Fogachos: o que são, as causas e como aliviar os sintomas

Escrito por
Em 18.08.20

iStock

Ao longo da vida, o corpo da mulher passa por muitas transformações que geram alterações e efeitos colaterais desconfortáveis. Convidamos a ginecologista e obstetra Dra. Ana Flávia Araújo Litwinczuk (CRM 128883) para esclarecer dúvidas sobre os fogachos, um dos sintomas que atingem a mulher madura durante a menopausa. Saiba o que são, os sintomas e tratamentos indicados.

Continua após o anúncio

Índice do conteúdo:

O que são fogachos?

De acordo com a ginecologista, “os fogachos são ondas de calor, principalmente na face, nuca e tórax superior. São associados à palpitação (aumento da frequência cardíaca) seguida por sudorese. Esses sintomas duram um curto intervalo de tempo e são acompanhados por ondas de frio (calafrios). Sugere-se buscar auxílio médico quando a presença dos fogachos afeta negativamente a qualidade de vida da mulher (20-25% dos casos).”

Causas dos fogachos

“Os fogachos são causados pelo estreitamento da zona termoneutra no hipotálamo, devido à flutuação dos níveis de estrogênio durante o período do climatério”, esclarece a Dra. Ana Flávia. Veja outros fatores que contribuem para os fogachos:

  • Transição da menopausa: “os sintomas ocorrem mais comumente na transição da menopausa e início da pós-menopausa. Na maioria das pacientes, dura de 6 meses a 2 anos (82% das mulheres apresentam fogachos por mais de 1 ano, de 5 a 25% por mais de 5 anos e 15% por mais de 15 anos)”, explica a ginecologista.
  • Obesidade, sedentarismo e tabagismo: esses fatores de risco favorecem a presença dos fogachos em maior intensidade, bem como a menopausa induzida (retirada cirúrgica dos ovários, pós-quimioterapia ou radioterapia).
  • Estilo de vida: a ginecologista alerta que “há situações que funcionam como gatilho para eventos de fogachos, como: consumo de bebidas alcoólicas, situações estressantes, consumo de bebidas quentes e atividade física extenuante.”

Os fogachos tendem a desaparecer naturalmente após alguns anos e, no caso de mulheres com sintomas mais brandos, não há necessidade de indicar terapia de reposição hormonal.

Como aliviar

iStock

Existem várias medidas que podem ajudar a diminuir a intensidade dos fogachos. Selecionamos ótimas dicas, conforme as informações da ginecologista. Confira abaixo:

1. Identificar o que desencadeia os fogachos

A ginecologista diz que “esses itens podem incluir calor externo (como um quarto quente ou uso de secador de cabelos), estresse, bebidas e comidas quentes ou apimentadas, além de álcool, cafeína e cigarro.”

2. Controle do peso

Nesse período, é importante cuidar da alimentação e aumentar o consumo de verduras, frutas, grãos integrais, sementes, nozes, leite, fibras, peixe, carne magra, ovos e feijões.

3. Mantenha o corpo fresco durante o dia

A ginecologista orienta “evitar roupas de tecido sintético, lã, seda, gola alta e fechada. Sempre preferir tecidos de algodão, linho e roupas frescas.”

Continua após o anúncio

4. Mantenha o corpo fresco durante a noite

Tome um banho fresco antes de dormir e prefira usar roupa de cama em camadas que possam ser ajustadas facilmente durante a noite. Evite usar edredons e, se preferir, durma em locais ventilados.

5. Escolha lençóis de tecido dry fit

“Opte por lençóis que absorvem a umidade da pele para a superfície do tecido, a partir de onde a umidade evapora (dry fit)”, orienta a Dra. Ana Flávia.

6. Terapias medicamentosas

A ginecologista informa que, nos casos de “pacientes com intensidade elevada de eventos (5-10 vezes no dia), as terapias medicamentosas são as mais efetivas (terapia de reposição hormonal baseada em uso de estrogênio, e terapia não-hormonal, baseada principalmente em antidepressivos). Em casos leves, o uso de substâncias fitoterápicas, como óleo de prímula ou cimicifuga racemosa, pode ajudar.”

Como conferimos, há diversas dicas para atenuar os fogachos, porém, se forem muito intensos, o ideal é consultar um(a) médico(a) para que esses sintomas não interfiram na qualidade de vida da mulher. Aproveite e conheça remédios naturais que ajudam a aliviar os sintomas da menopausa.

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.