4 tipos de bronzeamento artificial, riscos e cuidados essenciais

Escrito por                    
Em 15.02.22

iStock

Por                                
Em 15.02.22

Cada vez mais as mulheres têm buscado por métodos artificiais para bronzear suas peles e o procedimento do bronzeamento artificial é uma das técnicas mais conhecidas no universo feminino! Conheça detalhes importantes sobre esse assunto com as dermatologistas Dra. Lislane Bomm (CRM-RS 37528/RQE 25135) e Dra. Cláudia Camargo (CRM 5285060-8/RQE:24746).

Publicidade

O que é o bronzeamento artificial

De acordo com a Dra. Lislane, “o bronzeamento artificial ocorre quando recursos artificiais (substâncias químicas e luzes) entram em contato com a pele para dar o aspecto bronzeado”. A prática surgiu por volta do fim dos anos 60, quando começaram a associar o câncer de pele à exposição ao sol.

Tipos de bronzeamento artificial

Alguns formatos de procedimento para conquistar o tão sonhado bronze não são indicados, já outros dão um resultado muito bom. Você sabe quais são eles? A seguir, descubra 4 tipos de bronzeamento artificial e como eles funcionam:

Câmaras de bronzeamento

iStock

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu bronzeamento em câmaras artificiais no Brasil para fins estéticos desde 2009. De acordo com a dermatologista, “elas são um perigo real para a saúde da pele, pois as lâmpadas utilizadas nestas câmaras emitem radiação UVA (98%), que tem um poder de penetração maior na pele e isso pode causar muitos danos a quem o faz”.

Autobronzeador

É um procedimento realizado por meio de um creme com dihidroxiacetona (DHA), que pigmenta a pele. Segundo a Dra. Lislane, “necessita ser espalhado uniformemente pela pele para evitar manchas e também precisa de manutenção de até 2x/semana, pois vai saindo ao longo dos dias pelo processo de renovação celular da camada mais superficial da pele”. Dependendo do produto utilizado o valor varia de R$30,00 até R$300,00.

Bronzeamento a jato

iStock

A pulverização do pigmento acontece através de um aparelho (pulverizador ou pistola), realizado geralmente por profissionais da estética”. Segundo a especialista, “o produto se deposita na pele conferindo a cor desejada, sendo que a duração é em média de 7-10 dias e é considerado seguro quando realizado com produtos regulamentados pela Anvisa”. O gasto médio por sessão R$100,00 – R$200,00.

Bronzeamento com fita

Também conhecido como bronzeamento na laje, “muitos consideram muito artificial, pois requer a aplicação de produto químico – como a parafina – que acelera muito o bronzeado”, afirma a dermatologista. O gasto médio por sessão é de R$70,00 a R$100,00.

Publicidade

Agora que você já conhece os principais tipos de bronzeamento artificial, quais são as mais indicadas e suas especificações, já pode procurar um profissional qualificado para bronzear a sua pele.

É perigoso fazer bronzeamento artificial?

Existem alguns perigos a curto ou longo prazo que é necessário atenção, se você deseja fazer um bronzeamento artificial. A Dra. Cláudia Camargo falou sobre 5 riscos possíveis ao realizar o procedimento. Confira:

  • Câncer de pele: Segundo a doutora, “no caso das câmaras de bronzeamento, há chances de obter câncer de pele por conta das luzes UV e por conta do tempo de exposição”. Para ela, quanto mais tempo na câmara, maiores as chances de desenvolver a doença.
  • Envelhecimento cutâneo: Para a doutora, “os raios também penetram nas camadas mais profundas da pele, alterando as fibras de colágeno e elastina que ocasionam em fotoenvelhecimento”.
  • Problema na visão: Nas câmaras de bronzeamento, “se não houver óculos de proteção a pessoa pode ter problemas na pupila, retina e até mesmo catarata”, alerta Dra Cláudia.
  • Queimaduras: “Se a câmara não estiver calibrada ou a pessoa extrapolar o tempo, pode gerar queimaduras na pele”, afirma a dermatologista.
  • Desidratação: Em relação ao uso proibido e arriscado das câmaras de bronzeamento, Dra. Cláudia alerta que, “dependendo do tempo de exposição na câmara e se a pessoa não estiver bem hidratada, o corpo pode ficar muito desidratado com o procedimento”.

Agora que você já conhece os principais riscos do bronzeamento artificial, busque cuidar-se bem para não ter que enfrentar os possíveis problemas que o procedimento pode causar.

Há contraindicações no bronzeamento artificial?

iStock

De acordo com Dra. Cláudia, “utilizar produtos que não são liberados pela Anvisa e fazer o bronzeamento nas câmaras são as maiores contraindicações”. Ela ainda ressalta que, “em relação ao bronzeamento a jato, ele tem menor risco e menores contraindicações”.

5 cuidados que você deve ter ao realizar o procedimento

Saber das principais formas de se cuidar para realizar o procedimento de bronzeamento artificial é muito importante. Por isso, confira as dicas que a Dra. Cláudia deu e faça seu procedimento de forma saudável:

  • Usar protetor solar: A doutora afirma que o uso de protetor solar é “essencial para não ter queimaduras na pele”.
  • Não usar hidratantes antes do procedimento: Dra. Cláudia alerta que “esses produtos podem causar resultados adversos na pele”.
  • Não usar esfoliantes após o procedimento: “Fazer esfoliação após o bronzeamento artificial pode irritar a pele”, afirma a dermatologista.
  • Hidratação: Para que a sua pele não resseque, “procure usar produtos de hidratação e tomar muita água para não correr risco de desidratação”, orienta a dermatologista.
  • Não tomar sol nos próximos dias: De acordo com a especialista, fazer isso “pode irritar e queimar ainda mais a sua pele”.

Gostou de saber mais a respeito do bronzeamento artificial? Agora que você tem as informações necessárias para se preparar para este procedimento, não se esqueça de selecionar um lugar bom e um profissional responsável. Conheça também, alguns rituais de beleza que podem ser ruins para a saúde e que você nem sabia! Cuide-se.

Assuntos: Bronzeamento