Como escolher o melhor método anticoncepcional para você

Escrito por                    
Em 01.04.22

Envato

Por                                
Em 01.04.22

Ao escolher um método contraceptivo, é importante considerar suas vantagens e desvantagens. O método precisa se adequar à sua personalidade e ao seu estilo de vida. Para isso, a Dra. Priscila Beatriz Silvério, ginecologista e mastologista, explica como escolher o melhor anticoncepcional. Confira!

Publicidade

Índice do conteúdo:

Como escolher o melhor anticoncepcional para você?

Ao falar sobre métodos anticoncepcionais, é preciso lembrar que os contraceptivos têm a função de evitar uma gravidez indesejada. Além disso, alguns métodos oferecem proteção contra as infecções sexualmente transmissíveis.

Antes de escolher o método ideal para você, a Dra. Priscila ressalta que “é importante levar uma série de questões em consideração. Dentre esses pontos, a especialista cita “problemas de saúde, se há ou não o desejo de gestação futura, se a paciente deseja ou não hormônios, como é o fluxo menstrual, se teria problemas não menstruar e a disciplina para tomar uma medicação diariamente”.

Por isso, a Dra. Priscila enfatiza que é “muito importante que a escolha do melhor anticoncepcional seja feita em conjunto com o ginecologista”.

Tipos de anticoncepcional

Para te ajudar nessa decisão, a Dra. Priscila elenca os principais métodos anticoncepcionais e comenta sobre os pontos positivos e negativos de cada um:

Camisinha

É um dos métodos mais utilizados pelos brasileiros, com versão feminina e masculina. Segundo a ginecologista, as camisinhas são “conhecidas como método barreira e elas protegem de IST’s e gravidez, quando são utilizadas da maneira correta”.

Vantagens: fácil de ser encontrada; baixo custo; protege de IST’s.

Desvantagens: baixa eficácia (caso não seja usada e armazenada da maneira correta); precisa ser usada desde o início do ato sexual; só é compatível com lubrificantes à base de água.

Pílula anticoncepcional

Também conhecidas como contraceptivos hormonais orais, as pílulas anticoncepcionais podem ser compostas “por 1 tipo de hormônio (progestágeno) ou 2 tipos (estrogênio + progestágeno)”, explicou a ginecologista. É importante dizer que a pílula pode melhorar sua pele e até mesmo resolver alguns problemas com relação ao seu ciclo e fluxo de menstruação. Entretanto, todo método que utiliza hormônios pode conter alguns riscos.

Publicidade

Vantagens: alta eficácia contra gravidez (quando usada da maneira correta); é benéfica para a saúde da mulher; facilidade para começar a usar e para parar.

Desvantagens: precisa de disciplina para usar; aumenta o risco de doenças tromboembólicas; retém líquido no corpo; não protege de IST’s.

Anel contraceptivo

Segundo a Dra. Priscila, o anel contraceptivo hormonal é “composto por estrogênio e progestágeno. Ele é colocado dentro da vagina, com duração de 3 semanas”. A ginecologista também lembra que “muitas mulheres não se sentem confortáveis em manipular a própria vagina”. Sendo assim, é importante enfatizar que o anel só vai funcionar se for colocado da maneira correta.

Vantagens: não precisa de disciplina rigorosa; não interfere na relação sexual; é fácil de inserir e retirar.

Desvantagens: não protege de IST’s; não possui um bom custo-benefício; a mulher precisa lembrar de retirar depois de 3 semanas.

Injetável hormonal

A ginecologista explica que há dois tipos de injetáveis hormonais: “o primeiro é mensal, pois é composto por estrogênio e progestágeno; já o segundo é trimestral, sendo apenas composto por progestágeno”. Sendo assim, esse método é ótimo para mulheres que não querem muita disciplina para fazer o uso de métodos anticoncepcionais.

Vantagens: é uma opção para mulheres que são contraindicadas de fazer o uso de estrogênio; não precisa de disciplina rigorosa; redução do fluxo menstrual.

