5 vantagens do DIU de cobre como método contraceptivo de longa duração

Escrito por
Em 05.11.21

iStock

Por                                
Em 05.11.21

Utilizar um método contraceptivo seguro e eficaz é um direito de todas as mulheres. Uma opção que está disponível no SUS, tem mais de 99% de eficácia e possui longa duração é o DIU de cobre. Para saber mais sobre ele, confira o que diz a ginecologista Luisa Jacques (CRM 196.505).

Publicidade

O que é o DIU de cobre?

Segundo Luisa, o DIU de cobre é um dispositivo plástico envolto por um fio de cobre, que age como contraceptivo. Entre os chamados métodos contraceptivos reversíveis de longa ação (LARC), ele é o único que não contém hormônios em sua formulação, “sendo, portanto, uma importante alternativa para mulheres que não desejam ou não podem usar métodos contraceptivos hormonais”, enfatiza a ginecologista.

Como funciona esse método contraceptivo?

iStock

A médica explica que o DIU é inserido na cavidade uterina através do orifício externo do colo, visível ao exame especular (aquele mesmo realizado na coleta do papanicolau). É um procedimento simples, feito no próprio consultório, eventualmente com o uso de anestésico local.

Ela ainda comenta que “a presença do DIU desencadeia uma reação inflamatória que modifica o endométrio e as trompas, afeta a função e a viabilidade do espermatozoide e do óvulo, além de atuar sobre o muco cervical. Isso significa dizer que ele age impedindo a fecundação e não é, portanto, um método abortivo, ao contrário do que às vezes se divulga”.

As vantagens e desvantagens do DIU de cobre

Confira a seguir quais vantagens e desvantagens a médica comentou sobre esse método contraceptivo:

Vantagens

  • Elevada eficácia na prevenção de gravidez (superior a 99%);
  • A possibilidade de uso como contracepção de emergência;
  • A duração de pelo menos 10 anos;
  • A ausência de efeitos colaterais e potenciais riscos relacionados ao uso de hormônios;
  • Evidências de benefícios na prevenção de câncer de colo do útero, de ovários e de endométrio.

Desvantagem

Limitação de acesso que ainda existe nos sistemas público e privado, causada em parte pela disseminação de falsas informações, falsas contraindicações e pré-requisitos muitas vezes desnecessários, postergando ou impedindo o acesso ao método.

Existem vantagens e desvantagens ao utilizar esse método contraceptivo. Por isso, é muito importante conversar com uma ginecologista e entender se o DIU pode ser uma boa opção para você.

Para quem ele não é indicado?

iStock

Publicidade

Luisa comenta que o “DIU de cobre é contraindicado, por exemplo, para mulheres que tenham qualquer condição que leve à distorção da cavidade uterina ou naquelas que apresentem sangramento vaginal em investigação, de causa desconhecida”.

Efeitos colaterais

Segundo a ginecologista, os principais efeitos colaterais que podem se relacionar ao uso do DIU de cobre são aumento de cólicas e de fluxo menstrual, que, quando presentes, tendem a melhorar ao passar dos meses.

Além disso, ela enfatiza que “não há efeitos colaterais relacionados à mudança de humor, redução de libido, inchaço, ganho de peso, sensibilidade nas mamas, dor de cabeça, mudanças na pele e outros”.

Perguntas frequentes sobre o DIU de cobre

iStock

Ele tem boa eficácia e é um método seguro?

Luisa Jacques: o DIU de cobre está entre os mais métodos mais seguros, com eficácia superior a 99%, comparável, por exemplo, à eficácia da laqueadura.

Qual é a média de preço?

LJ: os diferentes modelos de DIU de cobre custam em torno de R$100,00 a R$300,00. O valor da inserção depende do profissional. Vale lembrar, no entanto, que o DIU de cobre é ofertado gratuitamente pelo SUS e pode ser inserido nas unidades básicas de saúde.

Dói para colocar?

LJ: existe, sim, um desconforto à inserção, variável entre as mulheres. Há, no entanto, formas de amenizar a dor, como o uso de anestésico local, indicado sobretudo em mulheres que nunca gestaram.

Publicidade

Quem tem SOP pode colocar?

LJ: pode sim. O DIU de cobre não causa nenhum impacto em relação à SOP.

Tem idade mínima para colocar?

LJ: não.

Ele causa infecção?

LJ: não. O DIU de cobre só facilitaria a ascensão de micro-organismos patogênicos da vagina ao útero no momento da inserção, aumentando, portanto, o risco de doença inflamatória pélvica nos dias subsequentes à inserção. Ao decorrer do uso, no entanto, não há diferença nas taxas de infecção entre usuárias e não usuárias de DIU.

Mulheres que não têm filhos podem colocá-lo?

LJ: sim, não há nenhuma contraindicação.

Ele aumenta as cólicas?

LJ: pode aumentar, embora não seja uma regra. E esse efeito colateral, quando presente, tende a melhorar ao longo dos primeiros seis meses de uso.

Publicidade

Agora não tem desculpa para ficar mal informada, não é mesmo? Com todas as respostas da Luisa, ficou mais fácil para aprender informações sobre o DIU de cobre, além de entender se elas são verdadeiras ou são mitos que as pessoas comentam entre si.

Depoimentos de quem usa o DIU de cobre

Confira, a seguir, os relatos de quem utiliza o DIU de cobre como método contraceptivo. Neles, você vai conferir como foi a inserção, a adaptação das meninas, além de dicas para quem quer colocar esse método gratuitamente pelo SUS.

Depoimento sobre DIU de cobre

Para começar, você confere o relato da Camila Rodrigues, que contou a experiência de inserção, deu mais detalhes sobre dores e de como ficou o fluxo dela após escolher esse método. É um vídeo muito explicativo para quem ainda está com dúvidas sobre o DIU!

Diu de cobre pelo SUS

Você sabia que o DIU está disponível na rede pública? Pois é, você não precisa pagar plano de saúde ou inserção particular. Quer saber mais sobre? Confira a experiência da Kellen Cristine, que colocou o DIU pelo SUS e contou todos os detalhes no vídeo.

Tirando dúvidas com uma usuária de DIU de cobre

Ainda tem dúvidas sobre esse método? Aqui, você confere o relato da Adriana Lua, que conta um pouco da experiência dela com o DIU, como foi a inserção, se ela sentiu dor, se ela tem algum incômodo por causa dele e muito mais. Dê o play para conferir!

Relato de adaptação do DIU

Nesse vídeo, você confere a experiência de uma usuária desse método, além de entender o porquê ela optou por ele, quais tipos de burocracia ela passou com o plano de saúde, como foi a inserção e como está sendo a adaptação.

Como visto, utilizar um método contraceptivo de alta eficácia é um direito de todas as mulheres. Se você se interessou pelo DIU de cobre, converse com uma ginecologista para analisar se ele pode ser uma boa opção para você. E se quiser continuar lendo sobre o assunto, confira os outros tipos de DIU.

Este conteúdo foi útil para você?
SimNão

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.