Bem-estar

BDSM: o que significa e principais dicas para quem está iniciando

Dicas de Mulher

Com revisão da psicóloga Fernanda Cassim

Atualizado em 15.01.24
push pixel

Você já ouviu falar de BDSM? O assunto ganhou muito destaque com o filme “50 Tons de Cinza”, despertando, assim, o interesse do público. Se você quer praticar ou apenas satisfazer sua curiosidade sobre o assunto, confira as informações da sexóloga e psicóloga do Dicas de Mulher. Ela enumerou dicas, termos e as principais dúvidas sobre o BDSM.

Conheça a especialista

Fernanda Cassim é psicanalista e palestrante, graduada em Psicologia e em Letras, com Mestrado e Doutorado em Linguística e Pós-Graduada em Sexualidade Humana. Dedica sua carreira ao desenvolvimento de mulheres líderes no trabalho, nos relacionamentos e na vida.

Primeiramente, o que significa BDSM?

  • Bondagem: prática de restringir fisicamente o parceiro ou parceira. Pode ser com cordas (como no shibari), algemas, vendas, entre outros.
  • Dominação: na prática do BDSM existe um agente dominador e um submisso. O dominador é quem comanda a ação e define como será feita a cena.
  • Submissão: o submisso deve “obedecer” ao dominador. Esse é o papel de quem recebe as demandas e punições.
  • Masoquismo e sadismo: o masoquismo é o prazer de sofrer as punições do dominador. Já o sadismo é o prazer em executar as punições físicas ou emocionais no seu submisso.

Uau, o BDSM realmente é intenso! Entretanto, para todas as práticas, existem níveis e limites, basta você descobrir suas preferências.

Mitos e verdades sobre a prática do BDSM

Para muitos, o BDSM é um mistério, mas não precisa ser! Veja o que a sexóloga falou sobre as principais dúvidas e mitos relacionados à prática:

O BDSM sempre envolve práticas sexuais

Mito. A prática BDSM nem sempre envolve sexo. Ela pode ser algo bastante intenso e sensual, mas não precisa ser necessariamente uma relação sexual. Por exemplo, uma massagem pode ser uma prática BDSM.

50 Tons de Cinza é uma representação perfeita do BDSM

Mito. O livro não aborda de forma 100% certa a prática. Ele traz muita fantasia e alguns desrespeitos na relação entre os praticantes, por exemplo, descumprimentos de regras. Isso não faz parte das práticas de BDSM da vida real, porém, nem por isso, a narrativa é menos excitante!

Publicidade

Se eu sufocar minha parceria vou machucá-lo(a)

Mito. Um dos maiores questionamentos sobre as práticas BDSM é o enforcamento, se é uma prática segura ou se pode machucar o sub. Para a sexóloga, é possível praticar o sufocamento com segurança, porém é importante se atentar aos sinais para não ultrapassar o limite.

A prática do BDSM só é possível entre casais heterossexuais

Mito. Apesar de muitas pessoas acreditarem que apenas as mulheres podem exercer o papel de sub, essa prática não segrega gênero ou sexualidade. Todos podem ser adeptos a ela. Basta encontrar um companheiro ou companheira que deseje praticá-la, estudar bastante sobre o assunto e ser feliz!

Não existe amor entre os casais que praticam BDSM

Nem sempre. Alguns casais já vêm de um relacionamento afetivo longo ou já são casados. Apesar disso, alguns casais preferem manter a relação contratual, sem vínculos emocionais. O que vale é você se sentir bem e saber os seus limites.

Eu posso dizer não ao meu dominador

Verdade. Tudo que é realizado no BDSM é com consentimento, então é possível negar uma ação. Para que a prática seja realizada de forma completa, é importante que haja muita conversa prévia entre os dois, definindo tudo o que pode ou não acontecer antes mesmo de começar a experiência.

O BDSM é uma prática muito violenta

Mito. Apesar do que vemos na mídia, a prática do BDSM tem vários níveis. Você pode praticar apenas ações mais comuns e “leves”, como tapas, chicotes e algemas, que não machucam a parceira. Um simples jogo de poder estabelecido entre você e a sua parceira já pode ser considerado como BDSM.

Devo ter vergonha de praticar o BDSM

Mito. O prazer nunca deve ser motivo de vergonha. É claro que você não é obrigada a compartilhar com o mundo, já que tem direito a sua intimidade, mas não precisa ter vergonha de praticar BDSM. Acredite: é muito mais comum do que você pensa!

Publicidade

Como começar a praticar o BDSM?

bondage brinquedo sexual bdsm

Dicas de Mulher

Para os iniciantes, o BDSM é um universo a ser desbravado e algumas dicas podem facilitar esse processo. Confira algumas dicas para trazer a prática para sua rotina sexual.

1. Consentimento

Apesar do que muitos pensam, o BDSM é uma prática completamente consensual. Antes de iniciar qualquer tipo de atividade, converse muito com a outra pessoa, deixando claro tudo o que te agrada ou desagrada na cama. O prazer pela dor só existe se a pessoa consentir, caso contrário, é abuso!

2. Palavra de segurança

A palavra de segurança ou “safeword” é uma palavra escolhida pelos parceiros ou parceiras para garantir a segurança do ato. Essa palavra é dita pelo submisso quando ele deseja interromper a prática. A palavra de segurança deve ser respeitada acima de tudo.

