Bem-estar

Sob o olhar de uma dermatologista: entenda o que é o queloide

Canva

Em 04.04.23

O queloide é um dos tipos de cicatrizes pós-cirúrgicas mais frequentes, que afeta principalmente pessoas negras e asiáticas. A condição também pode surgir devido aos traumas na pele, especialmente com a perfuração de piercings. A médica dermatologista, Dra. Geisa Costa, falou sobre prevenção, tratamentos e esclareceu as principais dúvidas. Confira!

O que é queloide?

Segundo a dermatologista, o queloide é um crescimento no tecido de uma cicatriz, causada por acne, ferimentos ou após uma cirurgia. Um dos mais comuns é o queloide na orelha, entretanto também aparece no colo, pescoço, braços e tórax. “Essa alteração está associada à produção irregular da proteína de colágeno, deixando a cicatriz com um aspecto assimétrico”.

A profissional explica que por ser uma resposta natural do organismo, não existe uma causa específica para o desenvolvimento do queloide, mas algumas pessoas podem ter mais propensão a desenvolvê-lo por determinação genética. Além disso, “a idade também pode interferir, geralmente, o queloide aparece entre os 20 e 30 anos”.

A especialista ainda aponta que, conforme “a Sociedade Brasileira de Dermatologia, o queloide pode afetar mulheres e homens, mas existe maior incidência em mulheres”. Segundo a profissional, embora cause um certo desconforto, o queloide é inofensivo. “Entretanto, pode afetar a autoestima, impactando no modo como a pessoa se enxerga e se relaciona”.

Queloide e piercing

É muito comum o queloide surgir após a perfuração de piercing, principalmente entre 3 e 4 semanas após o procedimento. Geralmente, acomete a orelha, o nariz e o umbigo. Segundo a especialista, “ter a pele morena ou negra pode ser um fator causal, mas a razão para essa predisposição é desconhecida”. Portanto, se você vai colocar um piercing, é importante seguir alguns cuidados, como higienizar bem a área perfurada e evitar tocar e girar o piercing.

Sintomas do queloide

A Dra. Geisa informa que nem sempre o queloide apresenta alterações na pele, no entanto, pode, sim, haver um crescimento anormal do tecido na cicatriz. Entre os sintomas mais comuns, estão:

  • Coceira;
  • Irritação;
  • Dor.

A profissional ainda esclarece que, “dependendo do grau do queloide e de onde está localizado, pode dificultar a movimentação do corpo. Um exemplo, é quando ele ocorre nas regiões em que há articulações”.

Diagnóstico e tratamento para queloide

Canva

Segundo a especialista, ainda não existem exames específicos para detectar o queloide. Nesse caso, “o médico dermatologista faz o diagnóstico observando a lesão”. Após a avaliação, a condição é tratada conforme a gravidade e o melhor método para cada situação.

Tratamento

Existes diversos métodos para tratar o queloide, como a “aplicação de medicamentos via infiltração intralesional, a crioterapia, placas/adesivos de silicone e laser”. Além disso, quando esses métodos não funcionam, pode-se recorrer à cirurgia, porém, mesmo assim, nem sempre o queloide some, apenas reduz a aparência da cicatriz.

Na maioria dos casos, o queloide some ou fica com um aspecto bem minimizado. Entretanto, a médica esclarece que é preciso fazer um tratamento, “do contrário, a lesão pode progredir até um certo ponto e depois estabilizar”.

Publicidade

Prevenção

Para prevenir, é importante cuidar do processo de cicatrização. A dermatologista orienta a fazer “assepsia adequada do local, usar o protetor solar e evitar expor a região diretamente ao sol”.

Além disso, “é essencial não fumar até a cicatrização total da lesão e atentar-se à alimentação, evitando alimentos ricos em sódio”. Outro fator de prevenção é se houver “histórico de queloide na família, é preciso consultar um dermatologista antes de realizar qualquer procedimento para avaliar os benefícios e os riscos”.

Especialista esclarece as dúvidas frequentes sobre o queloide

Apesar de todos os esclarecimentos, outras dúvidas podem surgir sobre o queloide. Abaixo, a especialista aborda questões importantes sobre essa lesão na pele. Acompanhe:

Dicas de Mulher – Existem métodos caseiros para se livrar da cicatriz?

Geisa Costa – não, pois algumas receitas caseiras podem causar irritação e até agravar a situação. Então, o ideal é buscar ajuda médica assim que notar os primeiros sinais de uma cicatrização irregular.

Normalmente, o queloide aparece quanto tempo após colocar o piercing?

Ele dá os primeiros sinais entre 3 e 4 semanas após o processo de cicatrização se iniciar, mas, antes disso, é possível ocorrer vermelhidão, irritação e até inflamação do local.

Qual a diferença entre cicatriz hipertrófica e queloide?

Publicidade

O queloide é uma alteração no processo de cicatrização, desse modo, há um crescimento anormal do tecido, ocasionando irregularidades e expansão para fora dos limites do corte. Já a cicatriz hipertrófica é uma mudança na textura da cicatriz, que fica um pouco endurecida e mais alta, mas se mantém nos limites do corte.

O queloide pode se tornar cancerígeno?

O queloide, em si, não. Entretanto, alguns fatores podem contribuir para o desenvolvimento de algo mais grave na região machucada. Por exemplo, se a pessoa tiver pintas na região, não fazer acompanhamento para avaliá-las e se expor excessivamente ao sol, pode ter um câncer de pele.

A alimentação ou uso de algumas substâncias pode interferir no processo de cicatrização e causar queloide?

Sim, pois os alimentos ricos em sódio, bem como o tabagismo, causam inflamações nos tecidos, podendo desencadear a produção exacerbada de colágeno e desenvolver o queloide.

Embora não exista uma causa específica para o surgimento do queloide, é essencial cuidar de qualquer cicatriz seguindo as orientações médicas. Isso também vale para tratar casos de piercing inflamado e, assim, prevenir lesões e outras complicações na pele.

Formada em Letras e pós-graduada em Jornalismo Digital. Apaixonada por livros, plantas e animais. Ama viajar e pesquisar sobre outras culturas. Escreve sobre diversos assuntos, especialmente sobre saúde, bem-estar, beleza e comportamento.