Bem-estar

Terapia de casal: entenda quando ela é indicada e quais são os benefícios

Canva

Atualizado em 07.07.22

Possivelmente você já tenha visto, em filmes e séries, a famigerada cena em que um casal discute na sala de um analista. Mas, você sabe como funciona e qual é o real objetivo de uma terapia de casal? Um relacionamento saudável precisa ser trabalhado constantemente e, em alguns casos, a ajuda profissional faz toda a diferença. Para entender o assunto, confira o que diz a psicóloga Rafaela Rocha Mafra Freitas (CRP 08/28709).

Publicidade

O que é a terapia para casal e por quem pode ser feita?

De acordo com a psicóloga especialista em relacionamentos, a terapia de casal é uma entre as várias modalidades de atendimento da psicoterapia clínica. Contudo, diferentemente da psicoterapia individual, que busca elaborar conflitos pessoais, na terapia de casal, o principal objetivo é “solucionar conflitos que são originados a partir da relação”, esclarece a profissional.

Como aponta a psicóloga, o foco desse acompanhamento psicoterapêutico é “contribuir com o casal na resolução dos conflitos, além de ampliar o olhar para suas relações de modo a estabelecerem relações mais saudáveis”. Um espaço seguro para o diálogo, reflexão assertiva e alinhamento de expectativas.

O processo deve ser, preferencialmente, acompanhado por um profissional da psicologia. Além disso, ao contrário do que muitos pensam, não é indicado apenas para casais em união estável ou casamento. “Também é aplicável para casais que estão em um namoro ou outros tipos de relacionamentos”, pontua a especialista.

Motivos que levam os casais a fazer terapia

Canva

Pensada como uma ferramenta para auxiliar na resolução dos conflitos presentes em um relacionamento, a terapia de casal é buscada por diversos motivos, desde questões mais simples até questões que colocam em xeque o futuro da relação. A seguir, a profissional pontua os principais:

  • Mudanças oriundas na relação, por exemplo, o nascimento de um filho ou uma mudança de cidade;
  • Questões de insegurança e excesso de ciúmes;
  • Questões voltadas à sexualidade e aos conflitos sexuais;
  • Crises financeiras;
  • Morte de familiares próximos;
  • Ausência de diálogo;
  • Traição e/ou preparação para o divórcio.

Independentemente de qual seja o motivo, “todas as questões podem ser trabalhadas em conjunto”. Nesse sentido, o “terapeuta participa como um terceiro, um olhar de fora, para ampliar a visão do casal”. Entretanto, o profissional não é o único responsável pelos resultados do processo e “não existem promessas de restabelecimento do relacionamento”, explica a especialista.

Quando a terapia de casal é indicada?

Como dito anteriormente, a terapia é indicada em qualquer configuração de relacionamento, ou seja, é “para casais que estão enfrentando conflitos nas relações e que não estão conseguindo se resolverem entre si”, explica a psicóloga.

Entretanto, nem sempre a terapia de casal é indicada. A profissional esclarece que, “quando as questões do relacionamento são decorrentes de um conflito pessoal, a psicoterapia individual é a mais indicada”, tendo em vista o caráter particular do que está gerando o desconforto na relação.

Publicidade

Outro fator apontado pela psicóloga é que a terapia de casal também pode ser trabalhada de maneira preventiva, “quando pequenos desentendimentos existem e começam a aparecer, ou quando o casal deseja se conhecer melhor, com o intuito de manter a relação saudável”.

Dúvidas frequentes: duração, valor e como funciona a terapia de casal

Canva

Segundo a psicóloga, a terapia de casal basicamente funciona como a individual: “acontece em sessões agendadas previamente, com duração entre 1h e 1h30, contemplando uma sessão por semana”.

Na primeira sessão, geralmente, o assunto abordado é “o momento atual do casal, os conflitos existentes, a história de como se conheceram e outras informações que forem pertinentes”. Nas demais sessões, ocorrem intervenções, “no sentido de favorecer a comunicação do casal para iniciar a busca por resoluções”, esclarece a profissional. Além do diálogo, outros recursos, como jogos e baralhos terapêuticos, podem ser utilizados de maneira interventiva.

Em relação à quantidade de sessões necessárias, a especialista pontua que “não existe um tempo determinado para duração da terapia, mas, em geral, não é um processo que se estende por longos períodos”, e a alta ocorre de acordo com a resolução dos conflitos trazidos ou pelo desejo próprio do casal.

Falando sobre valores, a psicóloga revela que a média de preços pode variar entre R$ 200 e R$ 280 por sessão, “de acordo com a tabela do Conselho Federal de Psicologia, que norteia e orienta quanto os valores médios”.

A terapia de casal é eficaz?

A terapia de casal realmente funciona? Essa talvez seja a pergunta que mais aflige quem busca o processo terapêutico em casal. E, de acordo com a psicóloga, a resposta é sim!

Freitas explica que, “às vezes, o conflito existente entre o casal não é tão grave, mas somente com a presença de um terceiro, neutro, é possível essa percepção”. Isso porque esse tipo de terapia “auxilia o fortalecimento do casal, a melhora das relações e a clareza quanto as decisões”.

Claro, é sempre bom lembrar, “não existem promessas de restabelecimento do relacionamento”, como foi dito pela profissional em outro momento. “Não é como se o psicólogo pudesse resolver todas as questões, mas a sua presença facilita e favorece o processo de análise da saúde da relação”.

Relacionamentos não são perfeitos, pois envolvem a subjetividade de cada um e isso gera conflitos. Se o casal não dialogar, conversar sobre as diferenças e buscar soluções, com o tempo, o namoro ou casamento podem se transformar em um relacionamento tóxico. Então, sim, vale a pena investir na terapia, porém essa decisão precisa ser tomada em conjunto com seu parceiro ou parceira.

Publicidade

Psicóloga apaixonada por literatura e psicanálise. Acredita que as palavras, escritas ou faladas, têm o poder de transformar.