5 sintomas da menopausa precoce e principais formas de tratamento

Escrito por                    
Atualizado em 30.06.22

iStock

Por
Atualizado em 30.06.22

A menopausa precoce pode causar sintomas desagradáveis nas mulheres e, principalmente, prejudicar a fertilidade daquelas que desejam engravidar. Para falar sobre o assunto, os ginecologistas Dr. Ricardo Andrade Freire (CRM 99798) e Dra Andréa Aguiar Bianco (CRM 101834), da Rede de Hospitais São Camilo SP, explicaram o que é, citaram os sintomas e principais tratamentos. Confira!

Publicidade

O que é a menopausa precoce

Segundo o Dr Ricardo “a menopausa é definida como ausência de sangramento cíclico (menstruação) por mais de 12 meses (um ano) seguidos. Na população brasileira esse evento ocorre em média aos 51 anos. Porém, é considerada precoce quando ocorre antes dos 40 anos.”

5 sintomas para ficar de olho e se cuidar

iStock

A ginecologista Andréa explicou que “a menopausa precoce (falência ovariana precoce) é determinada pela diminuição importante do hormônio feminino estrogênio produzido principalmente nos ovários.” Ela ressalta que a diferença é o momento em que isso ocorre, sendo precoce antes dos 40 anos. Raramente, a mulher que entra na menopausa não é afetada por seus sintomas, sendo os mais comuns:

  • Falta de menstruação por um ano seguido;
  • Ondas de calor;
  • Insônia;
  • Ressecamento vaginal;
  • Queda da libido.

Há casos em que os sintomas são mais intensos e podem até mesmo, afetar a qualidade de vida da mulher, nesse caso, converse com o seu ginecologista.

Como é feito o diagnóstico

Como mencionado anteriormente, é raro a mulher não apresentar nenhum sintoma, porém, segundo o Dr Ricardo, “isso pode ocorrer e nesse caso o único sintoma pode ser a dificuldade para engravidar.” O diagnóstico é feito por meio de exames complementares.

Normalmente o médico solicita “exames de sangue para avaliação do estradiol produzido (principal hormônio feminino) que apresenta concentração bastante diminuída da menopausa; o FSH (Hormônio folículo estimulante) que aumenta na menopausa; e Ultrassonografia transvaginal para avaliar a estrutura dos ovários, principalmente nos casos de menopausa precoce” informou.

Possíveis causas da menopausa precoce

iStock

A menopausa precoce pode ter motivos importantes que devem ser investigados, então, confira as causas mais frequentes segundo os ginecologistas:

Publicidade

  • Doença autoimune: a doença autoimune pode ser um dos motivos e conforme o Dr Ricardo explicou, “o próprio organismo “ataca” os ovários causando a menopausa precoce.”
  • Causas genéticas: segundo os ginecologistas causas, tendências e alterações genéticas também podem acarretar ausência de menstruação precocemente.
  • Exposição à radiação: outra causa pode ser “a exposição à radiação como em radioterapia para tratamento do câncer”, citou a Dra Andréa.

É muito comum ocorrer a menopausa precoce em mulheres com histórico familiar, porém, conforme mencionado acima, também pode acontecer devido a outros fatores. Por isso, o médico precisa ser consultado para identificar a causa e indicar o melhor tratamento.

Como é feito o tratamento

Os ginecologistas explicaram que o tratamento pode ser feito por reposição hormonal e entre os principais meios estão:

  • Via oral: o Dr Ricardo informou que a reposição pode ser feita com o uso de comprimidos contendo hormônio. “Esses podem ser utilizados de forma contínua (onde não ocorre sangramento) ou com pausa entre as cartelas com a presença de sangramento. A forma de utilizar os comprimidos é compatível com as pílulas anticoncepcionais com função diferente.”
  • Via transdérmica: neste caso, a reposição hormonal é feita por meio “de gel onde o hormônio atravessa a barreira cutânea para a absorção”, comentou a Dra Andréa.
  • Implantes: o médico esclareceu que essa via de administração ainda não é reconhecida pela Anvisa, “mas tem boas perspectivas pela praticidade e por diminuir os efeitos colaterais.”

Menopausa precoce e a gestação

iStock

O Dr Ricardo comentou que pacientes com menopausa precoce tem dificuldades em engravidar. “Quando a alteração é diagnosticada no início e a mulher ainda tem reserva de óvulos, é possível ser feita a captação desses óvulos e armazenamento para realizar fertilização in vitro na época mais adequada para a paciente. É um procedimento de maior complexidade e depende da presença de óvulos viáveis de laboratório de fertilização.”

Porém, de acordo com a Dra Andréa, “quando a menopausa já estiver estabelecida e a paciente não tiver mais óvulos, a gravidez poderá ocorrer mediante a doação de óvulos de outra mulher por fertilização in vitro e implantação no útero da paciente. O ideal é ter o diagnóstico precoce para realizar a preservação dos óvulos da paciente.”

A menopausa sendo prematura ou não, causa sintomas desagradáveis que afetam negativamente a vida da mulher. Mas, com auxílio de um profissional, é possível passar por essa fase com mais qualidade de vida. Aproveite e saiba como a alimentação na menopausa pode ajudar a aliviar os sintomas.

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.