Como usar a nutrição comportamental para repensar seus hábitos alimentares

Escrito por                    
Atualizado em 21.06.22

Envato

Por
Atualizado em 21.06.22

A alimentação costuma ser um ponto muito discutido por quem busca uma vida mais saudável. Contudo, além das inúmeras dúvidas sobre como se alimentar bem, na correria do dia a dia pode ser difícil estabelecer bons hábitos alimentares. É aí que entra a nutrição comportamental.

Publicidade

Para saber mais sobre a técnica e seus benefícios, confira o que a nutricionista especialista em comportamento alimentar, Nathalia Duval (CRN-2 9393), revela sobre o assunto!

Índice do conteúdo:

O que é nutrição comportamental?

nutrição comportamental

Envato

Há muitos anos, profissionais como nutricionistas e psicólogos estudam os hábitos alimentares das pessoas e sua relação com a comida. Justamente para auxiliar na compreensão desses fatores, surgiu a Nutrição Comportamental, uma abordagem cientifica que entende os hábitos alimentares de forma biopsicossocial.

Nathalia explica que a nutrição comportamental é “uma abordagem ampla e humana da nutrição para com o indivíduo que se alimenta, que tem como principal objetivo promover mudanças efetivas de comportamentos diante da comida”.

Além disso, a nutricionista conta que os profissionais que trabalham baseados nessa técnica visam muito mais que prescrever um plano alimentar, priorizando a complexidade do comer. Assim, buscam trabalhar aspectos como “a maneira que são feitas as escolhas alimentares; como, onde e com quem são realizadas as refeições; crenças, pensamentos e sentimentos a respeito da comida; e a relação com a comida e comportamentos diante dela”.

A especialista ressalta que a abordagem considera o ser humano em sua totalidade, “atentando-se para o contexto biopsicossocial que cada pessoa está inserida para, assim, promover mudanças sustentáveis na rotina alimentar”, e consequentemente contribuir para a saúde na totalidade.

Em relação à indicação da nutrição comportamental, Nathalia afirma que o processo só deve ser realizado com um profissional especialista e pode ser feito por qualquer pessoa cansada de fazer dietas muito restritivas ou que sintam que não possuem uma boa relação com a comida.

“É indicada para quem deseja trabalhar a fundo sua relação com a comida e realizar mudanças significativas e duradouras no seu comportamento alimentar, de forma gradual, gentil e respeitando a si mesmo”, esclarece a nutricionista.

Publicidade

A profissional pontua ainda que a nutrição comportamental “não pactua com restrições alimentares”, pois, além de objetivar uma alimentação saudável, busca compreender o comer de uma maneira holística: “deve ser coerente com a história e contexto de vida de cada pessoa, considerando questões fisiológicas, emocionais, culturais, sociais e econômicas da alimentação”.

A nutrição comportamental ajuda emagrecer?

Segundo Nathalia, a nutrição comportamental não está focada na perda de peso, apesar de “serem observadas alterações de peso e outros parâmetros como uma consequência, geralmente a médio e longo prazo, do processo de mudança alimentar”.

“O foco da abordagem é auxiliar a pessoa a ter uma melhor relação com a comida e mudar seus comportamentos alimentares”, explica a especialista. Além disso, ela ressalta que “tanto o peso como medidas corporais e outros parâmetros clínicos como níveis de glicose e colesterol, por exemplo, não são comportamentos”, por isso não fazem parte do objetivo principal do processo.

Princípios e características da nutrição comportamental

Para contextualizar o foco da nutrição comportamental de maneira didática e breve, Nathalia revela alguns dos princípios. Acompanhe a seguir:

  • Compreender a alimentação de maneira integral: usando como referência o livro Nutrição Comportamental (2019), Nathalia esclarece que a proposta da abordagem é olhar para o ser humano de uma forma geral e inclusiva, entendendo tanto seus gostos quanto suas possibilidades pessoais de mudar a alimentação.
  • Permitir uma relação positiva com a comida: Nathalia conta que a categorização de alimentos entre bons x ruins, e saudáveis x não saudáveis, implica “em uma relação de amor e ódio com a comida, uma guerra interna toda vez que se tem que comer”. Nesse ponto, a profissional esclarece que a nutrição comportamental promove a ideia de que “todos os alimentos podem fazer parte de uma alimentação saudável”.
  • Compreender a fome e a saciedade: focando na boa relação com a comida, a nutrição comportamental visa auxiliar numa melhor compreensão das sensações de fome e saciedade, uma vez que isso pode se alterar tanto com o comer automático, sem perceber de forma genuína os alimentos que está ingerindo, como também na fome emocional, afetada por sentimentos de tristeza, ansiedade, alegria etc.
  • Priorizar saúde e bem-estar: justamente por pensar em todo o contexto de uma alimentação saudável, sem restrições alimentares, desenvolvendo uma boa relação com a comida, compreendendo as preferências e a subjetividade de cada pessoa, um dos princípios da nutrição comportamental é priorizar a saúde e o bem-estar de cada indivíduo.

Repensar sua alimentação de uma maneira positiva é fundamental para a saúde de uma maneira geral. Busque um profissional especialista no assunto para te auxiliar no processo de mudanças alimentares.

3 vídeos sobre nutrição comportamental para aprofundar seu conhecimento no assunto

Se interessou pelo assunto e quer descobrir mais coisas? Então confira os vídeos a seguir que falam de uma maneira simples e didática sobre como a nutrição comportamental pode te ajudar a melhorar sua relação com a comida!

Nutrição comportamental no processo de emagrecimento

Passando um panorama sobre a abordagem e despertando alguns questionamentos sobre os hábitos alimentares na sociedade, a nutricionista Laura Hofmeister explica como se dá a relação entre a nutrição comportamental e o emagrecimento.

Explicando a nutrição comportamental

Nesse vídeo, a nutricionista Annie Bello explica o que é o conceito de nutrição comportamental, seus princípios e como as técnicas são aplicadas no consultório. Além disso, a especialista aponta sobre as diferenças da nutrição convencional que comumente utiliza dietas prontas e/ou mais restritivas, não considerando a singularidade de cada pessoa.

Publicidade

Opinião pessoal de uma nutricionista sobre a NC

Além de explicar conceitualmente sobre o que é a nutrição comportamental, a nutricionista Antoniela Vieira abre o assunto falando sobre sua relação com a comida antes e depois de adotar o método em seu dia a dia, citando os benefícios e implicações.

Ainda há muito o que aprender sobre alimentação e até mesmo desconstruir determinadas crenças relacionas a comida. Uma forma de trabalhar com isso é cuidando da sua saúde mental.

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.