Como as vitaminas para gestante auxiliam na saúde da mamãe e do bebê

Escrito por
Em 05.02.21

iStock

Por                                
Em 05.02.21

As vitaminas para gestante tornam-se, muitas vezes, essenciais para garantir a saúde da mamãe e do bebê. Para saber mais sobre o assunto, entrevistamos a ginecologista e obstetra Fernanda de Andrade (CRM 5268030-3), que nos contou sobre as melhores opções na gravidez e esclareceu as principais dúvidas. Acompanhe!

Continua após o anúncio

Índice do conteúdo:

10 vitaminas para gestantes

Seja devido à falta de algum nutriente durante a gravidez ou devido a uma alimentação e a hábitos inadequados, as vitaminas para gestante exercem papel fundamental. Ficou curiosa para conhecer as melhores? Confira a lista separada pela ginecologista!

1. Vitamina B6

iStock

A vitamina B6 é encontrada em grãos integrais, gérmen de trigo, miúdos e legumes. Uma de suas ações é que a vitamina B6 auxilia no metabolismo dos carboidratos, proteínas e lipídeos. Fernanda explica que essa vitamina promove o alívio das náuseas, quando utilizada no primeiro trimestre.

2. Ácido fólico

Para as gravidinhas e, até mesmo, antes da gravidez, se você está planejando uma gestação, o ácido fólico é superimportante! Ele atua no processo de divisão celular e na formação da placenta e do embrião.

E não para por aí: segundo Fernanda, a falta dessa vitamina pode trazer sérias consequências para o bebê em formação, como a anencefalia, que é a ausência de cérebro. Mas em qual época começar a tomá-la? A ginecologista comenta que deve ser suplementada antes da gestação e nos primeiros três meses.

3. Vitamina K

iStock

Dentre as vitaminas para gestante, a vitamina K é indicada por ser importante para a coagulação. É também um tratamento para grávidas com epilepsia.

“O tratamento das grávidas com epilepsia abrange a medicação crônica para prevenção das crises, a sua terapêutica aguda e a suplementação com ácido fólico e vitamina K”, como aponta o artigo da Maternidade Dr. Alfredo da Costa, Centro Hospitalar de Lisboa Central (1). Fernanda cita que essa essa vitamina deve ser suplementada principalmente no terceiro trimestre da gravidez.

Continua após o anúncio

4. Vitamina D

A vitamina D é produzida a partir da exposição solar e a sua ação está envolvida no metabolismo ósseo, além de no crescimento e no desenvolvimento do bebê. Ao ser suplementada no período da gravidez, é possível diminuir as chances de parto prematuro, bem como é fundamental para auxiliar no peso do bebê durante a sua formação.

Fernanda esclarece também que estudos demonstram que a vitamina D colabora para a diminuição da incidência de hipertensão na gravidez. A ginecologista recomenda-a principalmente para vegetarianas e para as que evitam a exposição solar.

5. Vitamina A

iStock

Essa vitamina colabora com o sistema imunológico e combate infecções, além de ajudar no crescimento e no desenvolvimento dos fetos. “A vitamina A é necessária para diferenciação celular e proliferação para desenvolvimento das vértebras, medula espinhal, membros, coração, olhos e ouvidos, bem como regulação da expressão do gene”, explica Fernanda. Essa suplementação costuma ser receitada principalmente no primeiro trimestre da gestação.

A ginecologista alerta que se deve ter cautela ao começar o tratamento, pois a vitamina A é teratogênica – podendo causar, em excesso, malformações cardiovasculares e craniofaciais.

6. Vitamina E

A vitamina E possui propriedades antioxidantes que protegem as células dos radicais livres. A falta dessa vitamina pode trazer algumas como sequências, como apontam informações de uma publicação do Spandidos Publications: “baixos níveis de vitamina E podem levar ao excesso de radicais livres, resultando em envelhecimento da placenta, lesões endoteliais vasculares, aumentando a incidência de doenças hipertensivas na gravidez” (2).

A vitamina E pode ser suplementada desde o início da gravidez, mas os níveis devem ser monitorados pelo médico, para não ocorrer uma ingestão excessiva.

7. Vitamina C

iStock

A vitamina C é uma queridinha que não poderia faltar na nossa lista! Ela tem inúmeras funções, como a sua ação para reduzir os radicais livres. Outros benefícios estão relacionados à formação de colágeno, à absorção de ferro e ao fortalecimento do sistema imunológico. Fernanda aponta que essa vitamina pode ser suplementada durante toda a gravidez, de acordo com as necessidades.

