Bem-estar

Você é uma mãe cansada? Saiba como lidar com o burnout materno

Canva

Atualizado em 18.08.22

A mãe cansada é uma imagem frequente na maternidade, no entanto não deve ser romantizada. Quando a exaustão se intensifica, surge o cansaço emocional, o esgotamento e o burnout materno. A psicóloga Adriane Maragno (CRP 08/15253) explica a gravidade do assunto, os sintomas, as causas e como ajudar quem está passando por isso. Acompanhe a matéria!

Publicidade

Mãe cansada: o que é a exaustão na maternidade

Canva

Por trás de uma mãe cansada, há uma sobrecarga histórica, uma cobrança social e cultural, acúmulo de tarefas e, na maioria das vezes, pouca ajuda. O estereótipo da mãe ideal é aquele que se sacrifica pela criança, trabalha fora, cuida da casa, não reclama, enfim, uma mulher maravilha. O pai ausente não é socialmente cobrado. Entretanto, chega um momento quando a exaustão fala mais alto e, então, surge o burnout materno.

Burnout materno

Segundo a psicóloga Adriane Maragno, é natural uma mãe se sentir cansada, afinal, cuidar de uma criança demanda muita energia, atenção e compromisso. Contudo, há o mito da maternidade feliz que esconde a realidade. Muitas mulheres precisam conciliar família, trabalho e vida social, outras vivem intensamente o núcleo familiar. O machismo ‘livra’ o homem de uma participação ativa. Então, o estresse aumenta, não há descanso e a sensação de exaustão é constante. Tudo isso é indício do burnout materno, ou seja, um estado de sobrecarga física e mental.

Adriane Maragno resgata a chamada Síndrome de Burnout caracterizada pelo extremo desgaste emocional associado ao intenso ritmo de trabalho. Assim, seguindo a lógica, o burnout materno é um distúrbio psíquico causado pela exaustão e pela grande tensão emocional que as mães vivem cotidianamente com o acúmulo de funções.

Não é um mero cansaço, mas uma sensação constante de esgotamento que influencia no bem-estar, qualidade de vida, obrigações maternas, compromissos profissionais etc. A seguir, conheça os principais sintomas.

Sintomas do burnout materno

O burnout materno se manifesta tanto por meio de sintomas físicos quanto psicológicos. Eles podem aparecer juntos, separados e em diferentes escalas. A seguir, a psicóloga listou os principais. Confira!

Sintomas físicos

Os sintomas do cansaço excessivo refletem na condição física das mães. Abaixo, veja alguns deles:

  • Exaustão;
  • Dores musculares;
  • Enxaqueca;
  • Dores de estômago;
  • Insônia.

Vale ressaltar que um sintoma sozinho não indica o burnout materno. No entanto, se o cansaço, as dores físicas e o desgaste emocional persistirem, é importante procurar ajuda profissional.

Publicidade

Sintomas psicológicos

A saúde mental está atrelada à saúde física, quando uma não vai bem, a outra acompanha. Os sintomas psicológicos provocados pelo burnout materno incluem:

  • Irritabilidade;
  • Sentimento de culpa;
  • Sentimento de impotência;
  • Necessidade de provação;
  • Baixa autoestima;
  • Insegurança;
  • Pessimismo;
  • Oscilação no humor;
  • Dificuldade de concentração;
  • Problemas de memória.

É preciso estar atenta aos sintomas. Não existe uma maternidade perfeita. Os sentimentos de raiva, insegurança e pessimismo são comuns na vida de todas as pessoas, porém, o excesso é desgastante e precisa ser cuidado.

Por que as mães ficam tão cansadas?

Canva

Maragno explica que as mães enfrentam uma tripla jornada: elas precisam lidar com o trabalho, com a família e com as tarefas do lar. “O acúmulo de funções gera uma tensão e a chegada da criança ocasiona mudanças na rotina. Do nascimento do bebê até os três anos é o período com mais ocorrência de burnout materno, pois a criança é totalmente dependente da mãe”, informa a profissional.

Assim, muitas mulheres enfrentam dificuldades para lidar com a nova rotina, e o estresse vai se prolongando devido à tentativa de conciliar todas as funções do dia a dia. “Essa dificuldade no manejo das atividades faz a gente pensar na possibilidade de a mãe estar vivenciando o burnout materno”.

