Dicas de Mulher Dicas de Beleza

Peeling de diamante: pele bonita e macia sem dor

Procedimento acelera renovação da pele e é um ótimo tratamento para acne, rugas finas, manchas, flacidez e até estrias

em 26/11/2013

Foto: Thinkstock

Uma pele macia, sem manchas e bonita. Essa é a promessa do peeling de diamante que encanta tanto as mulheres. O procedimento realizado em clínicas de dermatologia ou estética acelera a renovação da pele por meio da dermoabrasão, uma técnica de raspagem que, apesar impressionar à primeira vista, não irrita a pele e nem causa dor.

“A remoção da camada superior da pele morta contribui não só para a melhoria da circulação sanguínea e o aumento da taxa metabólica nos tecidos da pele, mas também para a formação dos elementos conectivos presentes nas peles jovens, como colágeno, elastina e ácido hialurônico”, explica Luana Meireles, esteticista da Ophicina do Cabelo.

Na prática, o peeling de diamante consiste em uma esfoliação mais profunda, realizada normalmente no rosto, no colo ou nas mãos. Seu principal benefício é ajudar a restaurar a estrutura da pele. “O procedimento é indicado para tratamentos de acne, rugas finas de expressão, clareamento de manchas, flacidez e estrias vermelhas e brancas”, afirma Patricia Zaruty, esteticista da Zerran Brasil Coiffeur.

A diferença em relação aos outros tipos de peeling é a ferramenta utilizada: uma ponteira de diamante, que é bem menos invasiva. É ela que entra em contato com a pele e as especialistas garantem que não causa nenhum tipo de dor.

“A ponteira de diamante não é irritante ou desconfortável e uma das suas maiores vantagens é não causar vermelhidão ou descamação. A pessoa pode voltar ao dia-a-dia imediatamente e o procedimento pode, inclusive, ser realizado próximo de festas, como formaturas e casamentos”, esclarece Patricia.

Como é feito o peeling de diamante

Confira o roteiro base de aplicação do peeling de diamante nas clínicas:

  1. Limpeza da pele: um demaquilante é aplicado com massagens em movimentos circulares. O produto é retirado com água e gaze para que a pele receba um tônico, para uma limpeza ainda mais profunda.
  2. Esfoliação: em seguida, um esfoliante facial é aplicado por no máximo um minuto e, então, retirado novamente com água e gaze.
  3. Peeling: com a pele totalmente limpa, é hora da ponteira de diamante entrar em ação. O procedimento dura no máximo cinco minutos e a sensação na pele é de leve sucção.
  4. Relaxamento: após a aplicação, a pele recebe uma máscara relaxante, que serve para acalmá-la. Depois de 20 minutos, o produto é retirado com água e gaze e a finalização é o uso de filtro solar.

Patricia explica que os primeiros efeitos do tratamento são sentidos logo após a primeira aplicação, mas os resultados ficam mais evidentes depois de cerca de cinco sessões, realizadas uma vez por semana ou a cada quinzena, dependendo do caso.

“Imediatamente após a aplicação, a pele fica um pouco mais rosa e, por isso, não deve ser irritada com as unhas. Mas, gradualmente, manchas relacionadas à idade, linhas finas, rugas e sardas se tornarão cada vez menos visíveis e podem até desaparecer completamente.”

O peeling de diamante é indicado para todos os tipos de pele, mas Patricia pondera algumas contraindicações: o procedimento não deve ser realizado quando a pessoa apresentar algum tipo de doença inflamatória da pele ou acne de grau II, III e IV.

Outro cuidado importante é não abrir mão do protetor solar no rosto e evitar o Sol após a aplicação. O verão não é uma restrição, mas se você tiver escolha, opte por fazer o peeling durante o inverno, que é a época mais indicada para esse tipo de procedimento.

O peeling deixa a pele bastante sensível por mais ou menos uma semana, chegando, inclusive, a descascar. Resista à tentação de puxar as “pelinhas” e deixe o rosto de recuperar naturalmente, sem usar maquiagem ou qualquer tipo de cosmético que não seja o protetor solar. Passada essa fase inicial mais crítica, volte a hidratar sua pele normalmente.

Comentários
Dicas relacionadas