Entenda como funciona a tireoide

Através de exames de sangue simples é possível verificar o funcionamento da glândula tireoidiana

Por Ana Carolina Gabriel
Atualizado em 19/02/2014 17:46
entenda como funciona a tireoide Entenda como funciona a tireoide

Foto: Thinkstock

Embora ela meça aproximadamente 30 gramas, suas funções são vitais ao corpo humano. Localizada frente à laringe, a tireoide obedece os sinais vindos do cérebro para a produção dos hormônios T3 e T4, responsáveis por regular a velocidade de todo o funcionamento do organismo.

Porém, quando essa velocidade retarda ou aumenta demais, sintomas como cansaço, indisposição, stress, alteração de peso, entre outros, podem significar que ela mereça atenção e alguns cuidados médicos para retornar a sua normalidade. Quando for detectada que está com problemas, o especialista diagnosticará se há o caso é hipertiroidismo ou hipotiroidismo. Mas você sabe quais são as diferenças?

Hipotiroidismo

Acredita-se que ele pode ser hereditário, passado de geração à geração. O organismo produz anticorpos capazes de atacar a tireoide, que se inflama e deixa de realizar as suas funções. Os sintomas mais comuns, mas que podem alterar de pessoa a pessoa, são cansaço, sensibilidade ao frio, pele extremamente ressecada, aumento de peso e até faz com que a menstruação fique desregulada.

O tratamento mais comum é a reposição hormonal através de medicamentos. Mas é importante ressaltar que é apenas o médico que poderá diagnosticar com maior precisão e indicar os melhores e mais eficientes tratamentos, já que eles podem variar para cada tipo de pessoa.

Se não for tratado, a doença poderá trazer problemas cardíacos, gastrointestinais, entre outros.

Hipertiroidismo

Caracterizado pela presença de um anticorpo no sangue responsável por acelerar excessivamente a produção de hormônios. Nesse caso, é comum que os pacientes se queixem de ansiedade, insônia, nervosismo, tremores e perda de peso.

Os tratamentos também podem ser feitos através de remédios e o consumo controlado de iodo (é esse o mineral utilizado pela glândula para a produção dos hormônios). Como todos os tipos de tratamentos, somente o médico poderá indicar a quantidade necessária dele nas refeições, afinal, o excesso de ingestão do iodo também pode comprometer o tratamento.

Em outros casos, o especialista indicará cirurgia para que o tratamento seja mais eficaz.

Como é feito o diagnóstico?

Recomenda-se que todas as pessoas realizem os chamados exames preventivos, pelo menos, duas vezes ao ano. No caso da análise da tireoide, o médico poderá solicitar três tipos de exames:coleta de sangue, cintilografia e ultrassom.

Coleta de sangue: através de um simples exames de sangue, é possível conferir as dosagens dos hormônios TSH,T3 e T4. O resultado dele também aponta a presença dos anticorpos antitiroidianos.

Cintilografia: Classificado como mapeamento da tireoide, o paciente recebe iodo radioativo no corpo. Essa radioatividadade do mineral, forma áreas com maior luminosidade, sendo possível verificar onde há mais ou menos concentração do iodo.

Ultrassom: Dependendo do caso, o especialista indicará esse exame para verificar a presença ou não, de nódulos na glândula. Caso ele esteja presente e se for maior do que 1 cm, os especialistas fazem a punção, que através de uma agulha, retira-se algumas células para análise.