Especialistas respondem se grávida pode tomar chá de erva-doce

Escrito por
Em 28.04.20

iStock

Os chás são grandes aliados, pois podem oferecer diversos benefícios à saúde de forma natural, cada qual com suas particularidades. Porém, o consumo na gestação exige cuidados e uma dúvida comum é se grávida pode tomar chá de erva-doce, especialmente devido à fama desse chá de ajudar no combate a gases. Confira abaixo o esclarecimento de uma obstetra e de uma nutricionista.

Continua após o anúncio

Grávida pode tomar chá de erva-doce?

iStock

A nutricionista clínica, fitoterapeuta e coaching nutricional Ana Paula Moura (CRN 95100221) explica que, com a falta de estudos fundamentados na fitoterapia sobre chás na gravidez, não se aconselha o uso de qualquer chá, exceto o de gengibre, sem a consulta de um obstetra e/ou fitoterapeuta nesse momento de vida da mulher.

Porém, caso haja a liberação do chá pelo profissional que acompanha a gestante, normalmente recomenda-se o consumo de 2 a 3 xícaras ao dia, conforme comenta Ana Paula.

Benefícios do chá de erva-doce na gravidez

Grávida pode tomar chá de erva-doce para gases? Essa é uma das principais dúvidas relacionadas à bebida. Ana Paula responde que o chá de erva-doce é um forte aliado para diminuir a produção de gases para gestantes ou não gestantes. “Contudo, se faz necessário consultar um fitoterapeuta e obstetra para ter a certeza de que a gestante pode consumir o chá”, reforça a nutricionista.

Aparecida Monteiro (CRM 52669660), ginecologista com mestrado em saúde materno-infantil e membro da Associação de Ginecologia e Obstetrícia do Rio de Janeiro, acrescenta que esse chá tem ainda sido relacionado ao alívio de dor abdominal (tipo cólica), prisão de ventre, alterações digestivas e parece promover a redução de “inchaços”. Na lactação, pode ainda estimular a produção de leite.

Cuidados com o chá de erva-doce na gravidez

“É sempre importante lembrar que dispomos de poucos ou, às vezes, nenhum dado sobre o efeito toxicológico das plantas medicinais. Então, a crença de que, por ser ‘natural’ não causa problemas, deverá ser sempre repensada”, comenta Aparecida. Como efeitos adversos associados ao uso excessivo de erva-doce, a ginecologista destaca que podem ocorrer reações alérgicas, gastrointestinais e até respiratórias.

Quais chás evitar e quais tomar?

iStock

Aparecida comenta que a segurança do uso de chás durante a gestação é sempre controversa devido às dificuldades de estudos nessa população, sendo pequeno o suporte científico que garante quais são as doses seguras e tóxicas na gravidez.

Continua após o anúncio

Chás que grávidas podem tomar

Ana Paula destaca que o chá de gengibre é o único com estudos fundamentados na fitoterapia quanto ao uso para gestante. “É excelente para diminuir um sintoma muito comum nas grávidas: o enjoo do primeiro trimestre. Além disso, é um excelente anti-inflamatório”, esclarece.

Aparecida comenta que, além do chá de gengibre para reduzir náuseas e vômitos, o chá de cranberry pode ser indicado, em alguns casos, para prevenção de infecção urinária. “Porém, consulte sempre o seu obstetra antes de ingerir qualquer chá”, alerta.

Chás que grávidas não podem tomar

A ginecologista explica que, embora a maioria dos chás de ervas produzidos comercialmente possam ser seguros durante a gravidez e a amamentação, desde que utilizados com moderação, não existem estudos científicos endossando essa segurança. “Na dúvida, evite o consumo no primeiro trimestre e converse com o seu obstetra”, orienta Aparecida.

“A preocupação que nos cabe é a possibilidade de plantas medicinais promoverem sangramentos, contração uterina, redução do fluxo sanguíneo placentário, restrição do crescimento fetal, além da possibilidade de ação teratogênica e interação com medicamentos”, acrescenta a ginecologista. Ana Paula Moura reforça que nenhum chá, exceto o de gengibre, é seguro para gestantes. “Sempre consulte seu fitoterapeuta e obstetra para mais informações”, finaliza.

Agora você já sabe que a mulher grávida pode tomar chá de erva-doce se houver recomendação por parte de seu obstetra. Caso contrário, o consumo deve ser evitado, devido à falta de estudos científicos mostrando o que, de fato, seria uma dose segura. Aproveite e conheça também os benefícios gerais do chá de erva-doce.

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.

Assuntos: Alimentação, Gravidez