Conheça o DIU Kyleena e tire suas dúvida sobre o método contraceptivo

Escrito por
Em 27.03.22

Envato

Novos métodos contraceptivos estão sempre sendo desenvolvidos e chegando ao mercado. Para quem não deseja engravidar e não se dá muito bem com pílula, injeção ou adesivo anticoncepcional, o DIU Kyleena pode ser uma ótima opção. Quer saber mais sobre o esse tipo de DIU? Então, confira o que a ginecologista Lorraine Sales explicou sobre este assunto.

Publicidade

O que é o DIU Kyleena

De acordo com a doutora Lorraine, o DIU Kyleena “é um sistema intrauterino com liberação do hormônio levonorgestrel – que é uma progesterona – e indicado para evitar gestação. Ou seja, ele é um método contraceptivo”.

5 benefícios do DIU Kyleena que você precisa conhecer

Envato

Quem quer aderir a um novo método anticoncepcional pode ficar na dúvida das vantagens de cada opção, não é mesmo? Para quem está pensando em procurar um profissional para fazer a aplicação do DIU Kyleena, a dica é dar uma olhadinha nestes 5 benefícios desse tipo de DIU elencados por Lorraine:

  • Método de altíssima eficácia: “se você acompanhar 100 mulheres que usam o Kyleena por um intervalo de um ano, menos de uma vai engravidar porque esse tipo de DIU falhou”.
  • Método de longa duração: “o DIU Kyleena tem duração de 5 anos com uma alta eficácia! E, por que ele tem essa eficácia tão grande? Porque é um método que não depende do uso correto da paciente, então não corre o risco dela esquecer de tomar a pílula, aplicar injeção na data correta, trocar o adesivo, trocar o anel vaginal, etc”.
  • Ação local: “o Kyleena tem um hormônio na sua composição que é uma progesterona, mas esse hormônio é em uma dosagem muito baixa, o que faz com que ele tenha uma ação local. Ou seja, é um homônimo que vai agir basicamente dentro do útero da paciente, não é um hormônio que vai ficar circulante no corpo dela. E por conta disso, as pacientes não costumam ter efeitos colaterais associados a esse hormônio sistêmico!”
  • Uso de medicações sem cortar o efeito: “as medicação que a paciente possa usar ao longo da vida não vão cortar o efeito do Kyleena, não vão reduzir a eficácia desse DIU. Ele continuará agindo normalmente, diferente de uma mulher que usa pílula, injeção, adesivo e anel vaginal. Com o DIU isso não acontece.”
  • Indicados para mulheres com contraindicação ao estrogênio: “mulheres com uma contraindicação ao estrogênio (como pacientes que fumam, que têm enxaqueca com aura, que já tiveram trombose, com histórico familiar de primeiro grau de trombose, hipertensas, usam remédio para pressão, que têm trombofilia, etc) não podem usar métodos que tenham estrogênio. Então, o Kyleena se torna uma excelente opção!

Para que esses e outros benefícios do Kyleena sejam sentidos, Lorraine alerta para a importância de fazer um exame de ultrassom ao menos duas vezes ao ano. “Para o DIU funcionar de forma correta, ele precisa estar bem posicionado e ele pode sim, sair do lugar com o tempo”, explica.

Os efeitos colaterais que podem ocorrer

Os efeitos colaterais do uso do Kyleena costumam variar de mulher para mulher, afinal cada corpo é único. Segundo a ginecologista, por “ser um método que tem na sua composição apenas uma progesterona, a paciente pode ter alguns escapes recorrentes, frequentes, muito comum em qualquer método que só tenha progesterona”, afirma. A médica também citou outros efeitos, que não são comuns, mas podem ocorrer:

  • Dor de cabeça;
  • Sensibilidade nas mamas;
  • Oleosidade e espinhas;
  • Sintomas pré-menstruais.

Ainda sobre os sintomas de TPM, Lorraine explica que “o Kyleena não bloqueia a ovulação da maioria das mulheres. Então, às vezes a paciente coloca um DIU na esperança de ter uma melhora nos sintomas de TPM e ele não melhora”.

Como funciona o DIU Kyleena

Kyleena

Segundo a profissional, ao contrário do que muitos acreditam, a maioria das mulheres que usa Kyleena continua ovulando. Então, como que ele age e impede uma gestação? Lorraine afirma que “esse DIU tem uma composição hormonal de levonorgestrel que age localmente. E o que ele faz? Ele deixa a camadinha, dentro do útero, mais fininha, ela não engrossa. Além disso, esse hormônio deixa o muco da vagina mais espesso, mais grosso, o que dificulta e muito a locomoção do espermatozoide até as trompas, até alcançar esse óvulo”.

