COLUNA

Os presentes de natal mais criativos dos amantes

Dicas de Mulher

Se você é aquela pessoa que tem dificuldade em presentear, talvez deva pensar mais no valor das coisas - e não no preço!

O final de ano é marcado pela correria: viagens, férias, família e… presentes! Tem gente que ama presentear e, para esses, é sempre fácil e divertido passar pelas procissões em busca daquilo que vai agradar quem mais se ama. Para outras pessoas, é um verdadeiro pesadelo decidir entre as infinitas possibilidades de agrado, ainda mais se o orçamento estiver curto!

Dar presentes é uma linguagem de amor, e isso não necessariamente tem a ver com o custo dedicado ao ato. Sendo o investimento financeiro maior ou menor, o que vai definir um bom presente para o seu par é o sentido envolvido naquilo.
Um chinelo de dedo pode ter mais valor do que um tênis caro, se nesse chinelo encontrarmos uma história engraçada, uma necessidade específica ou uma estampa especial.

Dar presentes tem muito a ver com estar atento

Estou aqui pensando se há presentes que agradam a gregos e troianos. Imaginei que um carro deve agradar qualquer pessoa, uma viagem cara, ou um celular… De repente me lembrei de uma amiga que reclamou do presente do marido: ela ganhou um carro, completamente diferente do que ela estava planejando comprar. A queixa era que ele não prestou atenção em nada do que ela vinha dizendo nos últimos meses. Seria minha amiga a mais ingrata das mulheres? Ou será que de fato os presentes se tornam mais assertivos quanto mais observamos o desejo da pessoa que amamos?

As pessoas falam o tempo todo sobre o que elas querem. Descrevem detalhadamente a tão sonhada viagem, ou mesmo uma roupa que viram na vitrine há alguns dias. Falam sobre a necessidade de um novo quadro na parede tão vazia, ou mesmo um caderno para voltar a escrever. Muitas vezes, os pedidos vêm atravessados nas reclamações: “só tenho pijama velho!”. Ou nas justificativas: “estou sempre atrasada porque perdi meu relógio!”. Basta estar atento para ouvir, porque as coisas estão sempre atreladas às palavras…

Experiências sensoriais, encontros e memórias

O amor está ligado ao prazer, não é mesmo? E se tem uma coisa que é gostosa de se fazer a dois é… comer! Ao invés de presentear quem você ama com uma caixa de bombons ou um vinho caro, que tal proporcionar um jantar privativo? A ceia de natal, que costuma ser obrigatoriamente em família, pode ser trocada por um encontro a sós.

Publicidade

E se a tradição não puder sair de cena, o natal pode ser dividido em dois dias: um com a família e outro com o seu par romântico. Aqui o mais importante é construir um natal que seja simbólico para ambos. O que gostaríamos de comer? Que tal prepararmos juntos? Isso pode se transformar em um momento importante para o casal, compondo novos costumes íntimos. E é claro que o jantar pode terminar muito melhor do que o jantar na casa da avó… E aqui ainda incrementamos o presente com itens eróticos!

Passeios também podem entrar no jogo. Você pode presentear seu amor com um cartão, que conste data e horário para um date, um piquenique, um café ou uma viagem curta. Aqui, a criação de memórias é o objetivo, já que vocês poderão explorar novos lugares juntos.

E falando em memórias, por que não dar mais atenção aos registros? Resgatar bons momentos e montar um álbum de fotografias é uma ótima forma de demonstrar a quem você ama o quanto você valoriza o que passaram juntos. E você ainda pode deixar, ao final, várias folhas em branco para que com o tempo vocês preencham as novas páginas.

E, por fim, tudo pode ser mais fácil se você se desprender do elemento “surpresa”. Nem todos os presentes precisam ser uma surpresa ou algo inesperado. Chamar quem você ama para ir às compras, ver vitrines e trocar presentes pode ser uma ótima saída para quem está sem criatividade. Ao contrário de fazer aquela pergunta broxante, “o que você quer ganhar de natal?”, você pode propor algo sincero e divertido: “que tal descobrirmos juntos o que queremos de natal?”.

Sempre importante lembrar: ninguém nasce sabendo tudo sobre relacionamentos, nem sobre presentes de natal. Não se cobre tanto e lembre-se de que o conhecimento sobre quem você ama é uma construção diária!

* Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Dicas de Mulher.

Sexóloga e psicanalista, graduada em Psicologia e em Letras, com Mestrado e Doutorado em Linguística e Pós-Graduada em Sexualidade Humana. Dedica sua carreira à educação sexual, empoderando mulheres para desejar e viver com mais prazer e menos tabus. É idealizadora do Podcast Vulvas no Divã, ama comunicação, viagens, linguagens, esportes e artes.