Dicas de Mulher Dicas de Beleza

8 hábitos que causam rugas

Elas ocorrem devido à perda do colágeno com o avançar da idade, mas podem ser aceleradas por fatores externos

em 29/12/2014

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

As rugas causam preocupação entre a maioria das mulheres. Isso porque são causadas pelo evoluir da idade, ou seja, fazem parte de um processo natural que ocorrerá com todo ser humano, o envelhecimento.

Sara Bragança, médica pós-graduada em Dermatologia, especializada em Terapia Ortomolecular, e membro da Sociedade Brasileira de Medicina Estética, destaca que rugas são vincos ou pregas na pele que ocorrem pela perda do colágeno com o avançar da idade. “Fazem parte de um processo natural, mas podem ser aceleradas por fatores externos, como alta exposição solar, tabagismo, estresse, insônia, consumo de bebidas alcoólicas”, ressalta.

Marcelo Moreira, cirurgião plástico, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e membro da American Society of Plastic Surgery (ASPS), diz que os principais hábitos que causam rugas são a exposição solar e o uso exagerado de expressões faciais.

Abaixo você confere como esses e outros hábitos estão relacionados ao aparecimento de rugas:

1. Alta exposição solar

A alta exposição solar, ainda mais quando feita sem proteção, causa o envelhecimento da pele, que se manifesta especialmente por meio de manchas, rugas e alteração do tônus mais precocemente.

2. Uso exagerado de expressões faciais

Ainda que involuntariamente, algumas pessoas acabam contraindo os músculos faciais inúmeras vezes por dia, a fim de demonstrar expressões sobre determinadas situações.

Conforme explica Moreira, a grande utilização da musculatura da face vai formando vincos na pele e, posteriormente, rugas.

3. Tabagismo

O cigarro é um grande inimigo da beleza da pele, pois a nicotina age quebrando as fibras colágenas e elásticas, resultando em uma pele mais enrugada, sem vida.

4. Consumo de álcool

O consumo exagerado de bebidas alcoólicas promove o aumento dos radicais livres (que afetam negativamente o organismo, contribuindo para o envelhecimento precoce, entre outros problemas) e dificulta a absorção de vários nutrientes.

5. Estresse

Situações de estresse alteram o funcionamento do organismo humano, por exemplo, dificultando a capacidade de a pele fazer a renovação celular e produzir colágeno. Além disso, o estresse provoca o aumento de radicais livres, o que resulta em danos à pele.

6. Dormir pouco/mal

É durante o sono que são produzidos hormônios “rejuvenescedores”, como a melatonina e o hormônio do crescimento. Sem boas horas de sono para recarregar as energias, a renovação celular não ocorre.

7. Ter uma má alimentação

É preciso seguir uma dieta equilibrada também para garantir a saúde e a beleza da pele. Uma alimentação rica em vegetais, frutas variadas, leguminosas, cereais e hortaliças é a melhor proteção contra os radicais livres, que são inimigos da pele. Isso porque, as substâncias encontradas nesses alimentos são excelentes antioxidantes que neutralizam a ação dos radicais livres.

8. Não retirar a maquiagem

Uma boa maquiagem pode ser utilizada ao longo dia, inclusive até ajudando a proteger a pele da radiação solar. Mas ela deve ser retirada antes de dormir, pois, caso contrário, obstruirá os poros, causando danos à pele.

Diferentes tipos de rugas

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

Sara Bragança explica que existem quatro tipos de rugas diferentes: rugas de expressão, finas, profundas e gravitacionais.

Rugas de expressão: são sinais de quem faz muitos movimentos faciais para se comunicar, independentemente da idade. Localizam-se na testa, entre as sobrancelhas e ao redor dos olhos.

Rugas finas: estão relacionadas à perda de colágeno. São mais frequentes em pessoas de pele bem clara e com pouco mais de 30 anos.

Rugas profundas: são consequências do envelhecimento intrínseco (geneticamente natural) e extrínseco (provocado por fatores externos). Costumam aparecer devido à perda significativa de colágeno e afinamento da derme, principalmente em pessoas a partir dos 45 anos.

Rugas gravitacionais: são causadas especialmente pela redução das fibras colágenas e elásticas e aparecem juntamente com a flacidez dos músculos, deixando sobras de pele, geralmente, no ângulo da mandíbula. São mais comuns a partir dos 60 anos, mas podem surgir antes devido ao tabagismo e excesso de exposição ao sol.

Cremes indicados para tratar as rugas

A dermatologista Sara sugere cremes a base de ácidos retinoicos, ácido glicólico, ácido mandélico, alfa hidroxiácidos, cremes à base de ácido hialurônico, DMAE, raffermine , tensine para tratar as rugas.

Tratamentos para as rugas

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

Atualmente, existem inúmeros tipos de tratamento para as rugas. “Dentre eles, o preenchimento com ácido hialurônico, que preenche os sulcos; a radiofrequência, que estimula a produção de colágeno tornando a pele mais firme; pellings químicos, que visam melhorar a produção de colágeno e rejuvenescem a pele; o uso de toxina botulínica nas rugas dinâmicas que, ao causarem a paralisação da área tratada, a ruga desaparece”, destaca Sara.

Marcelo Moreira fala sobre quais são, em sua opinião, os melhores e principais tratamentos para as rugas:

1. Laser fracionado de CO2

Está entre as melhores opções de tratamento para rejuvenescer a pele. “Ele pode ser usado tanto para combater os sinais da idade – na face, pescoço, colo e mãos – como também para eliminar estrias, manchas senis, melasma, cicatrizes de acne e cirúrgicas. Esse laser tem indicações variadas porque atua nas moléculas de água presentes em todos os tecidos. Ele remove a camada externa da pele danificada, e promove o desenvolvimento de novo colágeno na derme e epiderme”, explica Moreira.

2. Toxina botulínica

O botox não é um preenchedor facial, mas um paralisante muscular que vai ajudar inibindo as rugas dinâmicas. “É indicada dependendo do grau de expressão facial da paciente (algumas utilizam muito a musculatura facial ao falar), mas, em geral, começa a ser aplicada a partir dos 30 anos de idade”, explica o cirurgião plástico.

3. Lifting

Moreira explica que, quando a flacidez dos tecidos faciais não pode ser resolvida por procedimentos estéticos, quando são observadas muitas rugas na testa, sobrancelhas caídas, e sulcos profundos no meio da face e flacidez, é indicado o lifting facial, que é a cirurgia de rejuvenescimento facial. “Através do reposicionamento da pele e de estruturas profundas da face (como gordura e estruturas musculares), esta intervenção devolve a harmonia da face perdida com o envelhecimento”, diz.

O cirurgião destaca que não existe uma idade certa para fazer um lifting. “Mas, em geral, ele se torna necessário depois que ocorre fisiologicamente uma diminuição das fibras elásticas, do tecido subcutâneo e do colágeno, resultando em despregamento de todas as camadas cutâneas, surgindo, por conseguinte, a necessidade de reposição destas estruturas”, explica.

Moreira acrescenta ainda que a sessão do laser fracionado de CO2 pode ser realizada durante o lifting facial para otimizar resultados. “O aparelho é levado para o centro cirúrgico e acionado minutos depois da plástica. O tratamento preserva nichos de pele sadia entre os pontos, o que favorece uma cicatrização mais rápida”, diz.

Apesar de existirem bons tratamentos para amenizar as rugas, lembre-se que o melhor caminho é a prevenção. Agora você já conhece alguns hábitos que aceleram o processo de envelhecimento e, consequentemente, ajudam a causar rugas, por isso, pode evitá-los!

Comentários
Dicas relacionadas