroso para ambos?

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

“Usufruir da intimidade com conversas e carícias, criar um ambiente apropriado, realizar fantasias, sair da rotina, comunicar ao companheiro (a) como gosta de ser tocado, investir em preliminares para chegar ao clímax juntos, ousar em descobrir novas posições que dê prazer ao casal levando em conta a qualidade e não a quantidade. É preciso lembrar sempre que o sexo é parceria”, diz a especialista.

Quando o casal pratica o sexo sem criar expectativas irreais e sendo transparentes um com o outro, falando o que realmente gostam e sentem e o que não gostam também, é mais fácil que haja uma sintonia. É válido apostar na comunicação, pois só assim vocês saberão como dar prazer um ao outro e ambos estarão felizes e satisfeitos com o sexo.

Dúvidas frequentes das mulheres sobre o orgasmo

A sexóloga Márcia Mathias esclarece algumas dúvidas em relação ao orgasmo feminino, confira:

  1. Para sentir orgasmo é necessário gemer e sentir tremores? A resposta é não! Pode-se saborear o prazer quietinha sem precisar agir como atriz de filme pornô.
  2. O tempo para atingir o orgasmo feminino e masculino é igual? Não! Geralmente o orgasmo feminino é mais lento.
  3. Orgasmos múltiplos existem? Sim, mas eles dependem do nível de estimulação. Se você ficar estimulando o clitóris um bom tempo antes da penetração, é possível que consiga o feito.

Se você tem alguma dúvida, não hesite em nos enviar para que possamos esclarecê-la com auxílio da sexóloga.

Receba nossas melhores dicas diretamente em seu e-mail

Assine nossa newsletter para receber nossas novidades sobre os assuntos do momento.

Nós odiamos spam. Nunca usaremos seu e-mail para outros fins.

Comentários
Dicas relacionadas