10 fatos curiosos sobre a traição

Estudos revelam dados interessantes sobre relacionamentos extra-conjugais

Escrito por Carolina Werneck

Foto: Thinkstock

Traição: a maioria das pessoas já experimentou algum episódio em que ela estivesse envolvida. A verdade é que a falta de fidelidade é um tema recorrente na dinâmica das relações humanas, principalmente as amorosas.

Aparentemente, o ser humano é uma criatura que tende a ser infiel, daí a dificuldade em manter-se em um relacionamento estável. Pesquisadores têm estudado as causas e circunstâncias das traições nos relacionamentos amorosos e chegaram a algumas conclusões interessantes, que você acompanha agora.

1 – A troca nem sempre é por alguém mais atraente

A rede social Ashley Madison se dedica exclusivamente a pessoas infiéis. Seu CEO, Noel Biderman, afirma que normalmente os adúlteros consideram seu parceiro oficial mais atraente do que aquele com quem cometeu a traição.

2 – Homens ricos traem mais

As estatísticas provam que os homens são infiéis com uma frequência maior que as mulheres. Além disso, homens que possuam uma situação financeira estável e satisfatória tendem a trair mais que aqueles que sofram problemas econômicos.

3 – Infidelidade é crime

Mas nem adianta correr para a delegacia. Isso só acontece em alguns lugares dos Estados Unidos, como Michigan, Minnesota e Carolina do Sul. Estes estados possuem uma legislação específica para casos de traição mas, naturalmente, na maioria dos casos ela não é aplicada.

4 – Estatísticas gerais

De acordo com o psicólogo Ragnar Beer, que realizou um estudo sobre a infidelidade, as pessoas acreditam que 44% dos homens casados e 36% das mulheres casadas praticam o adultério regularmente. A realidade é um pouco mais amena e aponta que apenas 28% dos homens casados e 18% das mulheres casadas possuem relacionamentos extra-conjugais. Ao menos essa é a porcentagem dos que admitem as puladas de cerca.

5 – As pessoas não se sentem culpadas

Cerca de 71% dos entrevistados reconhecem que a traição não é uma prática honesta mas, ironicamente, dois terços das pessoas que já traíram declararam que não se sentem arrependidas.

6 – Mulheres são emocionais, homens são físicos

65% das mulheres declararam que se sentiriam mais tristes caso seu parceiro se apaixonasse por outra pessoa. Em contrapartida, 53% dos homens declararam que se sentiriam mais tristes caso sua parceira fizesse sexo com outra pessoa.

7 – Não se trata de felicidade ou satisfação pessoal

Estranhamente, 56% dos homens que tiveram um caso se disseram que, no momento da traição, estavam felizes e satisfeitos com seus casamentos. Do lado feminino, 34% deram exatamente a mesma resposta.

8 – Uma noite e nunca mais?

De acordo com o estudo de Beer, quase 60% das pessoas infiéis tiveram casos que duraram mais de um mês. Apenas 12% das mulheres e 15% dos homens admitiram aventuras de uma única noite.

9 – Consequências

Cerca de 19% das vítimas de adultério declararam haver rompido a relação assim que souberam do ocorrido. Outros 22% terminaram pouco tempo depois, já que não conseguiram recuperar o relacionamento.

10 – O lado bom

Embora as estatísticas da infidelidade sejam curiosas e preocupantes para quem está em um relacionamento estável, há boas notícias. Em um questionário aplicado a pessoas que não foram infiéis, 75% se declararam apaixonados demais para considerarem uma traição, enquanto 68% afirmaram que não trairiam porque não arriscariam perder seus parceiros.

Apesar da dificuldade humana em manter-se fiel, ainda há quem preze por esse valor. Por isso, vale a pena investir na confiança no relacionamento a dois.

Para você