Cervejas: guia prático para mulheres que adoram a bebida

Conheça diferentes estilos de cervejas e aprenda como harmonizar cada tipo com os alimentos e situações que mais combinam

Escrito por Vanessa Herrmann
Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

A cerveja é uma bebida feita a partir da fermentação de cereais, principalmente a cevada maltada. A primeira prova da sua existência data por volta de 6.000 A.C. e vem da Suméria. O nome foi dado pelos romanos “cervesia”, em homenagem a Ceres, deusa da agricultura e fertilidade. Mas foi na Idade Média que a cerveja ganhou o sabor que conhecemos hoje. Os gauleses começaram a fabricá-la com malte e os monges descobriram o lúpulo como conservante natural.

Segundo a nutróloga Claudia Dias o consumo moderado de cerveja pode trazer alguns benefícios ao nosso organismo, como: diminuir a ansiedade, ajuda a melhorar a memória, o raciocínio e a capacidade cognitiva, contribuindo para evitar degenerações senis do sistema nervoso central. E o aumento do colesterol bom, o que diminui riscos de desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Além disso, “a cerveja fornece grandes doses de silício orgânico, um nutriente importantíssimo para o cabelo, para a pele, para as unhas, para os dentes e para os ossos. Diversas pesquisas mostram menor incidência de osteoporose ou osteopenia em pessoas que tomam cerveja de forma moderada e frequente”, afirma a nutróloga. Seu consumo também diminui o ritmo do envelhecimento e o aparecimento das chamadas doenças crônico-degenerativas.

O consumo em baixa quantidade de cerveja tem efeito levemente afrodisíaco, em parte gerado pela diminuição do estresse e em parte pela liberação da auto-repressão. “A diminuição do estresse também provoca redução da liberação de catecolaminas (adrenalina e noradrenalina) e isto melhora o desempenho sexual”, afirma Claudia Dias.

Apesar de todos os benefícios, é muito importante que fique claro que todos estes benefícios só são possíveis diante de um uso moderado. Em excesso, o processo é totalmente adverso e maléfico. O limite, estabelecido nas pesquisas, é de 2 latinhas de cerveja ao dia para os homens e 1 para as mulheres, sem direito a acumular, ou seja, não adianta não beber durante a semana e no final de semana tomar a quantidade semanal de uma única vez, diz Claudia.

Leia também: 10 maneiras de reutilizar molduras velhas

Essa bebida que traz diversos benefícios, hoje, é considerada uma das paixões nacionais do brasileiro, e cada vez aparecem mais opções desse produto nas prateleiras, o que acaba gerando algumas dúvidas na hora de comprá-lo. Se você sente vontade de experimentar cervejas diferentes, mas não sabe por onde começar, esse guia vai te ajudar nas suas próximas escolhas.

Escolhemos alguns tipos de cervejas e convidamos uma sommelière de cervejas, mestre em estilos, membro da confraria Maltemoiselles e uma das professoras da Sinnatrah, Julia Reis; e uma BJCP Certified, cervejeira caseira e dona da cerveja Tormenta, Lívia Fernandes, para nos explicar as diferenças, confira.

Pilsen

Sugestões: Pilsner Urquell, 1795, Eisenbahn Pilsen

Sugestões: Pilsner Urquell, 1795 e Eisenbahn Pilsen

As cervejas nacionais como Brahma e Skol, apesar de serem chamadas de Pilsen, na verdade, são de outro estilo: American Lager. Esse último estilo permite a adição de milho e arroz. Já a verdadeira Pilsen, também tem um corpo leve, também é refrescante, mas traz notas de malte mais evidentes, amargor mais perceptível e são produzidas com 100% malte de cevada.

Paladar: Dourada, corpo leve e amargor médio baixo. Sabor maltado e aroma de lúpulo discreto marcam as pilsens de verdade.

Harmonização: Iscas de peixe empanadas.

Leia também: Ideias de presentes de Natal: 20 opções criativas de até R$100,00

Indicada para: Ideal para um dia de verão com os amigos, na praia ou piscina.