Desvantagens: não protege de IST’s; pode causar dor de cabeça e alteração de humor; não é uma boa opção para mulheres que tem medo de agulha.

DIU de cobre

O DIU de cobre é uma ótima opção para as mulheres que não querem muita disciplina e que também não fazem questão de usar hormônios. A Dra. Priscila conta que “é um método de longo prazo, pois dura entre 3 e 10 anos, mas só é possível colocar no consultório ginecológico”.

Vantagens: livre de hormônios; longa duração (de 3 a 10 anos); pode ser usado durante a amamentação.

Publicidade

Desvantagens: não protege contra IST’s; dor e desconforto para a inserção; pode causar aumento de sangramento e/ou cólicas.

DIU hormonal

O DIU hormonal tem os mesmos benefícios do DIU de cobre. Segundo a ginecologista, a diferença é que “ele é composto por progestágeno, auxiliando na redução do fluxo menstrual e até mesmo, em alguns casos, provocando a amenorreia”. Se você é uma pessoa que se importa com seu ciclo menstrual e não gosta de irregularidades, talvez esse não seja o seu DIU ideal.

Vantagens: longa duração (5 anos); redução do fluxo menstrual; bom para mulheres com endometriose.

Desvantagens: não protege contra IST’s; dor e desconforto para a inserção; mais caro que o DIU de cobre.

Implante hormonal

A Dra. Priscila explica que o implante hormonal “também é composto por progestágeno e atualmente é um dos métodos mais seguros possíveis”. O implante também tem longa duração e, por conter hormônios, um dos efeitos vai ser a redução do fluxo hormonal e irregularidades no ciclo.

Vantagens: longa duração (3 anos); redução do fluxo menstrual; é prático e reversível.

Desvantagens: pode causar irregularidade menstrual; chances de alterar o peso; método caro.

Saber mais sobre os métodos contraceptivos é importante para você chegar ao consultório médico bem informada e com os seus objetivos delineados. Entretanto, não comece um tratamento antes de consultar uma especialista.

Mais informações sobre como escolher o melhor anticoncepcional

Como visto, os métodos contraceptivos possuem vantagens e desvantagens. A seguir, confira mais informações sobre os anticoncepcionais abordados até agora. Além disso, conheça outros métodos e relatos profissionais.

Tipos de anticoncepcionais

Publicidade

Nesse vídeo, a sexóloga Cátia Damasceno fala sobre as cinco categorias de métodos anticoncepcionais: barreira, hormonal, intrauterino, métodos permanentes e alternativos. Cada método possui suas características, mas é importante reforçar que apenas a camisinha previne IST’s. Assista ao vídeo para entender mais.

Como escolher o melhor anticoncepcional

A Dra. Margel Pivetta, do canal Florescer Mulher Ginecologia, explica quais são os principais contextos para escolher o melhor método. Por isso, assisa ao vídeo e entenda o que você precisa observar para escolher o anticoncepcional mais adequado ao seu perfil e aos seus objetivos.

DIU de cobre x DIU hormonal

Entenda de vez qual é a diferença entre o DIU de cobre e o DIU hormonal. Veja o que a Dra. Fernanda Torras fala sobre as vantagens, efeitos colaterais e os exames requisitados para colocar o DIU. Além disso, ela selecionou as dúvidas mais frequentes e comuns sobre o assunto. Assista!

Informações sobre a pílula anticoncepcional

Nesse vídeo, a Dra. Margel Pivetta dá várias informações sobre a pílula anticoncepcional. Além disso, ela cita dicas essenciais para quem pretende adotar esse método. Assista ao vídeo e entenda mais sobre o assunto.

Por fim, mais uma vez, é importante reforçar a necessidade de uma consulta ginecologista para escolher o melhor anticoncepcional. Se o método de barreira é uma opção para você, que tal entender mais sobre a camisinha feminina?

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.