Dicas de Mulher Dicas para Mães

Teste de gravidez: saiba a que tipo recorrer para tirar sua dúvida

Conheça quais são os principais meios usados para se detectar uma gravidez diante da aparição dos primeiros sinais ou uma suspeita

em 03/08/2015

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

O atraso menstrual, em mulheres com ciclos regulares, é o primeiro sinal de suspeita de gestação. Mas, vale destacar, existem vários sinais clínicos perceptíveis pela mulher, como dores nas mamas, escurecimento da aréola, inchaço, sonolência, alteração de humor, que permitem a suspeita da gravidez mesmo antes da ausência da menstruação.

Diante a suspeita da gravidez, surge uma dúvida: a que tipo de teste recorrer? Além das opções de testes de farmácia e do exame de sangue, algumas mulheres passam a se questionar se os chamados testes de gravidez caseiros também têm certa eficácia.

Tipos de teste de gravidez

Há dois tipos de testes mais conhecidos para se detectar uma gravidez: o teste de farmácia, que é feito com a urina, pela própria mulher (em casa), e o exame de sangue, que é solicitado geralmente pelo médico e feito em laboratório.

Existe ainda a possibilidade de apostar em testes caseiros antes de recorrer a outro tipo, mas, vale ressaltar, eles não apresentam eficácia comprovada. Abaixo você confere as principais informações sobre os diferentes tipos de testes:

Teste de farmácia

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

Frente a suspeita de estar grávida, a tendência da mulher é correr para a farmácia comprar um teste de gravidez.

Nilka Fernandes Donadio, ginecologista, obstetra, especialista em Reprodução Humana e Diretora Técnica do Cetipi (Centro Especializado no Tratamento Integral de Pacientes Inférteis), destaca que os testes de farmácia são vendidos sem prescrição médica e custam entre R$10 a R$100. “Os testes ditos de farmácia avaliam a presença do hormônio chamado hCG (gonadotrofina coriônica humana), produzido pela placenta, na urina da mulher”, destaca.

Nas farmácias, é possível encontrar uma variedade enorme de marcas de testes. E, dependendo da marca, um teste pode ser mais sensível que o outro: os mais sensíveis conseguem detectar níveis de 20 IU/l de hCG na urina, enquanto outros detectam a partir de 50 IU/l.

Porém, infelizmente, na embalagem do teste não costuma estar especificada a sensibilidade. De forma geral, acredita-se que os testes mais sensíveis são os mais caros, mas isso não é uma regra.

Nilka Fernandes Donadio destaca que algumas recomendações devem ser seguidas para a utilização destes testes: observar a validade, a integridade da embalagem e, principalmente, o tempo do atraso menstrual. “Realizar o teste precocemente, antes mesmo do atraso pode levar a um falso negativo, pois a concentração do hormônio na urina é menor comparado à concentração no sangue e, além disso, os níveis de hCG vão subindo lentamente conforme a gravidez se desenvolve, então, se realizado muito cedo, a concentração do hormônio ainda é tão baixa que se torna indetectável para os testes de farmácia”, explica a ginecologista e obstetra.

Recomenda-se, de forma geral, esperar pelo menos 15 dias após a fecundação, ou seja, após o ato sexual, para fazer este tipo de teste.

A leitura do resultado é muito simples: “após colocar a tira em contato com a urina e esperar o tempo indicado pelo fabricante, a presença de duas linhas indica resultado positivo, mesmo que a segunda linha seja muito clarinha”, explica a médica Nilka.

Se o teste de farmácia der positivo, é praticamente certo que a mulher está grávida. Mas, conforme destaca a ginecologista Nilka, existem, embora muitíssimo raros, “falsos positivos”, que ocorrem devido à produção deste mesmo hormônio em casos de tumores ovarianos.

Exame β-hCG

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O exame de sangue chamado beta-hCG detecta mais precocemente a gravidez, antes mesmo do atraso menstrual. De forma geral, recomenda-se esperar de 9 a 12 dias após a fecundação para realizá-lo.

Nilka Fernandes Donadio explica que o exame β-hCG pode ser qualitativo ou quantitativo:

  • Qualitativo: só diz se existe ou não a presença do hormônio no sangue;
  • Quantitativo: diz quantas unidades do hormônio foram detectados no sangue.

“O teste quantitativo permite avaliar a evolução normal da gravidez, que muito no início ainda não é visível ao ultrassom. A quantidade de hormônio deve duplicar a cada dois dias. Se isso não ocorrer, pode indicar uma gravidez inviável, que não irá evoluir adequadamente, cursando com aborto, ou ainda uma gravidez nas trompas, chamada de ectópica”, explica a ginecologista e obstetra.

