Pressão estética e medicamentos para emagrecer podem ter levado Paulinha Abelha à morte

Assim como muitas mulheres brasileiras, cantora do Calcinha Preta pode ser mais uma vítima da pressão estética, entenda o caso

Publicado por
Atualizado em 08.03.22

Paulinha Abelha

Por
Em 02.03.22 às 15:36

Paulinha Abelha, cantora brasileira, integrante da banda Calcinha Preta, morreu dia 23 de fevereiro, no entanto, a causa da morte ainda é misteriosa. A maior suspeita da indisposição que levou ao falecimento da cantora é do uso indiscriminado de chás para emagrecimento e diuréticos.

Publicidade

A cantora ficou 12 dias internada no Hospital Primavera, em Aracaju. Os primeiros relatos eram que a cantora estava com problemas renais, mas a causa ainda era desconhecida. Após a morte, foi confirmado pelos médicos que Paulinha estava fazendo tratamento para emagrecimento receitado por uma nutróloga.

Clevinho Santos, marido de Paulinha, em reportagem para o Fantástico, relatou que a mulher utilizava os medicamentos sempre com orientação de um profissional de saúde, porém isso não garante que não haveria nenhum risco. Tanto que, na véspera da internação, a artista havia parado de urinar.

Em entrevista para o Globo, o nefrologista Pedro Túlio Rocha apontou que o uso dessas ervas medicinais pode aumentar dos problemas renais. Além de haver grande risco de atingir o fígado e ter problemas hepáticos. Salientou ainda que, no caso de Paulinha, provavelmente “o abuso levou a um quadro de falência renal”.

Pressão estética e os remédios para emagrecimento

A pressão estética é uma das causas que fazem milhares de mulheres todos os anos buscarem formas de emagrecer. Ainda mais mulheres famosas que estão no holofote da mídia. Assim como medicamentos, sempre há possibilidade de ter efeitos colaterais gravíssimos, podendo levar à morte, como no caso da cantora.

De acordo com uma pesquisa realizada em 2019 pelo Instituto Sophia Mind, em média 56% das mulheres brasileiras não estavam contentes com seus corpos, mas esse número já foi pior, chegando a cerca 90% há dez anos.

As redes sociais têm feito contribuições significantes para questionar padrões de beleza, mas ainda há, sobretudo no caso de famosas, uma pressão para que estejam sempre magras e em forma. Os corpos constantemente vigiados a cada nova aparição. Diante disso, recorre-se a soluções nem sempre seguras, como parece ser o caso de Paulinha Abelha.