Ana Paula do vôlei defende a exclusão de pessoas trans do esporte

Ex-atleta do vôlei comentou no seu Instagram que a inclusão de pessoas trans no esporte é exclusão de mulheres e meninas

Publicado por                                
Em 22.03.22 às 15:26

REPRODUÇÃO / INSTAGRAM

Por
Em 22.03.22 às 15:26

Ana Paula Hankel, mais conhecida como Ana Paula do vôlei, emitiu uma fala considerada transfóbica em seu Instagram. Após a nadadora trans Lia Thomas ser campeã da National Collegiate Athletic Association (NCAA), ou “Associação Atlética Nacional”, a ex-jogadora comentou:

Publicidade

“Não há palavras para expressar a tristeza no coração em ver meninas tendo suas chances ceifadas, depois de anos de treinamento e investimento, por uma ideologia nefasta, vil e injusta. Parem de fingir que isto é inclusão. Isto é EXCLUSÃO de meninas e mulheres do esporte feminino”.

Veja abaixo a publicação de Ana Paula:

A ex-jogadora de vôlei, apoiadora do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e também do atual presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, ganhou visibilidade nas redes sociais com seus comentários sobre política. E ao emitir sua opinião a respeito da nadadora trans, engajou diversos seguidores a também criticá-la.

A participação da nadadora Lia Thomas na competição também foi questionada por diversos comentaristas e até mesmo por Caitlyn Jenner, ex-atleta Olímpica que passou por transição após sua aposentadoria nos esportes.

Inclusão de pessoas trans nos esportes de elite

A inclusão de pessoas trans nos esportes de elite é uma discussão ainda muito polêmica. No entanto, o Comitê Olímpico Internacional (COI) já prevê diretrizes que regulam a participação delas.

Publicidade

Vale destacar que a NCAA, assim como o Comitê Olímpico Internacional, também colocou como requisito que as atletas devem manter o nível de testosterona abaixo do limite de 10nmol/l (nanomol por litro de sangue) durante 12 meses antecedentes da competição.

Diante disso, a exclusão de trans no esporte não promove a equidade de gênero. Além de ser uma forma de violência contra pessoas que já sofrem transfobia e lutam pela sobrevivência diariamente.