10 sintomas da má circulação e dicas de como melhorar o quadro

Escrito por                    
Atualizado em 22.06.22

Envato

Por
Atualizado em 22.06.22

A má circulação atinge muitas mulheres causando sintomas desconfortáveis que acometem, principalmente, os membros inferiores. O cardiologista Dr. Ausonius Sawczuk (CRM 185763 SP), do Hospital Albert Sabin de SP, explicou o que é, quais os sintomas e indicou o que fazer para melhorar os desconfortos e tratar o problema. Confira!

Publicidade

Índice do conteúdo:

O que é a má circulação

Segundo o cardiologista, a má circulação é quando acontece um distúrbio, tanto na parte arterial quanto na parte venosa e, geralmente, ocorre mais nos membros inferiores. “A má circulação pode se manifestar em qualquer vaso do corpo, ou seja, em vaso arterial (artérias) ou em vaso venoso (veias). Mas, geralmente, quando se fala em má circulação está se falando dos membros inferiores.”

10 sintomas da má circulação para se atentar

Envato

O especialista informou que “existem vários sintomas que podem ser associados à má circulação, seja na parte venosa ou arterial”. Entre os principais estão:

  • Dores nos membros inferiores;
  • Trauma de claudicação (alteração na marcha ao andar);
  • Diminuição da força;
  • Redução da movimentação;
  • Retenção de líquidos;
  • Edema;
  • Sensação de formigamento;
  • Inchaço nos pés e tornozelos;
  • Sensação de peso nas pernas;
  • Sensação de dormência nos membros inferiores.

Em relação aos sintomas relacionados ao coração, o médico esclareceu que “a insuficiência cardíaca pode trazer inchaço e edema corporal, mas, às vezes, nos membros inferiores causa “má circulação”. Porém, a causa não é por distúrbio intrínseco dos vasos, e sim devido ao problema próprio do coração”.

6 causas da má circulação citadas pelo cardiologista

Para o Dr. Ausonius, “basicamente, as causas da má circulação dependem intrinsecamente do motivo da doença”. O profissional destacou as causas mais frequentes:

  • Aterosclerose: o cardiologista apontou que “se for devido a uma doença arterial, a causa da má circulação pode estar relacionada à aterosclerose” – quando ocorre o acúmulo de placas de gordura e outras substâncias nas artérias.
  • Traumatismos ou cirurgias prévias: “traumatismos ou cirurgias prévias também podem alterar a circulação”, citou o médico.
  • Doenças crônicas: segundo o Dr. Ausoniu, as doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, principalmente quando não tratadas adequadamente, também podem causar o problema.
  • Estilo de vida: “o tabagismo, a obesidade e a falta de atividade física também podem causar a má circulação”, apontou.
  • Medicamentos: o cardiologista mencionou que o uso de medicações que provocam a retenção de líquidos também podem alterar a circulação.
  • Doenças infecciosas: de acordo com o especialista, “às vezes, as doenças infecciosas como a filariose podem alterar o sistema de capacitância venosa, ou seja, trazer má circulação venosa”.

Agora que você já sabe quais são as principais causas e os sintomas da má circulação, veja abaixo o que fazer para melhorá-la!

O que fazer para melhorar a má circulação

A seguir, o cardiologista citou o que fazer para melhorar os sintomas e tratar o quadro. Confira:

1. Consultar um médico

Envato

Publicidade

A primeira dica importante passada pelo profissional é “visitar regularmente um médico, seja ele um cardiologista, um cirurgião vascular ou angiologista”. Dessa forma, é possível avaliar as causas, realizar o tratamento adequado e combater os sintomas da má circulação.

2. Usar as medicações corretamente

O médico alertou sobre a importância de realizar o tratamento prescrito pelo médico tomando medicamentos orientados por ele. É importante “fazer o uso correto das medicações indicadas pelo médico, isto é, não usar a medicação prescrita para um conhecido só porque funcionou para ele”.

3. Elevar as pernas

Envato

Após avaliação do angiologista e cardiologista, para pacientes com edema de membro inferior recorrente, pode ser orientado a fazer algumas condutas como elevar as pernas, por exemplo. O médico explicou haver “três tipos básicos de circulação: a circulação arterial, venosa e linfática. A circulação linfática tira um líquido em terceiro espaço que faz o edema”.

”Então quando você põe as pernas para cima você melhora essa drenagem e melhora o retorno venoso, pois é uma conduta gravitacional. Portanto, com as pernas para cima, a água acumulada tende a descer ajudando no escoamento da circulação linfática”, completou.

4. Usar meias de compressão

Para amenizar os sintomas da má circulação nas pernas, o médico pode indicar o uso de meias de compressão. “Normalmente, pedimos para o paciente ficar com as pernas para cima de 10 a 15 minutos após acordar e colocar a meia de compressão quando a perna estiver sequinha”, explicou o especialista. Ele enfatiza ser geralmente indicado uma meia de compressão mediana para não causar danos à circulação. Porém, dependendo do caso e da avaliação médica, pode ser indicada uma compressão mais alta.

5. Massagem

Envato

Segundo o Dr. Ausonius, fazer massagens também pode ajudar a amenizar os sintomas da má circulação. “Como o objetivo é que a água retorne para o corpo, a massagem deve ser feita do pé em direção ao joelho para o quadril. Ou seja, empurrando a água do terceiro espaço de volta para o organismo”. O especialista alertou que para fazer a massagem, “é necessário saber a técnica correta, pois existe o sentido de massagem e uma rede de drenagem linfática que é o sistema linfático de absorção”.

6. Tratar doenças crônicas

Como informado pelo profissional, as doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, principalmente quando não tratadas adequadamente, podem levar a um quadro de má circulação. Contudo, ele orientou “a fazer o tratamento da diabetes e também tratar a hipertensão” para tratar o problema.

7. Hábitos saudáveis

Envato

Publicidade

O cardiologista informou ser importante ter uma alimentação saudável e praticar atividade física. “Visto que o exercício físico promove um melhor retorno venoso e distribuição do sangue”. Além disso, o médico orientou a reduzir a ingesta de sal, assim como alertou sobre o tabagismo e o uso de drogas ilícitas que não devem ser utilizadas.

É importante ressaltar a importância de consultar um médico, pois só esse profissional poderá avaliar cada paciente e orientar o tratamento adequado. Aproveite e conheça as principais causas das varizes, como prevenir e quais são os tratamentos indicados!

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.