Micose de unha: entenda o que é, como prevenir e tratar

Escrito por Lia Nara Bau

iStock

A micose de unha é uma infecção que deixa a unha amarelada, grossa e deformada. Ela não costuma causar dor ou incômodos, mas seu aspecto é bastante característico.

A dermatologista Cíntia Pessin explica que micose da unha é a forma como chamamos a infecção da unha causada por fungos, a onicomicose. Entenda melhor o que é a micose de unha, como prevenir e tratar este tipo de infecção.

Sintomas

  • Espessamento da unha
  • Fragilidade da unha, o que a deixa quebradiça
  • Distorções no formato da unha
  • Perda do brilho, deixando-a opaca
  • Escurecimento da unha
  • Descolamento da unha em relação à pele

Os principais sintomas da micose de unha, de acordo com Cíntia, são a alteração na coloração da unha (que torna-se mais opaca ou amarelada), o espessamento e o descolamento da placa ungueal.

Formas de contágio

iStock

Cíntia explica que a micose da unha pode ser transmitida através do contato com instrumentos contaminados (como cortador de unhas, lixas e até esmalte) ou por microtraumatismos nas unhas que favorecem a proliferação dos fungos.

Leia também: Unhas decoradas: 400 fotos e tutoriais para você saber tudo sobre nail art

  • Compartilhar materiais: manicures e salões de beleza devem utilizar materiais descartáveis e esterilizados para evitar o contágio.
  • Andar descalço: caminhar descalço em piscinas ou banheiros públicos, por exemplo, pode facilitar o contágio.
  • Sapatos apertados: a constante agressão do calçado com a unha do pé também pode causar a micose.

Ficar com os pés úmidos e em contato com ambientes compartilhados é uma das formas mais comuns para o aparecimento da micose de unha.

Tipos de micose de unha

  • Onicomicose subungueal distal: é a forma mais comum de micose e se caracteriza pela infecção da ponta da unha, estendendo-se posteriormente em direção à cutícula.
  • Onicomicose subungueal proximal: é semelhante à distal, porém sua progressão é oposta, iniciando próxima à cutícula e estendendo-se em direção à ponta da unha.
  • Onicomicose superficial branca: forma de micose mais comum em crianças, caracteriza-se por manchas brancas na unha, normalmente próximas à cutícula, mas que podem se espalhar por toda a unha.

Há diferentes tipos de micose de unha e diferentes espécies de fungos que causam essa doença. “A forma de onicomicose mais frequente é a distal lateral (ou seja, a alteração inicial ocorre na parte mais distal e numa das laterais da unha) e o fungo que mais causa micoses de unha é o Tricophyton rubrum“, ensina Cíntia.

Fatores de risco

iStock

Traumas frequentes (provocadas pelo uso de calçados apertados, atividade física com muito impacto, como futebol e corrida), uso frequente do mesmo calçado ou meias e manter os pés úmidos são alguns deles, segundo Cíntia. Além disso, algumas doenças, como diabetes, também favorecem o surgimento de onicomicose. A idade também é um fator de risco: pessoas com mais de 50 anos costumam ter mais micose de unhas.

  • Diabetes: o diabetes favorece o surgimento de micoses nas unhas.
  • HIV: pela baixa da imunidade, o HIV também é um fator de risco.
  • Idade: as micoses de unha são mais comuns em pessoas com mais de 50 anos.
  • Problemas imunológicos: pessoas com o sistema imunológico comprometido têm mais tendência a ter micose de unha.
  • Problemas de circulação: a falta de circulação pode afetar a micose de unha.
  • Traumas: provocados por sapatos apertados ou esporte de alto impacto favorecem o surgimento de micoses.

Tratamento para micose

O tratamento indicado irá depender do grau de comprometimento e do número de unhas afetadas. “O tratamento pode ser tópico (uso de soluções ou esmaltes antifúngicos) ou sistêmico (uso oral de antifúngicos)”, cita Cíntia.

Um dos remédios mais comuns, neste caso, tem sido o Fluconazol. Cíntia enfatiza que ele é uma das opções de tratamento via oral, mas nem sempre é o mais indicado. “Quando bem indicado (principalmente para alterações por fungos do gênero Candida), tem boa eficácia. Como o tratamento pode ser necessário por alguns meses, pode ser um pouco oneroso.” O ideal é nunca utilizar antifúngicos (seja tópicos ou sistêmicos) sem supervisão médica.

Leia também: 5 sinais que as nossas unhas da mão podem dizer sobre nossa saúde

Remédios caseiros para micose de unha

  • Óleo de cravo-da-índia: aplica-se 2 a 3 gotas na unha afetada pelo menos 2 vezes ao dia. O cravo-da-índia possui ação antifúngica e cicatrizante.
  • Vinagre de maçã: da mesma forma, o vinagre de maçã também é um excelente antifúngico e pode ser aplicado diretamente na unha.
  • Água oxigenada: possui propriedades antissépticas. Mergulhe a unha afetada em uma solução de água oxigenada a 3% e água nas mesmas proporções, por cerca de 30 minutos.
  • Alho: o alho é ótimo por ser antimicrobiano e antifúngico. Coloque 1 dente de alho dentro de um frasco de clorexidina ou Merthiolate e passe a mistura 3 vezes ao dia.
  • Hortelã: escaldar os pés com chá de hortelã ajuda a combater a micose. Mergulhe os pés no chá por 20 minutos.

Algumas substâncias caseiras podem ajudar a evitar a contaminação por fungos. O vinagre, por exemplo, é uma substância comprovadamente eficaz como coadjuvante no tratamento de micoses de unhas iniciais, segundo Cíntia.

Prevenção da micose de unha

iStock

Os métodos para prevenção da micose de unha são eficazes e extremamente simples: manter os pés sempre secos, não reutilizar meias sem lavar, não utilizar o mesmo calçado em dias seguidos, evitar compartilhar utensílios de unhas (como lixas e cortadores). “Deve-se ainda dar preferência para o uso de calçados com meias (preferencialmente de algodão) e deixar os calçados arejando por 24 horas após o uso.”

  • Usar chinelos em ambientes compartilhados, como piscinas e banheiros públicos.
  • Secar bem os pés e o corpo antes de se vestir.
  • Evitar o uso de cremes gordurosos.
  • Não usar pomadas sem orientação médica.
  • Não compartilhar materiais de manicure e pedicure.
  • Não usar calçados sem meias e não utilizar o mesmo sapato em dias seguidos.

Embora a micose de unha seja uma infecção simples, ela precisa de tratamento, quando diagnosticada. Procure sempre a orientação de um médico dermatologista, que poderá lhe prescrever o melhor tratamento.

Dicas pela Web