Azia: é possível evitá-la? Conheça suas causas e tratamentos

Ela geralmente é causada pelo refluxo, que é o retorno do conteúdo do estômago para o esôfago

Escrito por Tais Romanelli

Foto: Thinkstock

Você já sentiu, ao menos uma vez, um grande desconforto e uma queimação que parecia subir do abdome até sua garganta?! Pois bem, você já sofreu então com a azia – sensação de nome bastante conhecido, mas que pouca gente sabe, de fato, o que representa.

Abaixo você confere todas as informações sobre a azia, quais são suas causas, tratamentos, bem como orientações importantes de como evitar esta sensação incômoda. Vale a pena conferir!

O que é azia?

Alexandre Sakano, gastroenterologista do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim, explica que azia é a sensação de queimação no peito e no abdome na região do estômago, que se irradia do final do esterno (na chamada boca do estômago) até a base do pescoço, podendo atingir até a garganta.

Principais causas

A azia, de acordo com Sakano, em geral, é causada pelo refluxo, que é o retorno do conteúdo do estômago para o esôfago, órgão que leva a comida da boca até o estômago.

O gastroenterologista explica que, normalmente, temos um músculo que fecha a passagem do esôfago para o estômago e que impede esse refluxo. “No caso de refluxo, esse músculo deixa de ser eficaz permitindo o retorno do alimento do estômago para o esôfago, causando a azia”, diz.

Quando procurar ajuda médica?

De acordo com Sakano, azia ocasionalmente é normal. “E todos nós podemos ter, após os excessos como comer alimentos mais ‘pesados’, comida gordurosa, bebida alcoólica em excesso etc.”, diz.

Porém, quando os sintomas passam a ficar muito frequentes, ainda de acordo com o médico, pode-se estar diante de uma pessoa portadora de doença do refluxo gastro esofágico. “Ela necessita, neste caso, de uma avaliação médica e exames diagnósticos para esclarecer melhor as causas do refluxo”, destaca.

Tratamentos para a azia

Foto: Thinkstock

Para os casos de azia ocasional, de acordo com Sakano, medicamentos comuns, vendidos sem a necessidade de prescrição em farmácias, como antiácidos, podem ajudar.

No caso da doença do refluxo gastroesofágico, passa a ser necessário o uso de medicamentos específicos para a doença, que devem ser prescritos após uma avaliação médica, conforme explica o gastroenterologista Sakano. “Esses medicamentos podem ser utilizados por períodos curtos, até que se observe a melhora dos sintomas ou, em casos mais intensos, mantidos por longos períodos”, diz.

Em alguns casos, destaca o médico, a cirurgia para correção do refluxo pode ser realizada, com ótimos resultados.

Receitas caseiras que podem ajudar a aliviar a azia

Ainda de acordo com Sakano, quando a azia é ocasional, tratamentos ditos caseiros, como beber leite e sucos de alguns tipos de vegetais, acabam sendo eficazes, atuando como antiácidos naturais. Confira abaixo algumas dicas neste sentido. Vale a pena anotar:

  • A hortelã é uma planta muito digestiva. Para evitar a azia, vale a pena incluí-la na alimentação diária. Uma dica é tomar 100 ml de chá de hortelã (sem adoçar) logo após as refeições, para auxiliar a digestão dos alimentos.
  • Também para ajudar a aliviar a azia o chá de hortelã é uma boa opção.
  • Para diminuir a azia, pode-se comer uma bolacha de água e sal, que vai absorver o ácido gástrico, facilitando a digestão dos alimentos.
  • Outra sugestão é, em vez da bolacha, comer pedacinhos de miolo de pão.
  • Beber leite, que é uma substância alcalina, durante o momento da crise, tem o poder de tamponar o ácido e melhorar a azia.
  • A mistura de meio copo de água com uma colher de bicarbonato de cálcio também pode ajudar a aliviar a azia. Isso porque ele é alcalino e neutraliza o excesso de ácido clorídrico do estômago.
  • Tomar um suco de pera feito na hora é um bom “remédio caseiro” contra a azia. Isso porque a fruta é rica em fibras e consegue diluir o ácido estomacal, aliviando o desconforto.

Como evitar a azia

Foto: Thinkstock

Para evitar a azia, Alexandre Sakano passa algumas orientações:

  • O ideal é evitar as refeições muito volumosas;
  • Evitar comidas de digestão mais lenta;
  • Evitar bebidas alcoólicas em excesso.

Ainda de acordo com o médico, nos portadores da doença do refluxo, é necessário:

  • Não fazer refeições muito volumosas, sendo o ideal comer pouca quantidade de cada vez, várias vezes ao dia;
  • Evitar comer e deitar logo em seguida;
  • Evitar alimentos ácidos, apimentados ou muito condimentados.

“Alguns alimentos pioram o refluxo pois relaxam a musculatura que fecha a passagem do esôfago para o estômago, tornando a passagem mais frouxa, o que piora o sintoma. Esses alimentos são, por exemplo: chás, café, bebidas alcoólicas”, destaca Sakano.

Azia x refluxo x gastrite

A verdade é que muitas pessoas já sentiram uma queimação no estômago algum dia. Porém, nem todas souberam identificar o motivo dessa sensação incômoda. Existe muita confusão, por exemplo, entre a definição do que é azia, refluxo e gastrite. Por isso é bastante importante conhecer o significado de cada uma dessas palavras.

Gastrite é definida como uma inflamação aguda ou crônica da mucosa que reveste as paredes internas do estômago. A dor da gastrite é circunscrita, começa na região epigástrica, logo abaixo do esterno. De forma geral, a queixa é de dor na boca do estômago, que pode vir ou não acompanhada de azia.

A azia, como já foi mencionada, é um sintoma que pode estar sendo causado pelo refluxo. “Pacientes que apresentam sintomas de azia com frequência mínima de 2 vezes por semana, com duração de 4 a 8 semanas, devem ser considerados possíveis portadores da doença do refluxo gastroesofágico”, explica Sakani.

Agora você já tem as principais informações sobre o assunto e sabe que, quando os quadros de azia se tornam muito frequentes, é importante procurar um médico, que fará uma avaliação completa e poderá indicar o melhor tratamento para o seu caso.

Para você