Varizes: conheça suas causas, tratamentos e saiba como prevenir

Escrito por
Em 25.02.19

iStock

Tortuosas e insuficientes, as varizes são veias dilatadas que não exercem mais a sua função. Essas veias têm válvulas que direcionam o fluxo de sangue para o coração, entretanto, às vezes elas não funcionam, empossando principalmente na região das pernas e dos pés.

Continua após o anúncio

Além disso, elas causam dores e inchaços, sintomas que são agravados pela má circulação sanguínea. E se antes esse desconforto era uma preocupação meramente estética, hoje as varizes são uma questão de saúde, isso porque se não tratadas, podem causar sérios problemas. Dúvidas sobre causas, sintomas, tratamentos e prevenção? Então, saiba mais sobre o assunto com a cirurgiã vascular e endovascular, Dafne Leiderman.

Tipos de varizes

iStock

Grande parte das pessoas usam o termo varizes pensando no problema como uma coisa só. Entretanto, existem diferentes tipos de veias varicosas, e para cada uma delas, um tratamento diferente. De acordo com Dafne Leiderman, elas podem ser classificadas segundo o seu tamanho:

  • Tronculares: grossas e maiores, são geralmente responsáveis pela dilatação de grandes troncos venosos. Segundo a cirurgiã vascular e endovascular, essas são as varizes propriamente ditas, com mais de 3 mm de diâmetro.
  • Reticulares: essas são as varizes de tamanho médio que, apesar de serem menores que as tronculares, também oferecem riscos. Conhecidas como microvarizes, seu tamanho varia entre 1 e 3 mm.
  • Telangiectasias: avermelhadas, “essas varizes são bem menores e não chegam a 1 mm de diâmetro”, comenta Dafne Leiderman. Semelhantes a uma teia de aranha, sinalizam problemas com a circulação do sangue.

Além disso, temos as varizes internas, que mesmo dilatadas são invisíveis, mas indicam a insuficiência das veias de safena. As pélvicas também são um incômodo, uma vez que são localizadas na parte inferior da barriga, aparecendo em síndromes compressivas, ou seja, “quando a veia comprimida impede seu fluxo normal”.

Varizes: causas

  • Fatores genéticos;
  • Alterações na parede das veias e de suas válvulas;
  • Síndromes compressivas;
  • Exposição ao hormônio estrogênio com medicamentos.

Fatores de risco

Algumas situações favorecem o aparecimento das varizes, mas dificilmente elas se manifestam por causa de apenas um desses fatores. Portanto, é da associação de duas ou mais condições que essas veias dilatadas surgem, sendo esse um dos principais alertas para adoção de hábitos mais saudáveis.

Leia também: Escleroterapia: a solução para os seus vasinhos e varizes

  • Obesidade;
  • Sedentarismo;
  • Trombose;
  • Tabagismo;
  • Ficar longos períodos em pé ou sentado;
  • Cirurgias que mexam na circulação das veias;
  • Grandes traumas em membros;
  • Fatores hereditários.

Estudos indicam que as varizes são mais frequentes em mulheres de 20 a 50 anos, e que a tendência é que a situação piore com o passar do tempo. Contudo, elas também podem surgir durante a adolescência, sendo que o diagnóstico nesses grupos é cada vez mais comum e constante.

Varizes: sintomas

iStock

Segundo Dafne Leiderman, a principal queixa dos pacientes são as veias dilatadas visíveis a olho nu. Além disso, também mencionam uma dor semelhante a um peso ou cansaço, acompanhado de inchaço nos membros inferiores. Entretanto, a cirurgiã vascular e endovascular ressalta que, devemos culpar as varizes somente se as outras causas forem descartadas. Assim, em casos mais avançados, podemos observar:

Continua após o anúncio

  • Escurecimento da pele;
  • Seu endurecimento e descamação;
  • Aparecimento de úlceras varicosas;
  • Sangramento.
  • Esses episódios mais graves ocorrem tanto pela dilatação das veias mais profundas, quanto das superficiais. Assim, as varizes também predispõem as pessoas à flebite, um tipo de inflamação na parede das veias. Portanto, em casos mais graves, procure a orientação de um médico.

    Varizes na gravidez

    iStock

    De acordo com a cirurgiã vascular e endovascular do Hospital Dom Alvarenga, as varizes podem piorar durante a gravidez. Principalmente devido às mudanças hormonais que acontecem na anatomia do corpo da mulher. “Elas são mais intensas no último semestre da gestação, quando o útero já está maior, dificultando ainda mais o fluxo de sangue pelas veias que drenam as pernas”.

    Considerando isso, é recomendado que a gestante use meias elásticas de compressão, faça pequenas caminhadas e invista em momentos de repouso com as pernas para cima, para melhorar a circulação. Além disso, o risco de trombose aumenta nesse período, portanto, se surgir alguma dor ou edema diferente do observado no dia a dia, esse é um sinal de alerta.

    Leia também: Exercícios aeróbicos: a atividade que queima calorias e garante saúde

    Varizes: como tratar

    iStock


    A maioria dos casos de varizes podem ser tratados com medidas de autocuidado. Algumas situações, entretanto, são mais delicadas. Para esses casos, o tratamento vai depender do seu tamanho, de quais veias foram acometidas, das suas causas, assim como quanto o quadro está avançado. Entre os tratamentos, destacamos:

    Fechamento das veias

    Dafne Leiderman explica que, essa é uma cirurgia feita com pequenos cortes nas regiões mais afetadas pelas varizes. Também conhecida como flebectomia ambulatória, é realizada por um cirurgião vascular e com anestesia local.

    Aplicação de substâncias

    Esse é um procedimento para fechar as veias acometidas. O tratamento com espuma é um grande exemplo, sendo esse um medicamento aplicado para aderir às paredes das veias, promovendo seu fechamento.

    Uso de laser

    Segundo a cirurgiã vascular e endovascular, o laser queima a parede da veia por dentro, o que leva ao seu fechamento. Muito bem tolerado, as indicações variam de acordo com a tonalidade da pele e do tamanho dos vasos.

    Continua após o anúncio

    Existem vários tratamentos para amenizar ou até mesmo retirar as varizes. Apesar disso, nenhum deles é definitivo, isso porque elas podem voltar a qualquer momento, especialmente se não cuidarmos de detalhes como a prática de exercícios aliados a uma boa alimentação.

    Leia também: Treinamento funcional: abandone o sedentarismo com atividades dinâmicas

    Varizes: prevenção

    iStock

    Para a cirurgiã Dafne Leiderman, o tratamento precoce das varizes previne o aparecimento de complicações vistas nos casos mais avançados. Algumas iniciativas são bastante simples, mas evitam o aparecimento dessas inflamações nos membros citados. Entre as indicações de prevenção, temos:

    • Controlar o ganho de peso: por meio de atividades físicas orientadas por um profissional.
    • Não fumar: isso porque o tabagismo é prejudicial para a saúde em vários aspectos.
    • Tomar hormônios apenas com prescrição médica: e com o acompanhamento de um cirurgião vascular nos primeiros sinais de varizes.

    Apenas um cirurgião vascular e endovascular poderá informar qual a abordagem mais indicada para o tratamento das suas varizes. Dessa forma, prevenir o seu aparecimento ainda é uma das melhores sugestões. Não desconsidere seus primeiros sinais, evite os fatores de risco e promova uma mudança no seu estilo de vida.

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Para você