Pílula anticoncepcional: tire suas dúvidas

Tire suas dúvidas sobre a pílula anticoncepcional: conheça os benefícios, os diferentes tipos e as respostas para dúvidas mais comuns

Por Andressa Dias
Atualizado em 30/07/2013 13:37
pilula anticoncepcional 1 Pílula anticoncepcional: tire suas dúvidas

Foto: Thinkstock

A pílula anticoncepcional é o método anticoncepcional ou contraceptivo mais seguro que existe. Sua margem de segurança chega a 99%, porém esta eficácia dependerá de você. A pílula deve ser tomada nos dias e horários certos, senão ela poderá falhar.

As pílulas contêm dois hormônios – o estrógeno e a progesterona – que inibem o amadurecimento dos óvulos. Sem óvulos não há ovulação, sem ovulação não há fecundação e sem fecundação não há gravidez. Veja a seguir mais detalhes sobre este método contraceptivo e se informe para tirar o melhor proveito possível do anticoncepcional.

Como usar a pílula anticoncepcional

Antes de mais nada, você terá que fazer uma consulta a um ginecologista para decidir junto com ele qual o método anticoncepcional mais adequado para você. O método que é bom para sua amiga pode não ser o melhor para você.

Geralmente a pílula deve ser tomada sempre no começo do ciclo menstrual. Nos vinte dias seguintes você deverá tomar uma pílula por dia, sempre no mesmo horário. Nos outros 7 deverá ficar sem tomar, para que aconteça a menstruação.

Caso você esqueça de tomar a pílula, tome ela assim que lembrar. Se já tiver passado mais de 12 horas o mais correto é verificar a bula do medicamento ou buscar instruções do seu médico.

Qual é a melhor pílula anticoncepcional?

Não existe a melhor pílula anticoncepcional. Existe a pílula anticoncepcional mais indicada para você, mas isso não quer dizer que ela seja a melhor para todas as mulheres.

Algumas pílulas podem ocasionar dores de cabeça ou outros efeitos colaterais em quem as toma. Por isso, os médicos geralmente acompanham o início do tratamento para conseguir, junto à mulher, escolher a pílula ideal para ela.

Em alguns casos é necessário experimentar pílulas de laboratórios e quantidades hormonais diferentes. Se pretende iniciar o uso deste métido, consulte o ginecologista para que ele receite a melhor pílula anticoncepcional para você.

Como não esquecer de tomar a pílula anticoncepcional

Pense bem antes de decidir o horário para tomar a pílula anticoncepcional. O horário escolhido deve ser aquele que você sempre estará disponível para tomá-la. Dê preferência para horários como: logo ao acordar, antes de dormir, depois do almoço. Assim fica mais díficil de você esquecer.

Pessoas que tem rotinas que mudam pouco tendem a esquecer menos de tomar pílula. Portanto, se seus horários vivem mudando, é importante se valer de vários recursos para não esquecer.

Com o tempo a pílula se tornará um hábito comum em seu dia-a-dia. Caso você tenha namorado ou marido, peça para ele ajudar você a lembrar de tomar o anticoncepcional. Outra tática é colocar no seu telefone celular um alarme diário para te lembrar de tomar o anticoncepcional. Assim, você não precisará contar apenas com a sua memória e/ou do seu parceiro.

Vale alertar que a pílula anticoncepcional previne apenas a gravidez. Portanto use sempre a camisinha para previnir as DST (Doeças Sexualmente Transmissíveis) como por exemplo a Aids.

Outros benefícios da pílula anticoncepcional

Além de ser um método contraceptivo, a pílula também é indicada para outros fins como por exemplo no tratamento de ovários policísticos, tensão pré-menstrual e cólica menstrual. Confira mais utilidades e benefícios da pílula anticoncepcional para a mulher:

  • Beleza: o uso da pílula diminui a acne e ajuda a reduzir a queda de cabelo, pois controla os hormônios; deixa a pele mais sedosa com o aumento da produção de colágeno e pode até mesmo melhorar a aparência das estrias.
  • Saúde da mulher: a pílula ajuda a amenizar os sintomas da menopausa; pode proteger o ovário dos cistos; reduz o risco de gravidez ectópica quando usado regularmente; alivia os sintomas relacionados à endometriose e pesquisas mostram que há um determinado tipo de pílula que pode auxiliar no tratamento de miomas.
  • Bem-estar: neste sentido, tomar a pílula significa humor mais equilibrado e melhor capacidade de memorização; e há também tipos específicos de pílulas que ajudam a combater a depressão e aumentar a libido, segundo estudos.
  • Prevenção: o uso da pílula pode diminuir as chances de deficiência de ferro no organismo (anemia) e pode, ainda, reduzir os riscos de doenças cardíacas.
  • Câncer: Pesquisadores afirmam também que o uso da pílula pode diminuir as chances de câncer de ovários, intestino e útero, mas em contrapartida, outras pesquisas demonstram que a pílula pode aumentar o risco de câncer de mama e de colo do útero.

Outros benefícios associados ao uso da pílula incluem a perda de peso, segundo uma pesquisa americana. Além disso, acredita-se também que a pílula possa influenciar até mesmo na longevidade da mulher, aumentando-a. Mas, como qualquer medicamento, ele pode ter efeitos que variam de organismo a organismo, por isso é importante tomar a pílula somente sob orientação médica.

Tipos de pílula anticoncepional

Existem diversos tipos de pílula anticoncepcional e vários laboratórios diferentes que as fabricam e distribuem pelo Brasil. As apresentações mais conhecidas e populares aqui são: Minesse, Mirele, Yasmin, Belara, Diane 35, Selene, Microdiol, Microvlar, Adoless, Level, Tâmisa 30 e Minulet.

Por existirem tantos tipos e laboratórios diferentes é extremamente necessário que você procure um médico ginecologista para decidir qual pílula tomar. Usar medicamento com tarja vermelha sem orientação médica é muito perigoso. Anticoncepcionais orais tomados de maneira errada perdem sua eficácia ocasionando riscos de gravidez e de efeitos colaterais que podem ser graves.

Medicamentos que interferem na pílula anticoncepcional

Alguns medicamentos possuem o poder de diminuir a eficácia da pílula anticoncepcional. Caso você estaja tomando algum deles entre em contato com seu médico. Os medicamentos mais comuns que possuem este efeito são: amoxicilina, minocilina, oxacilina, fenitoina, topiramato, primidona e metronidazol.

Para saber quais são estes remédios que interferem no efeito da sua pílula anticoncepcional, leia tanto a bula do anticoncepcional quanto a bula do remédio em questão, no tópico que trata das interações medicamentosas.

Outros métodos anticoncepcionais

Além da pílula existem diversos outros métodos contraceptivos. Alguns destes métodos são de curta duração e precisam de reposição diária, semanal ou mensal. Outros são de longa duração e podem durar entre 6 meses a 5 anos. DIU, vasectomia, essure, ligadura de trompas, camisinha, diafragma, tabelinha, pílula do dia seguinte, implante e adesivo contraceptivo são alguns exemplos destes métodos.

Cada um destes métodos tem suas vantagens e desvantagens, tempo de uso e indicações diferentes. O correto é conversar com seu ginecologista para saber qual é o método mais adequado para sua necessidade e seu corpo. Seja honesta com o seu médico e siga as instruções dele fielmente para otimizar os resultados do tratamento.

Vídeo – Bate-papo sobre pílula anticoncepcional