American Lager

Sugestões: Bohemia Pilsen (Standard), Heineken e Stella Artois (Premium)

Sugestões: Bohemia Pilsen (Standard), Heineken e Stella Artois (Premium)

A american lager é um dos estilos de cervejas mais consumidos no Brasil. Ela se divide entre lite, standard e premium e possui menor teor alcoólico em relação às ales. Em sua composição, podem ser adicionados outros cereais, além da cevada, que é o caso do milho e do arroz na versão lite.

Alguns exemplos de lite são a Brahma Light e a Bud Light. As standard incluem Skol Pilsen, Brahma Chopp, Bohemia Pilsen, Devassa Loura e Polar Export. As premium mais encontradas por aqui são Heineken, Stella Artois, Brahma Extra, Corona Extra, Birra Moretti e Itaipava Premium. Sendo que entre os três grupos, as lite são as menos alcoólicas, seguidas pelas standard e as premium tendo o maior teor alcoólico das Pilsens.

Paladar: Seu sabor é menos amargo, mais maltado, bastante refrescante e pouco frutado.

Harmonização: Hambúrguer, saladas de folhas, queijos tipo frescal, aves, camarão e peixe frito e pizzas.

Leia também: Shorts estampados são versáteis, confortáveis e atemporais

Indicada para: Ser apreciada em dias quentes por proporcionar uma ação refrescante.


Bock

Sugestões: Baden Baden Bock, La Trappe e Paulaner Salvator

Sugestões: Baden Baden Bock, La Trappe e Paulaner Salvator

A coloração varia de cobre claro a marrom, são encorpadas, possuem forte aroma de malte, com algumas dicas de álcool.

Paladar: O sabor pode variar com um pouco de caramelo e notas tostadas. O amargor é apenas o suficiente para que o sabor doce não fique enjoativo.

Harmonização: Carne de porco, salsichas alemãs, queijos gouda e gorgonzola e sobremesas a base de chocolate.

Indicada para: Como é ícone de inverno, combina com um mix de castanhas no bar ou mesmo uma reunião próxima à lareira.

Leia também: 10 alimentos amigos do coração


Weiss

Sugestões: Weheinstephaner, Paulaner e Franziskaner

Sugestões: Weheinstephaner, Paulaner e Franziskaner

A cerveja de trigo é clara, e não filtrada, o que faz com que parte do seu fermento fique no interior da garrafa, o que gera um aspecto turvo. Tem corpo mais alto, baixo amargor, boa refrescância. Coloração de amarelo palha a dourado escuro. Devem ser servidas no copo grande (Weizen) para que todo o conteúdo da garrafa seja despejado de uma vez, fazendo com que o fermento seja homogeneizado.

Paladar: Com aromas de banana, cravo e levedura de trigo, que pode ser percebido como pães ou cereais, também são aceitáveis aromas com uma leve acidez cítrica, caráter de baunilha, mas nenhuma dessas características devem ser marcantes.

Harmonização: Combina bem peixes assados ou frutos do mar, como lulas e camarão a provençal, além de frango assado e caesar salads.

Indicada para: Tomar durante a tarde ou happy hour, já que possui um sabor suave.


Stout

Sugestões: Guinness, Caracu e Baden Baden Stout

Sugestões: Guinness, Caracu e Baden Baden Stout

A stout é uma cerveja escura. Entre os tipos de stout há versões mais e menos potentes, desde uma dry stout, como a Guinness, até uma imperial stout que pode ter 12% de álcool e é encorpada. A mais consumida no Brasil é a dry stout.

Paladar: Notas aromáticas de café e cacau. A dry stout tem um sabor levemente tostado, nítido dos cereais, com acidez moderada e amargor de leve a alto.

Harmonização: Ostras são uma harmonização clássica para as dry stouts, já as imperial combinam bem com sobremesas à base de chocolate, como o petit gateau.

Indicada para: Apreciar em um fim de noite.