Publicidade

Quanto à média de preços, Lorraine diz que é algo bem variável, “mas a paciente vai gastar mais ou menos de R$1700 a R$2000 e R$2200 pra colocar”. Já em relação à troca do Kyleena, a profissional enfatiza que ele tem duração de 5 anos, ou seja, ele precisa ser trocado a cada 5 anos. “Embora ele tenha essa duração, se a paciente resolver engravidar antes de vencer esse DIU ou ela quiser tirar antes dos 5 anos, pelo motivo que for, ela pode tirar a qualquer momento”, aponta

DIU Kyleena X DIU Mirena

Lorraine explica que tanto o DIU Mirena, quanto o Kyleena são métodos contraceptivos de alta eficácia e com 5 anos de duração. “Os dois têm em sua composição o hormônio chamado levonorgestrel. O Mirena tem uma dosagem total de levonorgestrel de 52 miligramas, enquanto que o Kyleena tem uma dosagem bem menor, de 19,5 miligramas.

Além disso, o tamanho também é diferente: o Mirena é um pouco maior, tanto em comprimento quanto em espessura. O Kyleena já é menor e um pouco mais fino.”

Para saber qual é o melhor DIU para o seu corpo, sempre consulte um profissional de confiança, ok? Apenas ele poderá te orientar certinho sobre essas questões particulares de cada caso e de cada corpo!

Quando o DIU Kyleena não é indicado

Envato

De acordo com Lorraine, as contraindicações ao uso do Kyleena são “paciente que esteja grávida, ou com suspeita de gravidez. Paciente que tem um sangramento uterino anormal que você ainda não sabe o porquê, então você precisa descobrir o motivo desse sangramento antes de colocar o DIU”.

Além de “mulheres que tenham alterações uterinas, como, por exemplo, útero bicorno, útero septado, ou se a paciente tem um mioma muito grande que acaba distorcendo a cavidade do útero. Se ela está no momento com uma infecção pélvica, você precisa tratar primeiro essa infecção e aguardar um tempo para colocar o DIU.”

Ou também, “se a paciente teve uma infecção pós parto ou um aborto recente tem que esperar pelo menos uns 3 meses para inserir o DIU. Se paciente tem alguma doença no fígado, um tumor no fígado não pode inserir o DIU.”

Dúvidas frequentes sobre o DIU Kyleena

Quem tem o DIU Kyleena menstrua?

Lorraine Sales (LS): “sim! Podem acontecer três coisas: ela pode menstruar todo mês, porém com um fluxo reduzido. Ela pode parar de menstruar. Ou ela não chega a ter uma menstruação regular, mas não para completamente de menstruar e fica com escapes esporádicos que não dá para ter controle”.

Publicidade

Ele engorda?

LS: “ele não engorda, pois, tem uma ação local e não sistêmica. Com o Mirena, às vezes, a paciente pode reter um pouco de líquido, se sentir mais inchada e isso pode refletir na balança. Mas a paciente não vai ganhar 10 kg porque ela usa o Mirena. Com o Kyleena menos ainda, porque esse hormônio ele vai ter uma ação local”.

Pode ocorrer escape?

LS: “pode! Qualquer método que só tenha progesterona na sua composição é comum ter escape. Embora a paciente tenha o escape, isso não significa que o método está fraco. A eficácia é exatamente a mesma”.

Quanto tempo para fazer efeito?

LS: “praticamente imediato. Colocou esse DIU, localizou esse DIU e está bem posicionado, ele já está funcionado”.

Pode usar coletor menstrual com DIU Kyleena?

LS: “super pode! Na maioria das vezes a paciente acaba até saindo do coletor, porque reduz tanto o fluxo menstrual que ela nem precisa mais. Porém, se ela quiser usar pode. Qual é o único cuidado? Na hora de retirar o coletor, tem que desafazer o vácuo para esse DIU não deslocar e não sair dentro do coletor e não puxar o fio do DIU”.

Pode usar esse DIU após o parto?

LS: pode. “O Kyleena um método de alta eficácia e é liberado na amamentação. Para as pacientes pós parto é uma opção muito boa, pois com a correria dos cuidados com o recém nascido, ele facilita e muito!”

Publicidade

O DIU é abortivo?

LS: “não! Ele dificulta ao máximo o encontro do óvulo e do espermatozoide. Mas se o espermatozoide encontrar o óvulo essa mulher vai engravidar mesmo com DIU. Ou seja, ela não vai ter um aborto por conta do DIU.”

Depois de quanto tempo que eu retiro o DIU eu recupero a fertilidade?

LS: “o DIU não tira a fertilidade da paciente. A partir do momento que ela retirou esse Kyleena, ela pode engravidar a qualquer momento, até porque a maioria das mulheres continua ovulando com esse DIU”.

Embora o Kyleena seja um método de alta eficácia, ele não previne contra infecções sexualmente transmissíveis. Então preservativo é sempre muito bem vindo! E lembre-se de consultar um profissional pelo menos uma vez ao ano para fazer aquele check up geral e deixar a saúde em dia. Para conhecer outros métodos, leia também essa matéria sobre o DIU de cobre.

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.