Menstruação rosa: ginecologista explica as causas e formas de tratamento

Escrito por
Em 24.11.19

iStock

Saúde feminina é um assunto de extrema importância e que ainda gera muitas dúvidas entre as mulheres. Quando falamos de menstruação, por exemplo, os questionamentos são inúmeros. Aqui vamos falar especificamente sobre a menstruação rosa, suas causas e o que este sangramento pode indicar. Confira!

Continua após o anúncio

Menstruação rosa é normal?

iStock

A ginecologista Thalita Rupolo Praxedes (CRM: 152414), da Clínica Mais Excelência Médica, afirma que a menstruação rosa pode estar relacionada a causas como início de gestação, alterações hormonais, infecções vaginais, lesões na vagina ou no colo do útero e sangramentos de escape devido ao uso de anticoncepcionais orais. “Quando presente, o ideal é procurar atendimento médico”, completa.

Outras dúvidas respondidas sobre menstruação rosa

A seguir, confira outros questionamentos esclarecidos por Praxedes:

O que significa a menstruação rosa e pouca? Pode indicar início de gestação, sangramento de escape (spotting) e infecções ou lesões vaginais.

O que significa a menstruação rosa acompanhada de cólica? Nesse caso, deve-se sempre verificar a possibilidade de gestação. Pode ser um sangramento de escape devido ao uso da pílula anticoncepcional.

Menstruação rosa pode indicar gravidez? Sim. O sangramento pequeno e rosado pode ser indicativo de gestação na fase inicial, relativo à nidação – implantação do óvulo fecundado no útero.

Quando a mulher deve se preocupar? O ideal é sempre procurar atendimento com o médico ginecologista na ocorrência de alteração do fluxo menstrual. O profissional avaliará a necessidade da realização de exames complementares.

Qual o tratamento mais indicado pelo ginecologista? O tratamento vai depender da causa. É essencial individualizar e examinar a paciente que apresenta sangramento fora do habitual. Dependendo do caso, desde a mudança de anticoncepcional, acompanhamento da gravidez, uso de cremes vaginais com antibióticos e até mesmo cirurgia para tratar a lesão.

Praxedes ressalta a necessidade de estar com a rotina ginecológica em dia. “A medicina preventiva é sempre a melhor escolha. Os exames ginecológicos são imprescindíveis e devem ser realizados pelo menos uma vez ao ano ou de acordo com a orientação do médico”.

Continua após o anúncio

Confira também mais informações sobre o sangramento de escape, suas principais causas e como identificá-lo e diferenciá-lo da menstruação normal.

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.