Dicas de Mulher Dicas de Beleza

Os 10 erros mais graves no uso do protetor solar

A aplicação correta do protetor solar é fundamental para a prevenção do câncer de pele

em 16/05/2014

Foto: Thinkstock

Se você aproveita o protetor solar do ano anterior, só passa o filtro em dias de sol e não reaplica o protetor a cada duas horas, cuidado! Sua pele pode estar em perigo!

Inúmeras campanhas de conscientização sobre os efeitos nocivos do excesso de sol à pele são veiculadas anualmente na mídia. Porém, o fato é que muitas pessoas ainda cometem erros na hora de aplicar o protetor e se enganam ao acharem que estão protegidas dos raios solares. O resultado pode levar anos para aparecer, mas, acredite, ele aparece.

Passar o filtro corretamente é fator fundamental na fotoproteção. Por isso, com o auxílio do dermatologista Hugo Weiss, listamos os 10 erros mais comuns na hora de passar o protetor solar. Confira e veja se você não está cometendo nenhum deles.

1. Não aplicar o protetor solar diariamente

O filtro solar deve ser utilizado diariamente, mesmo em dias nublados, pois os raios ultravioleta (UV) afetam a pele independente do clima ou da estação do ano: “esse é um engano que acontece muito. O dia está nublado, só vou sair de casa bem rapidinho. São muitos os motivos, mas a verdade é uma só: o filtro solar deve ser aplicado, sim, todos os dias”, afirma o dermatologista Hugo Weiss. Também é um erro grave passar o filtro solar somente na praia ou na piscina. Quer se proteger? Então, use-o diariamente.

2. Aproveitar o protetor do verão passado

É comum querer reaproveitar o filtro solar da estação anterior, mas para isso é preciso cuidado. O dermatologista orienta que “se o produto estiver dentro do prazo de validade, em princípio não há problema algum. Mas lembre-se que as substâncias ativas do filtro podem se deteriorar, portanto não use filtro solar com o prazo de validade vencido.” Filtro solar vencido não oferece proteção adequada.

3. Acreditar que maquiagem com protetor é suficiente

Hoje em dia existem inúmeros produtos de beleza que contém o filtro solar em sua fórmula. O problema acontece devido ao fato de que a camada de maquiagem aplicada não cobre toda a parte que precisa ser protegida do sol. Além disso, a camada geralmente é fina, o que não garante a proteção integral. “Essa é uma meia verdade, principalmente pela quantidade de base ou pó que se aplica sobre a pele, em geral uma camada muito fina não confere fotoproteção”, explica Hugo.

4. Passar uma camada bem fina do protetor na pele

Especialistas recomendam que adultos devem usar cerca de 30g de protetor solar para uma proteção adequada. “No caso do filtro solar, para se obter uma fotoproteção eficaz, uma camada espessa deverá ser aplicada sobre a pele”, orienta o dermatologista.

Lembre-se também da importância de proteger todas as partes que ficarão expostas ao sol. Segundo Hugo, muitas pessoas se esquecem de passar protetor na face, orelhas, pescoço e pés.

5. Não reaplicar o protetor solar

É comum acreditar que uma única aplicação de filtro solar é suficiente para deixar a pele protegida durante todo o dia. Esse é um grande mito.“Para que a proteção se mantenha ao longo do dia, o filtro solar precisa ser reaplicado”, orienta Hugo Weiss. Recomenda-se que o filtro seja reaplicado a cada 2 horas ou após se exercitar, entrar na água.

Mesmo em casos em que o protetor seja resistente à água, a proteção é falha após o contato com a umidade. Nesse caso também é necessária a reaplicação.

6. Usar protetor solar para o outro tipo de pele

Essa prática expõe a pele a problemas como ressecamento, espinhas e cravos. Portanto, é preciso prestar atenção ao protetor solar escolhido. Recomenda-se o uso de cremes e loções para pele seca, gel e loções oil-free para pele oleosa.

7. Passar o protetor após sair de casa

Para uma proteção efetiva, o protetor solar deve ser aplicado de 15 a 30 minutos antes da exposição solar, para que possa ser absorvido pela pele.

8. Praticar esportes sem protetor específico

Quem usa filtro solar comum ao praticar esportes acaba perdendo toda a proteção junto com o suor que escorre da pele. Para uma proteção eficiente recomenda-se o uso de protetores que contenham dióxido de titânio e óxido de zinco na fórmula, uma vez que essas substâncias formam uma barreira física.

Câncer de pele e Prevenção

Foto: Thinkstock

O câncer da pele é provocado pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. A radiação ultravioleta é a principal responsável pelo desenvolvimento de tumores cutâneos, e a maioria dos casos está associada á exposição excessiva ao sol ou ao uso de câmaras de bronzeamento.

O dermatologista Hugo Weiss alerta que “somente aplicar o filtro não significa proteção”. Para uma proteção mais efetiva é recomendado o uso de chapéu e óculos de sol juntamente com o protetor solar. Além disso, evitar os horários de sol mais forte é fundamental.

Apesar da incidência elevada, o câncer da pele não-melanoma tem baixa letalidade e pode ser curado com facilidade se detectado precocemente. Por isso, examine regularmente sua pele e procure imediatamente um dermatologista caso perceba pintas ou sinais suspeitos.

Comentários
Dicas relacionadas