Ainda, é superválido destacar que a maternidade em si não é a responsável pelo burnout. O cansaço excessivo é desencadeado pelo modo como a mulher está vivendo esse momento, sua sobrecarga de responsabilidades e o quanto de ajuda ela recebe.

Como lidar com o problema

Durante a maternidade, cada vez mais, a mulher vai diminuindo o autocuidado para se dedicar às necessidades dos filhos. No entanto, algumas ações podem prevenir um quadro de burnout, entre elas:

  • Ter uma rede de apoio: nesse período, é importante o apoio de amigos, familiares e profissionais. Seja nas atividades domésticas, nos cuidados com a criança ou para conversar sobre as preocupações maternas.
  • Fazer atividades diversificadas: não é saudável viver para uma única função. A realização de atividades não relacionadas à maternidade ajuda a mulher a ocupar a mente, encontrar leveza e novas paixões.
  • Não é possível dar conta de tudo: é normal não conseguir lidar com todas as tarefas diárias. A mãe precisa ter isso em mente, pois a sobrecarga não é saudável.
  • Reservar um tempo para o autocuidado: o cuidado pessoal é um grande aliado. A mulher precisa de um tempo para si mesma, para fazer o que gosta e para descansar.
  • Buscar assistência psicológica: ao perceber os sinais de burnout, procure ajuda profissional. A psicoterapia é uma grande aliada para a mãe em um processo de autodescoberta.

As recomendações indicadas são alternativas para prevenir o burnout materno. Não espere o pico do esgotamento e não tenha vergonha de pedir ajuda, pois a maternidade não precisa ser solitária.

Como ajudar uma mãe cansada

A mãe não precisa lidar com o burnout sozinha, pois isso também é cansativo. Entretanto, muitas vezes, as pessoas próximas relutam em assumir que há um problema. O parceiro, familiares e amigos podem ajudar, veja como:

  • Não julgar e não culpar a mãe: quanto maior a pressão, mais a mulher se sentirá culpada e impotente. Logo, não desvalide o cansaço dela e não a culpe por não dar conta de todas as atividades.
  • Demonstrar empatia: a empatia é fundamental para compreender o que a mãe está passando. Preste a atenção aos detalhes, à comunicação não verbal, entre outros indícios.
  • Mostrar-se à disposição para ajudá-la: o apoio é reconfortante. As pessoas próximas podem ajudar nas tarefas domésticas, passar um tempo com a criança, ir à farmácia etc. Demonstre que você quer ajudar.
  • Ser uma escuta ativa: deixe claro que a mãe pode desabafar, pedir ajuda, conselhos ou, simplesmente, jogar conversa fora com você. Ser um bom ouvinte conta muito!
  • Tomar cuidado para não comparecer em horários inoportunos: o ideal é sempre avisar quando for visitar a mãe. Os dias são bem incertos, conviver com uma criança é uma caixinha de surpresas. Então, não é toda vez que a mãe estará pronta para receber alguém.

É indispensável e fundamental o apoio do círculo pessoal. Assim, a mãe poderá cuidar de si, ficará motivada e conseguirá passar um tempo de qualidade com a criança.

Publicidade

Relatos de mães cansadas

Após a apresentação das causas e dos efeitos do burnout materno, confira alguns relatos de mães que passaram ou ainda passam por essa situação de esgotamento.

Tempo para elas

A apresentadora Sabrina Sato conversa com duas mães que possuem histórias bem diferentes em relação à maternidade. Apesar disso, ambas sentem a mesma sensação de cansaço extremo. As mulheres ainda relatam o que fazem para conseguir um tempo de descanso.

Conheça a rotina de uma mãe

O dia a dia de uma mãe é uma incógnita, tudo pode acontecer, nada é definido. A youtuber Cristal Barujo é mãe de 3 crianças e mostra sua rotina. Ela tenta dedicar seu tempo para cuidar dos filhos, da casa e de si.

Desabafos sobre a maternidade

O pós-parto, também chamado de puerpério, pode desencadear diversas reações. Nesse vídeo, a youtuber Fernanda Pupo conta como foi enfrentar essa fase. Ela precisou lidar com o baby blues e o burnout materno.

Enfim, vale a pena ressaltar o quanto a maternidade é algo pessoal, ou seja, cada mulher vive esse momento de modo particular. Também é preciso considerar vários outros fatores, como a saúde da criança e o apoio que a mulher recebe. Essas questões e outras são retratadas em filmes sobre a maternidade.