Mas qual palavra devo usar? A dica é que sejam utilizadas palavras de fácil entendimento e que não possam ser utilizadas em outro contexto ou gerar algumas deturpações. Opte por palavras simples e fáceis de entender na hora H.

3. Confiança

Para a prática do BDSM, é indispensável a confiança na outra pessoa. É preciso escolher alguém que você possa confiar e que você se sinta à vontade de forma completa, principalmente se seu desejo é ser submissa. Tenha certeza de que essa pessoa respeitará seus limites e principalmente sua palavra de segurança.

4. Autoconhecimento

Para que a prática do BDSM seja bacana, é preciso que você descubra o que você deseja receber dessa experiência. Existem os papéis de dominador e submisso, mas muitas pessoas oscilam entre os dois – são os chamados “switchers”. Além de definir seu papel, você deve escolher o que quer experimentar ou o que não deseja fazer de jeito nenhum. Essas são maneiras de garantir que sua experiência seja prazerosa, você pode descobrir tudo isso sozinha ou acompanhada.

Publicidade

5. Acessórios

A prática do BDSM é otimizada com o uso de acessórios. Existe uma infinidade de acessórios como algemas, kit bondage, chicotes e muito mais. A dica é escolher acessórios que ofereçam segurança e conforto. As algemas, por exemplo, devem ter uma trava de segurança para que o seu par não fique preso. Conheça o seu corpo e o de seu parceiro ou sua parceira, saiba quais são os limites dos dois, assim, você poderá escolher acessórios mais leves ou que machuquem mais.

Coleira com Algemas e Correntes
  • Kit perfeito para submissão e dominação
  • Feito em couro sintético lavável com correntes de aço escovado
  • Material atóxico
Chibata Tiazinha
  • Chibata em couro sintético
  • Com alça em nylon para o punho.
  • Tamanho: 40 cm
Coleira de corrente
  • Coleira em corrente dourada
  • Tamanho ajustável com reguladores niquelados
  • Material atóxico

6. Esteja atenta

Quem está dominando deve ter plena atenção às reações de quem está sendo dominado. É preciso identificar quais as sensações que estão passando. Se o seu parceiro ou parceira está sentindo dor, se está cansado ou se está sentindo prazer.

Tenha atenção ao momento do gozo de quem está sendo dominado. Use essa percepção para controlar a hora do orgasmo. Esse controle fará com que a vontade de gozar aumente e, na hora que acontecer, será uma explosão de sintonia.

7. Troca-troca

Uma relação BDSM tem os papéis bem definidos, mas nada impede que, com o consentimento de ambos, haja uma troca de papéis em determinado momento. Assim, é possível experimentar várias situações e vivenciar experiências que aperfeiçoarão a prática.

Dicionário BDSM: termos que você precisa conhecer

Tabela dicionario bdsm

Dicas de Mulher

A prática BDSM é repleta de informações e regras. Também conta com termos específicos utilizados pelos praticantes. Conheça alguns dos termos mais famosos e essenciais do BDSM.

SSC

Significa são, seguro e consensual. É a sigla que norteia toda a prática BDSM. Ela deve respeitar a saúde mental, física e emocional dos envolvidos.

Dom e Domme

Refere-se a quem domina. Dom para um dominador e domme para a dominadora. Eles controlam o submisso de forma consentida.

Sub

É quem se permite dominar com consentimento. É o submisso. O termo é válido para homens e mulheres.

Cena

É quando acontece uma interação, uma atuação da relação BDSM. Ela pode acontecer em qualquer lugar, basta que o casal, consentidamente, assuma os seus papéis de dom/domme e sub. É uma espécie de jogo erótico.

Rigger

Quem usa a corda como instrumento de dominação.

Brat

Geralmente é uma Sub que gosta de provocar e desobedecer seu Dom, ou seja, gosta de ser punida.

Contrato

Acordo entre Sub e Dom sobre como será desenvolvida a cena. Pode ser oral ou escrito.

Escravo

É quem consente em dar total controle ao outro.

Switcher

O termo refere-se a quem troca de papéis, é a pessoa que exerce o papel de dominadora e submissa.

Baunilha

É o termo utilizado para pessoas que não praticam BDSM. É utilizado porque se refere ao sabor mais sem graça do sorvete.

Coleira

Pode ser apenas um acessório utilizado na prática, mas pode ser algo que marque a relação BDSM oficializada, um símbolo. Quando um dominador e um submisso oficializam um relacionamento BDSM, diz-se que eles colocaram uma coleira.

Inicialmente, esses são os principais termos que você precisa saber para iniciar a prática BDSM. O universo dessas relações é bastante complexo e existem diversas coisas a serem aprendidas com o tempo.

Gostou de aprender mais sobre o mundo do BDSM? Essa é uma prática que se torna cada vez mais comum entre os casais, sejam héteros ou homossexuais. Ela pode ajudar a apimentar a relação entre você e seu par, ou te oferecer novos horizontes de prazer e fantasias sexuais na cama, por que não experimentar?

Alguns dos produtos sugeridos nesta página possuem links afiliados. O preço não muda para você e caso você efetue uma compra nós recebemos uma comissão pela indicação. Confira nossa política de transparência.

Publicitária pela UFC, especialista em Propaganda e Marketing e em Produção de Conteúdo. Apaixonada por futebol, séries e pelo meu Nordeste!