11 hábitos comuns que podem causar inflamação em seu corpo e você nem imagina

Alimentação inadequada, excesso de café e velas perfumadas: conheça alguns gatilhos da inflamação

Escrito por Raquel Praconi Pinzon

Foto: iStock

A inflamação é uma resposta natural do sistema imunológico a um dano ou lesão em alguma parte do corpo. Vista dessa forma, ela é um processo benéfico, pois mostra que nosso organismo foi capaz de detectar e está tentando combater uma infecção causada por germes patogênicos, um trauma ou até mesmo uma irritação devida à uma substância tóxica.

O problema mesmo está quando a inflamação deixa de ser aguda (como em uma dor de garganta simples ou o inchaço causado por uma torção no tornozelo) e passa a ser crônica. Nesse caso, nosso organismo fica sujeito a desenvolver complicações como sobrepeso, hipertensão, diabetes, problemas cardíacos, mal de Alzheimer e até mesmo alguns tipos de câncer.

A inflamação sempre é resultado de algum tipo de estresse no organismo, que pode ser causado por um alimento, uma substância presente no ambiente e alguns comportamentos relacionados ao nosso estilo de vida. Por isso, pensando em preservar sua saúde, é interessante conhecer e evitar estes 11 hábitos que favorecem a inflamação:

1. Consumir condimentos processados

Foto: iStock

Maionese, ketchup, molho barbecue e outros condimentos processados contêm muitos aditivos químicos como aromatizantes, corantes e conservantes, que sobrecarregam o fígado e irritam o intestino, favorecendo a inflamação.

Além disso, vale lembrar que um pouco de pimenta faz bem para a saúde e até ajuda a acelerar o metabolismo, mas em excesso ela pode causar irritações em todo o trato gastrointestinal, dando origem a inflamações no esôfago, estômago, intestino e reto.

Leia também: 7 dicas para você criar (e manter) novos hábitos em sua vida

2. Consumir muitos alimentos processados em geral

Foto: iStock

Não são apenas os condimentos: bolachas recheadas, salgadinhos de pacote, comida congelada, margarina, refrigerantes e sucos de pozinho também são ricos em aditivos químicos, com destaque para o sódio e a gordura trans.

O sódio favorece a retenção de líquidos, que causa inchaço e é uma das principais causas da inflamação abdominal, prejudicando a digestão. A gordura trans, por sua vez, é altamente inflamatória, causa um desequilíbrio nos níveis de colesterol e contribui para a formação de radicais livres. Ela também está presente em alimentos fritos e carnes processadas ou defumadas, como bacon, mortadela, salame e salsicha.

3. Consumir muitos produtos de origem animal

Foto: iStock

Carnes gordurosas, leite, manteiga e queijos são ricos em gordura saturada, que favorece a inflamação por seu conteúdo de ácido araquidônico. Por isso, é aconselhável restringir o consumo desses alimentos e dar preferência a carnes magras.

4. Ter uma dieta rica em açúcar

Foto: iStock

As moléculas de açúcar que ingerimos ao consumir chocolate, bolos, sorvetes e doces em geral representam um fator de estresse para o nosso organismo, favorecendo a inflamação em vários sistemas e órgãos, principalmente no intestino.

Em consequência, nossa capacidade de regeneração diminui, tornando mais difícil reparar danos nos tecidos – um bom exemplo disso é o “pé diabético”, a condição que dificulta a cicatrização de feridas em pessoas com diabetes devido ao excesso de açúcar no sangue.

Leia também: 20 hábitos que você deve eliminar da sua vida antes dos 30

Outra consequência da inflamação causada pelo açúcar é uma aceleração do envelhecimento, pois ele favorece o estresse oxidativo nas células da pele.

5. Tomar muito refrigerante e outras bebidas gaseificadas

Foto: iStock

Além dos males causados pelo açúcar, o gás presentes nessas bebidas promove uma distensão do abdômen e favorece a inflamação, prejudicando a digestão. No caso das bebidas “light”, “diet” ou “zero”, esse efeito é agravado pelos edulcorantes artificiais.

