Influencer desconstruidão, João Marques, plagia psicóloga e professora da UnB

Trabalho de 25 anos da pesquisadora Valeska Zanello foi plagiado por influencer que produz conteúdo sobre masculidades tóxicas

Publicado por
Atualizado em 08.03.22

REPRODUÇÃO / INSTAGRAM

Por
Em 04.03.22 às 15:31

A internet parou com as acusações da psicóloga e professora do departamento de Psicologia Clínica da Universidade de Brasília (UnB), Valeska Zanello, em que fala abertamente em um post sobre como seu trabalho de anos foi plagiado pelo influenciador e estudante João Marques, que se autointitula escritor, palestrante e pesquisador.

Publicidade

João possui mais de 200 mil seguidores no Instagram e cria conteúdo sobre masculinidade tóxica, machismo e outros assuntos desse universo. A psicóloga disse que houve mais de uma ocasião que o influenciador teria plagiado seu trabalho de forma idêntica, sem mudar sequer uma palavra e sem dar nenhum crédito a ela. No Instagram, a pesquisadora relatou a experiência:

“Tenho 25 anos na psicologia e muita estrada de estudo e pesquisa para escrever o que eu escrevi. Mas, claro, o alecrim dourado, num raio intuitivo, teve aquela ideia do nada. Inclusive usando as MESMAS palavras. Por que é tão difícil para um homem referendar o trabalho de uma mulher? Isso tem um nome: misoginia”.

Esse questionamento de Valeska é superválido e existe até mesmo um termo em inglês que define o ato, o bropriating. Mas afinal, o que isso quer dizer? A partícula “bro” vem da palavra “brother”, ou seja, irmão, homem e “priating” seria uma abreviação da apropriação, ou seja, é quando um homem se apropria do estudo, ou ideias de uma mulher.

Não é um simples caso de plágio, é também uma violência de gênero, segundo a psicóloga. Ela descobriu há um ano e meio sobre o plágio de seu trabalho de pesquisa sobre grupos masculinos de WhatsApp no Brasil, sendo as falas idênticas.

Valeska ainda relatou que suas seguidoras procuraram pelo influenciador para informar sobre a origem do material, mas foram bloqueadas por ele. Veja o desabafo completo que a pesquisadora fez em sua rede social:

Publicidade

Ser mulher na ciência já é um trabalho árduo, ainda mais quando se trata de reconhecimento. Ver seu trabalho sendo plagiado de maneira tão óbvia é revoltante. Por fim, na legenda do seu post, Valeska disse: “Diga NÃO ao apagamento das mulheres na ciência e na produção de conhecimento!!!”.