Dicas para aliviar ou evitar os gases na gravidez

Escrito por
Em 23.01.20

iStock

Os gases na gravidez são um sintoma normal que, segundo Domingos Mantelli (CRM-SP 107.997), ginecologista e obstetra, ocorrem devido aos hormônios da gestação que diminuem os movimentos intestinais, fazendo com os que alimentos fiquem por mais tempo no tubo digestivo. Esclareça suas dúvidas sobre o assunto e confira dicas para aliviar e/ou evitar esse sintoma.

Continua após o anúncio

Como aliviar os gases na gravidez

iStock

Alberto Guimarães (CRM-SP 66026), ginecologista, obstetra e precursor do Parto sem Medo, comenta que a alimentação é o principal fator que interfere numa produção maior ou menor de gases.

De toda forma, é comum que eles surjam em algum momento e algumas medidas que podem ser utilizadas para aliviar esse sintoma são:

  • Chás: há chás que atuam na diminuição da produção de gases, reduzindo e/ou evitando o desconforto, como, por exemplo, chá de hortelã, erva-doce, erva cidreira e gengibre. De toda forma, é sempre importante que a gestante converse com seu médico antes de iniciar o uso de um chá, independentemente do objetivo.

  • Massagens abdominais: feitas com movimentos circulatórios leves, por volta de 10 minutos, costumam ajudar.
  • Movimentos: uma caminhada leve pode ajudar no alívio do desconforto, assim como realizar um exercício simples de deitar-se de barriga para cima e dobrar as pernas (apertando-as levemente contra a barriga) por cerca de 10 vezes.
  • Medicamentos antigases: Mantelli comenta que, em casos que os gases causam grandes incômodos, pode-se indicar o uso de antigases (desde que liberados para gestantes). Exemplos são Dimeticona ou Simeticona.

Vale ressaltar que a gestante nunca deve se automedicar. O médico indicará o melhor medicamento, bem como dosagem e duração do tratamento.

Como evitar os gases na gravidez?

Com os alimentos por mais tempo no tubo digestivo, devido ao fato de os movimentos intestinais estarem mais lentos por consequência de hormônios da gestação, acontece o aumento da produção de gases. Dessa forma, de acordo com Mantelli, seguir uma alimentação saudável é o melhor caminho para evitar o desconforto dos gases. Confira algumas dicas nesse sentido:

  1. Contar, se possível, com acompanhamento de um(a) nutricionista que indicará o melhor cardápio levando em conta as particularidades de cada mulher;
  2. Mastigar devagar;
  3. Não comer fazendo outra atividade (como mexer no celular e/ou assistir televisão);
  4. Evitar alimentos de difícil digestão (frituras, por exemplo);
  5. Evitar bebidas gasosas;
  6. Evitar alimentos que normalmente causam gases (feijão, ervilha, lentilha, batata doce, repolho, brócolis etc);
  7. Criar um diário alimentar (que ajudará a identificar os alimentos que contribuem ou não para um maior desconforto);
  8. Praticar alguma atividade física (quando esta for liberada pelo médico);
  9. Não ingerir líquidos junto às refeições;
  10. Não fazer grandes refeições (fazer pequenas refeições mais vezes ao dia);
  11. Evitar falar durante a refeição;
  12. Não fumar;
  13. Evitar chicletes.

Importante lembrar que os gases são naturais ao organismo, portanto, não há como evitá-los, mas, sim, como diminuir a intensidade deles.

Mais dúvidas respondidas pelo ginecologista

iStock

Continua após o anúncio

É comum que a gestante preocupe-se com sua saúde como um todo, por isso, podem surgir dúvidas mais específicas sobre esse sintoma. Confira o esclarecimento para as principais questões abaixo:

1. Quando começam os gases na gravidez? Alberto Guimarães comenta que não há uma fase específica para isso, visto que os gases são produzidos o tempo todo. “Como na gestação, pela produção hormonal, o peristaltismo (movimentação intestinal) fica mais lento, costuma-se ampliar essa questão de gases. Às vezes, na fase inicial da gravidez, a mulher ainda não está com o útero em tamanho suficiente para fazer crescer a barriga… Mas, para quem olha de perfil, parece que a gestante já está com uma barriga enorme… Isso porque ela retém mais gases, o que dá essa sensação de ‘estufamento’”. Mas isso não significa que seja somente nessa fase que os gases sejam produzidos e cada mulher tem suas particularidades em relação a este sintoma.

2. Gases na gravidez causam dor no pé da barriga? “Sim, esta distensão pode gerar desconforto e dor no pé da barriga. Às vezes, pode até surgir a dúvida se a dor ocorre em função de uma contração uterina ou se está relacionada à parte intestinal. Mas, vale lembrar que, no geral, a dor proveniente de gases não é igual à de uma contração para parto, até mesmo por não apresentar uma periodicidade”, responde Guimarães.

3. Os gases na gravidez costumam ser mais fedidos? “O odor depende muito mais do que se consome, pois alguns alimentos de fato aumentam a produção gasosa”, responde Guimarães.

4. Pode tomar Simeticona na gravidez? Guimarães responde que sim, que essa é uma medicação segura. O médico que acompanha a gestação certamente indicará a melhor opção levando em conta as particularidades de cada paciente.

5. Os gases na gravidez prejudicam o bebê? Não. Suas consequências são somente desconforto e/ou dor para a gestante.

6. Gases podem ser sinal de outros problemas? Guimarães destaca que gases, por si só, não são sinal de doença. Porém, caso venham acompanhados de outros sintomas importantes, o médico que acompanha a gestação deverá ser comunicado o mais rápido possível.

Pode-se dizer, assim, que os gases na gravidez são normais e não causam outros problemas além de desconforto e dor. Porém, quando os gases estiverem causando um desconforto muito grande, e se eles vierem acompanhados de outros sinais (como sangue nas fazes, diarreia, náusea e vômitos graves), é importante entrar rapidamente em contato com o médico para que ele avalie as particularidades do caso. Aproveite e esclareça também suas dúvidas sobre dor de cabeça na gravidez.

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Assuntos: Gravidez