8. Vitamina B1

Essa vitamina, chamada de tiamina, tem ação no desenvolvimento cerebral do bebê e é também indicada em casos de vômito excessivo. “A deficiência nutricional de tiamina é rara em pessoas que consomem uma dieta moderadamente variada que contém grãos inteiros. No entanto, o vômito excessivo na gravidez pode causar depleção de tiamina, caso em que as vitaminas pré-natais contendo tiamina e outras vitaminas B podem ser benéficas”, segundo estudo publicado na Oxford Medicine Online (3).

Continua após o anúncio

9. Vitamina B2

iStock

A falta dessa vitamina está entre as causas de anemia e de diabetes, por exemplo. Ela atua também na formação do feto, o que inclui ossos, músculos e nervos. É importante, inclusive, na lactação e no desenvolvimento do bebê, como sugere um artigo da Oxford Academic (4). Há indicações da vitamina B2 para gestantes a partir dos 3 meses e, até mesmo, durante a lactação.

10. Vitamina B3

A niacinamida pode prevenir diversos defeitos congênitos e malformações, como demonstrou um estudo publicado no New England Journal of Medicine (5). Além disso, oferece benefícios para o sistema nervoso da mamãe, e uma matéria do jornal Science traz ainda novas informações sobre o assunto: “É possível que o B3 extra nas vitaminas pré-natais padrão já seja útil. O excesso de niacina pode causar tontura, náusea e diarreia, mas doses baixas não apresentam efeitos colaterais conhecidos” (6).

Lembrando que é imprescindível consultar um profissional habilitado antes de ingerir qualquer tipo de suplementação ou de vitaminas para gestante, hein! E, se você tem mais dúvidas sobre o assunto, dê uma olhadinha no próximo tópico!

Dúvidas sobre vitaminas para gestantes

A ginecologista nos ajudou a esclarecer as principais dúvidas envolvidas no uso de vitaminas para gestante. Acompanhe os detalhes!

  • Quando se deve começar a tomar vitaminas na gravidez? “As vitaminas devem ser ingeridas tão logo a gestação se inicie, caso a gestante não tenha uma alimentação adequada. Como vivemos na época do fast food, a grande maioria das mulheres não ingere a quantidade de vitaminas adequada, daí a necessidade de suplementação”, comenta.
  • Toda gestante precisa tomar vitamina? “Nem toda gestante precisa tomar vitamina desde que tenha uma alimentação adequada, porém, em pacientes diabéticas, obesas e com histórico de cirurgia bariátrica, a suplementação é muito importante”, aponta.
  • Tem alguma vitamina para cabelos e unhas que a gestante pode tomar? De acordo com Fernanda, o Pantogar, cuja formulação contém pantotenato de cálcio, cistina, tiamina, queratina e ácido aminobenzóico, é indicado para melhorar a saúde das unhas e do cabelo. Ele pode ser usado a partir do segundo trimestre, se prescrito pelo seu médico.
  • Vitaminas para gestante engordam? A profissional explica que as vitaminas para gestante não engordam – o que determina o aumento de peso é uma dieta desequilibrada e hábitos inadequados. “Precisamos nos alimentar adequadamente e praticar atividade física para não ter ganho de peso excessivo na gestação”, conclui.

Os cuidados durante a gestação são essenciais e, muitas vezes, alguns componentes não podem ser ingeridos, porque podem trazer sérios riscos à saúde do bebê e da mamãe. Fique de olho!

Cuidados e contraindicações

Segundo Fernanda, o melhor suplemento vitamínico é aquele feito especialmente para as gestantes, pois terá a quantidade adequada de ingestão diária recomendada em sua composição.

Quanto às contraindicações, as vitaminas para gestante devem ser aprovadas e avaliadas pelo seu médico. Deve-se tomar muito cuidado com a quantidade diária, não as ultrapassando, como é o caso da Vitamina A que, em excesso, oferece o risco de malformação.

“Tem que tomar cuidado com suplementos vitamínicos isentos de prescrição, pois podem conter doses altas de vitamina A e devem ser interrompidos durante a gravidez”, finaliza. Em gravidez de alto risco, os cuidados são redobrados!

Além da suplementação vitamínica, ter uma alimentação balanceada e praticar exercícios físicos durante a gravidez são excelentes formas de manter os cuidados, proporcionando benefícios para uma gestação saudável!

Continua após o anúncio