Moda e Beleza

“A ideia nasceu de uma dor própria”, conta Thaís Ramos, criadora da marca De Benguela, que valoriza cabelos crespos

Thais Ramos, idealizadora da marca De Benguela / Divulgação

Em entrevista, empresária conta sua trajetória profissional e dá detalhes sobre a marca que já conquistou mulheres como Taís Araújo

Em 15.07.22

Novas marcas surgem a todo momento no mercado, mas nem sempre possuem foco em um determinado público. Quando se fala em cabelos, são encontradas muitas opções para os lisos e ondulados, porém as cacheadas e crespas, até pouco tempo atrás, precisavam pesquisar mais para encontrar itens ideias para os seus fios.

Publicidade

Nos últimos anos, as mulheres têm se sentido à vontade para assumir seus cabelos reais, abandonando as químicas e a chapinha. Até porque, não existe um tipo de fio melhor que o outro, todos têm sua beleza e merecem receber os cuidados e tratamentos adequados.

Foi exatamente em uma situação de transição capilar que Thaís Ramos criou a marca De Benguela, inspirada na quilombola Tereza de Benguela. Ela percebeu que existem poucos produtos focados nas cacheadas e crespas durante o processo. Então, enxergou uma oportunidade de mercado, no qual poderia falar com um público específico que deseja, sim, cuidar das madeixas e aproveitá-las ao natural.

Em entrevista ao Dicas de Mulher, a empreendedora conta um pouco sobre trajetória profissional e dá detalhes sobre a marca que já é um sucesso, tendo conquistado famosas como a atriz Taís Araújo. Confira!

Dicas de Mulher – Como surgiu a ideia de uma marca especializada em cabelos crespos?

Thaís Ramos – A ideia nasceu de uma dor própria, a minha transição capilar. Eu tive o meu cabelo alisado desde os 6 anos de idade, com quase 30 eu estava com o meu cabelo totalmente fragilizado e com início de alopecia. Desolada e preocupada com a minha situação capilar, e acompanhando o sofrimento da transição da minha melhor amiga, encontrei a solução de alongamentos capilares naturais, em texturas crespas e cacheadas em lojas dos Estados Unidos. A verdade é que achei injusto resolver a minha situação e não contribuir com outras mulheres que pudessem estar sofrendo, assim como eu.

Você poderia contar um pouco da sua trajetória profissional e das suas origens?

Eu nasci em São Paulo e com 14 anos imigrei para a Espanha, junto com a minha mãe, em Madri terminei o colegial e me formei em direito. Em 2011, após 12 anos morando na Espanha, voltei para o Brasil e abri meu primeiro negócio, uma agência de intercâmbio estudantil com o foco em democratizar o estudo de idiomas, tornando o intercâmbio algo acessível a todos. Em 2016 nasceu a De Benguela, a primeira empresa do Brasil especializada em alongamentos e apliques de cabelos crespos e cacheados naturais, unicamente no formato de loja online. Em 2018, abrimos a primeira loja física na cidade de Curitiba, onde fica também a nossa sede. Em 2019, devido ao rápido crescimento da De Benguela, eu e o meu sócio vendemos a agência de intercâmbio estudantil para nos dedicarmos 100% à De Benguela. Por fim, em 2021, abrimos o nosso primeiro quiosque no shopping Metrô Tatuapé (São Paulo), um dos formatos escolhidos para expansão da marca.

Como a líder quilombola Tereza de Benguela se tornou sua inspiração?

Lá atrás, em 2015, quando eu estava sofrendo por conta da minha situação capilar, um fator determinante para que decidisse mudar o rumo do meu futuro e entrar no mundo da beleza foi um sonho que a minha mãe teve. Ela sonhou que eu tinha que abrir uma loja para mulheres negras chamada Tereza de Benguela, sendo que este sonho ela teve antes de que eu contasse as ideias que estavam vindo a minha mente. Este sonho foi determinante para que a De Benguela nascesse, pois, ao conhecer a história dela, me senti ainda mais inspirada para fazer algo que elevasse a autoestima de outras mulheres como eu.

Publicidade

Qual é o foco atual da De Benguela, tanto enquanto empresa quanto em termos de representatividade?

O nosso foco sempre foi contribuir com a autoestima e promover a reconciliação de crespas e cacheadas com os seus cabelos. Atualmente, a expansão e trazer novos produtos para o mercado é o objetivo maior. Desde 2016, sempre buscamos inovar com produtos de qualidade inexistentes ou de difícil acesso no Brasil e continuamos com esse objetivo e essa responsabilidade com nossas clientes.

Quais foram seus maiores desafios para desenvolver a marca?

Criar e formatar do zero uma marca única no Brasil, sem referências, com muitas barreiras para quebrar e sem uma equipe de marketing por trás trabalhando nisso. Eu sabia que precisava criar uma marca forte e que seria um trabalho minucioso e de anos, mas estava disposta e segura de mim mesma nesse sentido.

Como foi a recepção no mercado, logo após o lançamento? Em algum momento você teve medo da reação das pessoas?

A recepção inicial foi muito boa, passaram 4 dias desde que inauguramos o site até receber o primeiro pedido, os depoimentos eram muito positivos em relação ao produto e à nossa comunicação. O primeiro ano superou as minhas expectativas em relação à compra e recompra dos produtos que tinha na época (o segundo e o terceiro ano também).

Você teve ajuda no desenvolvimento da marca? Pode contar quem foram essas pessoas e como elas impactaram no processo?

Não tive nenhuma ajuda, eu sozinha fiz todo o planejamento e a formatação de cada detalhe para trabalhar na marca De Benguela, para não ser somente uma loja que vende cabelo. Foi um trabalho milimétrico de anos na nossa comunicação interna com as funcionárias, em cada detalhe do nosso material audiovisual nas redes sociais, no nosso blog, nos produtos que comercializamos… enfim, um trabalho duro, de muita responsabilidade e que aos poucos foi se concretizando.

Como você se sente ao ver o resultado do projeto?

Sinto muito orgulho porque investi muito tempo e esforço em formatar o projeto. Passei meses pesquisando, viajando por vários países para conhecer fornecedores, fazendo cursos, e mesmo com o produto e o site prontos, não iniciei até ter todo o check list completo tal e como tinha planejado. Um exemplo que gosto muito de lembrar é sobre a loja de São Paulo, que abrimos em 2021. Foi um projeto que planejamos em 2017, formatamos tudo, mas esperamos o momento certo para executar, pois tem muitos fatores para ter em conta e não podemos nos permitir falhas com as nossas clientes, queremos sempre dar o melhor para elas.

Publicidade

Pensa em ampliar a marca e trazer mais produtos e serviços para cabelos crespos? Se sim, quais seriam e porque a escolha de focar neles?

Sim, estamos trabalhando simultaneamente em vários projetos e serviços. Sempre buscamos formas de melhorar, crescer, ampliar e principalmente oferecer mais e melhores produtos e serviços para as nossas clientes. Infelizmente ainda não posso contar muitos detalhes, mas posso adiantar que ainda neste ano lançaremos uma linha de cosméticos que estamos desenvolvendo há dois anos.

Escritora com 8 livros publicados e apresentadora de um programa de rádio sobre literatura nacional, o Capivaras Leitoras. Ama ler, viajar e passar um tempo com a Buffy, sua cachorrinha vira-lata.