6. Exagerar no café

Foto: iStock

Você está cansada de saber que o café contém cafeína, uma substância estimulante que pode nos ajudar a despertar pela manhã. Porém, se for consumida em excesso, cafeína pode favorecer a inflamação no organismo.

Isso acontece porque ela causa impactos sobre o sistema digestivo, os níveis de açúcar no sangue e o funcionamento das glândulas adrenais (que produzem a adrenalina), podendo simular uma situação de estresse – que resulta em inflamação.

7. Consumir bebidas alcoólicas em excesso

Foto: iStock

Mesmo que o vinho tinto seja fonte de resveratrol, que contém propriedades antioxidantes e protetoras do coração, nenhuma bebida alcóolica é exatamente saudável.

Leia também: 7 formas de curar gripes e resfriados que não passam de mitos

Além de não oferecer os nutrientes essenciais para o organismo, o álcool é um fator que desperta a inflamação, com destaque para gengiva, garganta, esôfago, estômago, fígado e intestino – favorecendo inclusive a formação de tumores malignos.

8. Inalar vapores tóxicos de velas e outros aromatizadores

Foto: iStock

Velas perfumadas e aromatizadores de ambiente estão na moda, mas é preciso tomar cuidado com a escolha desses produtos. Muitos deles emitem os chamados componentes orgânicos voláteis, que são bastante tóxicos e podem causar irritação nos olhos, nariz e garganta, despertando a inflamação.

Dessa forma, é melhor dar preferência a velas e aromatizadores feitos a partir de óleos essenciais naturais em vez de fragrâncias sintéticas.

9. Fumar

Foto: iStock

Se inalar vapores de velas e aromatizadores de ambiente já pode ser um hábito perigoso, nem precisamos dizer que inalar a fumaça do cigarro é muitas vezes pior. Além de mandar um carregamento de toxinas para dentro do nosso organismo, o que já causaria inflamação por si só, o cigarro também diminui a atividade do aparelho mucociliar, o revestimento de muco e pequenos cílios que protege nossas vias aéreas ao empurrar microrganismos para fora dos pulmões.

Assim, uma das consequências da redução do movimento mucociliar é que os pulmões e os brônquios ficam muito mais sujeitos a infecções, dspertando os fatores de inflamação do organismo.

Leia também: 5 receitas de chás que vão te ajudar a relaxar e a dormir melhor

10. Não dormir o suficiente

Foto: iStock

O sono é o momento em que nosso corpo trabalha para se regenerar e amenizar os processos inflamatórios. Quando temos uma rotina de sono de baixa qualidade ou em quantidade insuficiente, nosso organismo tem dificuldades para manter o sistema imunológico funcionando de forma correta, passando a aumentar os níveis de inflamação.

Por isso, procure garantir de 7 a 9 horas de sono todas as noites em um ambiente escuro e tranquilo – e sem usar o celular na cama antes de dormir.

11. Ter uma vida estressante

Foto: iStock

É impossível passar a vida toda longe de problemas, mas é preciso saber lidar com eles ou procurar uma rotina diferente. Quando estamos em uma situação de estresse, ocorre um aumento da liberação do hormônio cortisol, que, em excesso, desperta a cadeia de reações da inflamação.

Além disso, o estresse favorece o acúmulo de peso, prejudica o funcionamento do sistema imunológico e aumenta as chances de uma doença cardíaca ou alguns tipos de câncer. Por isso, tente equilibrar uma vida agitada com momentos de lazer com a família e os amigos.

Como você pode perceber pela lista apresentada, não é de hoje que os hábitos que favorecem os processos inflamatórios são apontados como vilões da nossa saúde. Ter uma dieta inadequada, abusar do álcool, fumar, dormir pouco e ter uma vida estressante são fatores de risco para diversas doenças.

Por isso, o grande segredo para evitar a inflamação e suas consequências está naquilo que você já sabe: fazer boas escolhas em relação ao que você consome e ao seu estilo de vida, privilegiando sempre o seu bem-estar.

Para você