Nilka Donadio destaca que, principalmente entre mulheres em tratamento de fertilidade, a solicitação pelo médico de dois testes de BhCG quantitativo, com dois dias de intervalo, é muito comum. “Pois entre pacientes com problemas de fertilidade a incidência de gestação ectópica é bem maior”, explica.

O preço varia bastante de um lugar para outro, mas em muitas cidades o exame β-hCG custa entre 25 a 35 reais.

Teste de gravidez caseiro

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

Suspeitando que possam estar grávidas, geralmente devido ao atraso menstrual, algumas mulheres recorrem ainda a testes de gravidez caseiros, antes mesmo de comprar um teste de farmácia.

Na internet é possível encontrar algumas receitas que prometem confirmar ou não a gravidez. Seguem alguns exemplos:

1. Teste de fervura da urina

Ferver a urina em um recipiente de alumínio e depois observar: se a urina ferver semelhante ao leite – ela forma tipo uma “nata” –, o resultado é POSITIVO. Se a fervura for semelhante à da água –ficar apenas borbulhando –, o resultado é NEGATIVO.

2. Teste da agulha

Urinar em um recipiente e colocar uma agulha dentro dele. Depois, é necessário fechar o recipiente e esperar por oito horas. Se a agulha mudar de cor, o resultado é POSITIVO.

3. Teste da água sanitária

Urinar em um recipiente e adicionar água sanitária. Se a urina mudar de cor ou efervescer, o resultado é POSITIVO. Senão, o resultado é NEGATIVO.

4. Teste do cloro

Colocar a urina em um copo descartável e adicionar cloro. Se ela ficar escura, o resultado é POSITIVO. Se a mistura continuar com a mesma cor, o resultado é NEGATIVO.

Porém, vale ressaltar, nenhum desses testes possui comprovação científica. Tais receitas caseiras podem ser mais consideradas como crenças populares do que como testes confiáveis. Mas é verdade é que, em muitos casos, servem para diminuir a ansiedade da mulher.

A dica, então, é: se decidir por fazer um teste caseiro, independentemente se der positivo ou negativo, não acreditar totalmente e somente no resultado apontado por ele. O caminho é optar, depois, por um teste de farmácia e/ou exame de sangue assim que possível.

Ultrassom transvaginal para detectar a gravidez

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

De acordo com Nilka Donadio, a melhor avaliação da gravidez, assim como a sua evolução, é pelo ultrassom transvaginal.

“Habitualmente, a imagem da gestação pelo ultrassom é visível a partir de cinco semanas, ou seja, após uma semana de atraso em mulheres com ciclos regulares. Lembre-se que a idade gestacional é calculada a partir da data da última menstruação, e não da concepção; logo, cinco semanas de gestação representa uma semana de atraso”, destaca a médica.

Às vezes, explica Nilka Donadio, o teste de gravidez no sangue é positivo, mas ainda não se vê a imagem da gestação no ultrassom. “É obrigatório visualizar o saco gestacional a partir de um BhCG de 700UI, se não for visível, deve-se afastar a possibilidade de gestação ectópica (gravidez nas trompas)”, diz.

“Ao ultrassom, com cinco semanas vemos o saco gestacional, como uma manchinha escura e redondinha dentro do útero, posteriormente, um pouquinho mais tarde aparece a chamada vesícula vitelina e o embriãozinho propriamente dito e, com sete semanas, a presença do assim chamado batimento cardíaco fetal é observada”, destaca a ginecologista e obstetra.

O preço do ultrassom transvaginal varia muito de clínica para clínica. Ele é coberto por grande parte dos planos de saúde, porém, é importante verificar com a administração do seu plano se este é o seu caso. Tendo que pagar pelo exame, pode-se ter uma despesa de 60 a 150 reais.

Exames de gravidez pelo SUS: como conseguir?

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

De acordo com informações da assessoria de imprensa do Ministério da Saúde, a oferta de teste rápido de gravidez pelo SUS está inserida na estratégia da Rede Cegonha, que consiste numa rede de cuidados que visa assegurar à mulher o direito ao planejamento reprodutivo, bem como atenção humanizada durante a gravidez, o parto e após o nascimento do bebê.

Os testes rápidos de gravidez estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), espalhadas em todo o país, e funcionam por meio da coleta de urina. Dessa forma, a mulher que precisa desse serviço, deve se informar numa das UBS’s da sua cidade sobre como proceder para realizar o teste.

Uma das vantagens do teste rápido é o fato de o resultado ser apresentado pouco tempo depois da coleta da urina.

Ainda de acordo com informações do Ministério da Saúde, atualmente, a Rede Cegonha está presente em mais de 5 mil municípios de todos os estados do país.

Por fim, vale ressaltar que, independentemente do tipo de teste escolhido para detectar a gravidez, assim que a gestação for confirmada, a mulher deve buscar o mais rápido possível orientação e acompanhamento médico para o pré-natal.

Comentários
Dicas relacionadas