Porter

Sugestões: London Porter, Colorado Demoiselle e Anchor's

Sugestões: London Porter, Colorado Demoiselle e Anchor’s

Essa cerveja de coloração marrom escuro tem um aroma que lembra caramelo, nozes ou chocolate, balanceada com toques de lúpulo. Suas versões variam entre mais ou menos lupuladas (amargas) e torradas.

Paladar: Notas de chocolate amargo, tem sabor tostado e corpo médio.

Harmonização: Carnes assadas ao molho – como lagarto – ou feitas na churrasqueira.

Indicada para: Almoço de domingo.


IPA (India Pale Ale)

Sugestões: Colorado Indica, Brooklyn East IPA, Eviltwin Easy Come Easy Go IPA

Sugestões: Colorado Indica, Brooklyn East IPA, Eviltwin Easy Come Easy Go IPA

Alaranjadas e com aromas de lúpulo (cítricos, florais, resinosos, herbais ou terrosos, de acordo com a variedade).

Paladar: São cervejas amargas com sabor de lúpulo no retrogosto. Um estilo que vem ganhando muita popularidade.

Harmonização: Combina muito bem com carne de porco, como costelinhas temperadas com tangerina e alecrim.

Indicada para: beber ao final de um dia de trabalho, como também em festas.


Juliana diz que, “é importante frisar que não há regras tão rígidas para harmonização com comida ou com situações, mas existem alguns caminhos básicos. Às vezes um tempero ou um molho fazem a diferença pra tornar a cerveja e o prato um par perfeito. E às vezes, se o grupo de amigos está disposto a tomar uma cerveja diferente, o que vale é surpreender”.

Dicas de consumo

Apreciar a cerveja depende de alguns conhecimentos básicos que fazem com que a bebida seja saboreada nas condições adequadas.

Temperatura: Esqueça o estupidamente gelada: cada estilo de cerveja artesanal pede uma temperatura de consumo normalmente indicada no rótulo. “Se a gente bebe quase congelando, não sentimos os aromas e o sabor. De maneira geral, podemos dizer que quanto mais alcoólicas e potentes, menos geladas precisam estar as cervejas no serviço. Uma Imperial Stout, por exemplo, pode ser consumida a 10 graus”, diz Julia Reis.

Borra do fundo da garrafa: Não sirva essa borra de cervejas não filtradas. Com exceção das cervejas de trigo alemãs (weizen), a levedura depositada no final da garrafa não agrega sabor e aroma para a bebida. Portanto, sirva todos os copos de uma vez e reserve o finalzinho (pode até servir separado, mas não coloque em todos os copos).

“Colarinho” SIM: A espuma faz parte da análise sensorial da cerveja. Sirva normalmente, sem evitar a sua formação.

Copo: A escolha certa ajuda a degustar a cerveja, mas não é preciso ter uma coleção em casa para acertar na combinação. Algumas taças são coringas e servem para muitos estilos, como a tulipa que é mais bojuda embaixo e com a boca aberta.

Espuma: Preserva os aromas e sabores na cerveja, porque em contato com o ar a cerveja vai oxidado. Ela também ajuda a manter a temperatura mais gelada, pois diminui a troca de calor entre o líquido e o ar.

Dica: Se você quer experimentar cervejas diferentes das comuns do Brasil, comece pelas lagers premium (Heineken, Stella Artois), depois experimente as Pilsens verdadeiras e nesse caso as melhores opções são as tchecas, como a Pilsner Urquell. Já no grupo das cervejas de alta fermentação (Ales), as blond são opções saborosas, sendo a Leffe da Bélgica uma boa sugestão. Para ousar um pouco mais, dê uma chance para as weiss, cervejas de trigo bem frutadas e de sabor incrível. A dica é investir nas alemãs, como a Paulaner. Depois de apreciar estas, você pode partir para as mais amargas, com mais lúpulo na composição, como as porters e IPAs.

Após ter lido esse guia, escolha as opções que mais te agradam e deguste os sabores e aromas que cada cerveja pode te proporcionar! Mas não se esqueça: beba com moderação e se for beber, não dirija, peça um táxi ou vá de carona.

Colaboração: Andressa Dias e Rainer Görtz

Assuntos: Alimentação

Para você