Absorvente interno: dúvidas esclarecidas, como e quando utilizá-lo

Escrito por
Em 11.11.19

iStock

Por mais que o absorvente interno não seja um produto novo, sua utilização ainda gera dúvidas e até alguns mitos. Ele é mais comumente utilizado em situações pontuais, como ida à praia ou à piscina, mas pode ser usado todos os dias da menstruação, desde que com alguns cuidados. Saiba como usar e esclareça suas dúvidas sobre o produto.

Continua após o anúncio

Como usar absorvente interno

Colocar absorvente interno não é difícil, mas exige alguns cuidados básicos. Confira o passo passo:

  1. Lave as mãos;
  2. Encontre uma posição confortável para colocar o absorvente, algumas sugestões são sentada no vaso sanitário, em pé com uma das pernas apoiadas no vaso ou deitada com as penas flexionadas;
  3. Retire o plástico que protege o absorvente e estique a cordinha que vem no absorvente;
  4. Segure o absorvente com o polegar e dedo médio;
  5. Coloque o dedo indicador na base do absorvente (onde sai a cordinha);
  6. Com a outra mão, abra os pequenos lábios e introduza lentamente o absorvente na vagina até sentir que o absorvente “atingiu um obstáculo”;
  7. A cordinha do absorvente naturalmente deverá ficar para fora.

Na primeira vez pode ser um pouco desconfortável colocar o absorvente interno, porém, a tendência é colocá-lo com mais prática nas próximas vezes e, quando inserido corretamente, ele não deverá causar dor ou desconforto.

8 dúvidas respondidas sobre absorvente interno

iStock

Há dúvidas sobre quem pode ou não utilizar o absorvente interno e sobre sua segurança. Karina Tafner (CRM-SP 118066), ginecologista e obstetra, especialista em Endocrinologia Ginecológica e Reprodução Humana pela Santa Casa e especialista em Reprodução Assistida pela FEBRASGO, esclarece essa e outras questões abaixo.

1. Quais cuidados o uso de absorvente interno exige? “Lavagem das mãos antes de introduzir ou retirar o absorvente; trocá-lo, no máximo, a cada 4 horas, mesmo que o fluxo menstrual seja pequeno; evitar utilizá-lo todos os dias, pois o calor e a umidade, que aumentam no interior da vagina, também aumentam o risco de infecção; retirar o absorvente se for ter relação sexual (há risco aumentado de infecção e o impacto do absorvente durante a penetração pode causar lesões no fundo da vagina)”, orienta Karina.

2. O que fazer se a cordinha arrebentar? “Caso a cordinha do absorvente interno arrebente, deve-se tentar tirá-lo com os próprios dedos”, diz Karina.

3. É perigoso usar absorvente interno? “Se usado de forma correta, não, pois é eficaz e seguro tanto para contenção do sangramento quanto para a saúde da mulher. É uma forma higiênica de proteção pois, como o sangramento não se exterioriza, há diminuição do incômodo do período e o absorvente permite a prática segura de exercícios físicos e evita o odor característico menstrual”, diz Karina.

4. Como escolher o tamanho do absorvente interno? “O tamanho do absorvente é adequado segundo o volume menstrual, ou seja, quanto mais intenso o fluxo, maior deve ser o absorvente. Ou seja, a regra é a mesma, tanto para o absorvente externo quanto para o interno. A vagina é elástica e se adapta a qualquer tamanho do absorvente; o super, por exemplo, é indicado para as mulheres que têm um fluxo abundante, e o mini para um fluxo pequeno”, comenta a ginecologista.

5. Quem pode utilizar e quem não pode? “Qualquer mulher pode utilizar o absorvente interno, até mesmo aquelas que nunca tiveram relações sexuais, desde que o ginecologista a tenha examinado previamente e o tipo de hímen permita seu uso (a maior parte dos himens são circulares e não oferecem resistência, mas há outros tipos de hímen que impedem a passagem do absorvente)”, explica Karina.

Continua após o anúncio

6. Quanto tempo posso ficar com o absorvente interno? Karina lembra da importância de trocá-lo, no máximo, a cada 4 horas.

7. Posso entrar na piscina ou mar com absorvente interno? “Sim, é uma ótima solução para as mulheres poderem ir à praia, piscina ou fazerem exercícios físicos no período menstrual”, diz a ginecologista.

8. Pode causar alguma infecção? “O algodão do absorvente absorve o fluxo e mantém o sangue parado na vagina. Caso essa exposição ultrapasse oito horas, há risco de crescimento de bactérias capazes de alterar a flora da vagina, causando infecções genitais, sendo a principal delas a síndrome do choque tóxico, doença que pode ser fatal, principalmente quando causada por estreptococos. No entanto, nos últimos anos, foram feitas modificações na composição dos absorventes internos, estabelecendo-se um padrão para sua utilização, diminuindo assim o número de ocorrências dessa síndrome”, esclarece Karina.

Essas são as principais dúvidas sobre o uso de absorvente interno. Mas, caso tenha outras questões, não deixe de comunicá-las ao seu ginecologista.

Mais sobre absorvente interno

Confira abaixo os relatos de mulheres que usam ou já usaram absorvente interno:

Como colocar o absorvente interno

Morgana Santana conta que começou a usar absorvente interno com 16 anos, mostra como colocá-lo e comenta sobre alguns mitos em torno da utilização.

Absorvente interno: mitos, verdades e relato

Thalita Piacentini fala sobre mitos e verdades sobre a utilização de absorvente interno. Pode ser usado por mulheres virgens? Deve ou não ser utilizado todos os dias?

Absorvente interno dói?

Continua após o anúncio

Isa Oliveira fala sobre dúvidas frequentes relacionadas ao uso do absorvente interno. Por exemplo, se a utilização causa dor ou incomoda, e se dá para fazer xixi enquanto se está utilizando o absorvente.

Por mais que o uso de absorvente interno seja simples e não costume causar problemas, é sempre importante conversar com seu ginecologista de confiança sobre sua utilização. Saiba também o que é a calcinha absorvente e se vale a pena trocar os métodos comuns por ela.

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.