Dicas de Mulher Dicas de Saúde

Ovo: um alimento saboroso e que oferece muitos benefícios à saúde

Ele é um grande aliado da saúde dos cabelos, unhas e pele, especialmente, por conter biotina, a chamada vitamina da beleza

em 06/11/2013

Foto: Thinkstock

Seja na salada, seja para fazer uma omelete, o ovo faz parte da dieta da maioria das pessoas. E embora seja um alimento bastante apreciado pela população, muita gente ainda não conhece todos os benefícios que ele oferece à saúde, não sabe com que frequência ele pode ser consumido, entre outras informações importantes.

Jackeline Taglieta, nutricionista pela Universidade de São Paulo (USP), pós-graduada em Nutrição Clínica Funcional pela Unicsul, diz que o ovo é um alimento riquíssimo em nutrientes. “Em destaque, proteínas, carotenoides (zeaxantina e luteína), colina, biotina, vitamina D, vitamina A, vitamina E e gorduras insaturadas. E além de ser ótimo em termos de nutrientes, é um alimento de custo acessível, muito mais barato que a carne, por exemplo”, explica.

Benefícios

De acordo com a nutricionista Jackeline, o ovo oferece diversos benefícios à saúde. Entre eles, destacam-se:

  • Confere saciedade e nutrição para os músculos devido ao seu teor proteico.
  • Pelo conteúdo de zeaxantina e luteína, protege os olhos contra degeneração causada por danos fotoprotetores.
  • É importante para a memória e o aprendizado, por conter colina – nutriente essencial para a formação do neurotransmissor acetilcolina responsável pelas funções cognitivas.
  • O ovo é ainda grande aliado da saúde dos cabelos, unhas e pele, não somente pela proteína, mas, principalmente, por conter biotina, a chamada “vitamina da beleza”.
  • Favorece a saúde óssea e a regulação de praticamente todas funções metabólicas, pelo conteúdo de vitamina D, e também reforça a imunidade com a presença da vitamina A.
  • Em dietas de emagrecimento, o ovo é também uma ótima opção de alimento, pois, por conter proteína, ajuda na saciedade e logo, no controle do apetite.
  • E, ao contrário do que se cogitava há algum tempo atrás, o ovo confere proteção cardiovascular, por conter vitamina E, que é altamente antioxidante, e pelo seu perfil de gorduras insaturadas.

Os diferentes tipos de ovos

Jackeline Taglieta destaca que existem ovos bancos e ovos vermelhos, o que, em termos nutricionais, não tem significância, pois a diferença se refere apenas às raças das galinhas.

“O que importa mesmo é saber se o ovo é de granja, caipira ou orgânico. Os de maior valor nutricional são os últimos dois, pois as galinhas são criadas livres e ciscam – o que eleva a quantidade de carotenoides no ovo. E quanto mais alaranjada a gema, maior seu teor de zeaxantina e luteína”, explica a nutricionista.

Além disso, acrescenta Jackeline, o maior valor nutricional também está relacionado à ausência de resíduos químicos nos ovos das galinhas caipiras e das criadas no sistema orgânico, pois estas não recebem medicações, nem promotores de crescimento. “Ao contrário, galinhas confinadas recebem essas e outras substâncias, como quimioterápicos, antifúngicos e corantes, adicionadas à própria ração”, explica.

Há ainda o ovo de codorna. “Mas, visivelmente, pela coloração esbranquiçada da gema, ele tem menor conteúdo de carotenoides”, diz a nutricionista.

Como consumi-lo?

A nutricionista Jackeline explica que, de maneira geral (salvo contraindicações), pode-se consumir um a dois ovos de galinha diariamente. “Mas vale ressaltar que, quanto mais diversificada for a alimentação, melhor para o organismo”, diz.

