Qual é o melhor tipo de sal para uma alimentação equilibrada?

Nutricionista indica a quantidade ideal, lista diferentes tipos de sal e ensina um preparo mais saudável para fazer em casa

Escrito por Mariana Bueno

Foto: iStock

O sal é um tempero que está presente na maioria das refeições. Afinal, ele deixa a comida mais saborosa. Mas o consumo de sal, dependendo da quantidade, pode fazer mal à saúde, causando problemas como pressão alta, que pode levar a doenças cardíacas e derrames.

De acordo com o nutricionista Marcelo Langsdorff, do Rio de Janeiro, a recomendação da Organização Mundial de Saúde para esse consumo é de, no máximo, cinco gramas por dia – o que equivale a menos de uma colher de chá. Mas, entre os brasileiros, a quantidade por pessoa chega em média a 15 gramas por dia, ou seja, três vezes mais que o recomendado.

Além da quantidade, é importante saber escolher também o tipo de sal e, de preferência, optar pelos que possuem menor teor de sódio. “Se a pessoa não tem nenhum problema, pode usar o sal de cozinha, porque ele é bem mais barato. Mas, é preciso ficar atento à quantidade. Para quem tem hipertensão, o recomendado é usar o sal light, o marinho ou o líquido”, explica.

Ele esclarece também alguns detalhes na produção e composição de 10 tipos de sal, para que cada pessoa possa fazer sua escolha de forma consciente e sem prejudicar a saúde. Confira:

Imagem: Dicas de Mulher

Sal líquido: tem 110 mg de sódio por grama. Ele é conhecido por ser altamente puro e por ser dissolvido em água
mineral. Possui menos sódio que o sal light .

Leia também: Aprenda a evitar o consumo excessivo de sal

Sal light: tem 200 mg de sódio por grama. Feito justamente para pessoas que têm problema de hipertensão, porque faz o controle hídrico do corpo. Na composição só tem 50% de cloreto de sódio e o restante é composto por cloreto de potássio, que é diurético. Porém, não é recomendando para quem sofre com algum problema renal.

Sal do Himalaia: tem 230 mg de sódio por grama. Possui mais de 80 tipos de minerais (como cálcio, ferro, potássio, cobre e ferro). É retirado de uma região que, no passado, era banhada pelo mar. Seu uso é indicado para temperar carnes grelhadas, saladas e legumes.

Sal negro: tem 380 mg de sódio por grama. Possui origem vulcânica. Além do cloreto de sódio, também é composto por cloreto de potássio e ferro. A característica marcante é a presença de enxofre. Possui um gosto sulfuroso.

Sal marinho: tem 390 mg de sódio por grama. Também é obtido pela evaporação da água do mar e não sofre refinamento. Ele é menos processado e, por isso, a maior parte dos minerais é preservada. A quantidade de sódio é similar à do sal de cozinha. Os sais rosa e preto, por exemplo, são exemplos de sal marinho.

Sal do Havaí: tem 390 mg de sódio por grama. Possui a coloração rosa avermelhado, porque é proveniente de uma região argilosa, rica em ferro.

Leia também: O que significa cada item do rótulo dos alimentos?

Sal defumado: tem 395 mg de sódio por grama. É comumente produzido na França e é defumado a partir da fumaça proveniente da queima de barris de carvalho, que são usados no envelhecimento de vinhos. São sais mais aromáticos.

Sal de cozinha: tem 400 mg de sódio por grama. Também conhecido como sal refinado, é o mais utilizado pelos brasileiros. Ele é obtido a partir da evaporação da água do mar e acrescido de iodo, por exigência do Ministério da Saúde. É composto por 60% de cloreto e 40% de sódio. Apesar de ser pobre em nutrientes, tem uma capacidade boa de salgar.

Sal grosso: tem praticamente a mesma quantidade de sódio em relação ao sal comum. Segue o mesmo processo de fabricação do sal de cozinha, mas não passa pelo refinamento. É muito utilizado para temperar carne, porque não resseca o alimento.

Flor de Sal: tem 450 mg de sódio por grama. É o sal mais rico em sódio. Ele é retirado da parte mais superficial das salinas. Formam cristais translúcidos e são bem crocantes. Ele é utilizado em alimentos prontos, para dar mais crocância. Não é indicado pelos nutricionistas.

Segundo o nutricionista Marcelo Langsdorff, cada pessoa pode escolher o tipo de sal que preferir. O importante é que essa escolha seja em uma quantidade pequena, dentro das recomendações.

Leia também: 12 dicas para desintoxicar seu organismo

Como preparar seu próprio sal?

Foto: iStock

Uma dica do nutricionista é preparar o próprio sal com ervas. “É uma mistura de ervas com o sal de cozinha. A vantagem é que o alimento fica mais saboroso, sem necessidade de usar tanto sódio”, explica. Veja como fazer:

Ingredientes

  • 1 colher (sopa) de alecrim
  • 1 colher (sopa) de salsinha desidratada
  • 1 colher (sopa) de manjericão
  • 1 colher (sopa) de orégano
  • ½ xícara (chá) de sal refinado ou sal light

Modo de preparo

Adicione todos os ingredientes no liquidificador ou mixer e bata até que fiquem misturados e mais finos. Conserve em um recipiente de vidro com tampa.

Esta é uma opção prática e caseira de preparar o sal, porém, o importante mesmo é estar atenta à sua saúde e escolher o sal que melhor atenda suas necessidades.

Assuntos: Alimentação

Para você