10 alimentos que os nutricionistas gostariam que você não comesse

Alguns parecem saudáveis, mas podem conter substâncias que fazem mal e causam doenças

Escrito por Mariana Bueno

Foto: iStock

Muita gente nem imagina, mas há alimentos que parecem saudáveis ou que estão presentes no dia a dia e que podem ser perigosos para a saúde. Alguns não possuem controle de segurança adequado e, por isso, não são consumidos – e nem indicados – por nutricionistas.

De acordo com estudos realizados no Centro de Controle de Doenças nos Estados Unidos (Center for Disease Control), milhões de pessoas ficam doentes devido a problemas transmitidos pelos alimentos.

Emobra seja muito difícil para os pesquisadores encontrarem a causa dessas doenças, já se sabe que alguns alimentos devem ser evitados. Veja quais são:

1. Leite não pasteurizado

Foto: iStock

O leite “cru” não pasteurizado e seus derivados podem estar contaminados com vírus, parasitas e bactérias. Os alimentos crus são 150 vezes mais propensos a causar doenças do que os produtos lácteos pasteurizados. Por isso, é sempre importante verificar esta informação no rótulo.

2. Molhos enlatados

Foto: iStock

Os alimentos enlatados são perigosos devido ao revestimento das latas, que pode conter um produto químico tóxico que tem sido associado à problemas cardíacos, diabetes e obesidade. A melhor opção é comer frutas e vegetais frescos, especialmente os ácidos, como o tomate.

Leia também: 10 alimentos que parecem saudáveis mas não são

3. Brotos de feijão

Foto: iStock

De acordo com especialistas, os brotos de feijão crus, como é o caso da alfafa ou da soja, podem estar ligados à infecções bacterianas. Mas, quando cozidos, não existe esse risco.

4. Refrigerantes

Foto: iStock

Eles estão diretamente relacionados à obesidade e, além do aumento de peso, também aumentam a possibilidade de desenvolver problemas cardiovasculares ou diabetes tipo 2. A recomendação da OMS (Organização Mundial de Saúde) é de consumir no máximo 50 gramas de açúcar por dia, mas um refrigerante contém em média 35 gramas.

5. Ostras e moluscos crus

Foto: iStock

Os moluscos, e em particular as ostras, são a causa de muitos envenenamentos. As ostras coletam tudo o que está na água e, por isso, absorvem muitas bactérias que podem ser passadas para o corpo humano. Os especialistas dizem que não vale a pena o risco.

6. Maçãs

Foto: iStock

As maçãs costumam ser cultivadas individualmente para que cada variedade mantenha seu sabor característico. Por isso não desenvolvem resistência a pragas e frequentemente recebem pesticidas e toxinas que já estão começando a ser associados a doenças como o Parkinson. É melhor comer maçãs orgânicas. Se não for possível, a recomendação é lavá-las bem com sabão neutro e uma escova ou descascar antes de comer.

7. Ovos crus ou semi-cozidos

Foto: iStock

Muitos nutricionistas afirmam que o valor nutricional do ovo é alto, mas, por outro lado, é um dos alimentos mais perigosos, já que pode estar infectado com o vírus Salmonella, causador de diversos problemas para a saúde.

Leia também: Como aproveitar os nutrientes dos alimentos ao cozinhar

8. Batatas não orgânicas

Foto: iStock

Elas costumam ser tratadas com fungicidas e herbicidas. Por isso a melhor opção é comprar batatas orgânicas, já que, nesse caso, a lavagem não é suficiente para eliminar os produtos químicos que foram absorvidos.

9. Pipoca de micro-ondas

Foto: iStock

De acordo com um estudo realizado na Universidade da Califórnia em 2009, o revestimento de um saco de pipoca para micro-ondas contém substâncias químicas que podem estar ligadas à infertilidade em seres humanos. Testes mostraram também que essas substâncias danificam o fígado e podem causar problemas testiculares e câncer de pâncreas. Isso pode ser evitado usando grãos de pipoca orgânicos e fazendo sempre em uma panela.

10. Soja

Foto: iStock

O problema com a soja é que a grande maioria é transgênica, o que pode causar danos ao DNA e aos cromossomos dos mamíferos e também às células humanas. Portanto, não é aconselhável consumi-la, a menos que seja de forma fermentada.

Todas essas orientações são importantes porque, embora alguns desses alimentos sejam conhecidos por serem saudáveis, eles podem, também, desencadear problemas sérios. Portanto, é preciso cautela.

Leia também: Alimentação saudável: hábitos e receitas para uma vida melhor

Assuntos: Alimentação

Para você