A melhor forma de consumir um ovo é nas versões cozida ou poché, em que não se usam óleos. “Se for mexido ou grelhado, não deve ser feito com excesso de óleo ou manteiga no preparo (use o suficiente apenas para não grudar na panela)”, diz a nutricionista Jackeline.

O ovo não deve ser consumido frito, “pois a fritura descaracteriza os efeitos benéficos do alimento na saúde cardiovascular, aumentando, por si só, os riscos de aterosclerose e desequilíbrios no colesterol”, destaca a nutricionista.

A profissional acrescenta ainda que o consumo de ovos crus não é recomendado pelo alto risco de contaminação por salmonela. “E a gema parcialmente mole somente deve ser consumida de ovos de procedência confiável”, diz.

Jackeline lembra ainda que a casca do ovo deve sempre ser lavada antes de sua quebra, para retirar as sujidades, minimizando o risco de contaminação.

Como escolher bons ovos?

Jackeline explica que, na hora da compra, as embalagens dos ovos devem estar dispostas em ambiente bem arejado, ou refrigerado. “As embalagens plásticas devem estar totalmente secas, sem qualquer sinal de vapor de água condensado no seu interior. E as embalagens de papel não podem apresentar mofo ou bolor. Os ovos devem vir como selo de inspeção federal (S.I.F.) ou estadual (S.I.E.)”, diz.

“Somente compre ovos dentro do prazo de validade. Os produtos não devem apresentar manchas de fezes de galinha. Devem estar intactos, sem trincas. Ao chacoalhar os ovos, o conteúdo não deve se mover (se isso acontecer, o ovo está velho)”, acrescenta a nutricionista.

Como os ovos devem ser armazenados em casa?

Dentro da geladeira, no fundo das prateleiras, onde as temperaturas se conservam mais baixas. “Deixá-los na porta facilita a proliferação da salmonela, pois o produto sofre oscilações térmicas com o abrir e fechar da geladeira, facilitando a multiplicação das bactérias presentes nos ovos”, destaca a nutricionista Jackeline.

Contraindicações

Jackeline Taglieta explica que ovo contém proteínas alergênicas. “Pessoas alérgicas de um modo geral (como asmáticos e em alguns casos de alergias de pele), não devem fazer uso diário deste alimento. E pessoas com alergia específica a ovos, não devem ingeri-los até que o problema tenha sido revertido.

“Além disso, pessoas com dieta controlada em proteínas, como as com doenças renais, devem ter ingestão bastante controlada”, acrescenta a nutricionista.

O consumo excessivo de ovos pode gerar problemas à saúde?

Embora ofereça todos os benefícios citados à saúde, os ovos não devem ser consumidos em excesso.

“Assim como outros alimentos, qualquer excesso deve ser evitado. No caso do ovo, o consumo além do recomendado pode levar ao desenvolvimento de uma hipersensibilidade alimentar ao produto. E, por se tratar de um alimento proteico, o excesso pode levar a um sobrecarga renal dependendo da quantidade ingerida das demais fontes de proteínas na alimentação”, destaca a nutricionista Jackeline.

Receita com ovos

Se você também adora ovos e já tem o costume de consumi-los com frequência – mas sem exageros – vai adorar a receita abaixo, indicada pela nutricionista Jackeline Taglieta:

Ingredientes

  • cebola roxa fatiada
  • óleo de canola
  • arroz integral cozido
  • ovos caipiras
  • sal marinho
  • salsinha
  • orégano
  • acrescentar cenoura, tomate, alho-poró, beterraba, brócolis, espinafre, abobrinha, cogumelos, ervilha, a gosto.

Modo de preparo

  • Em uma frigideira, refogar a cebola com um pouco de óleo.
  • Acrescentar os ovos batidos, misturados com os outros ingredientes.

Agora você já tem todas as informações que precisa para consumir e usufruir dos diversos benefícios que ovos oferecem à nossa saúde. Vale a pena acrescentá-lo à dieta!

Comentários
Dicas relacionadas