5 tipos de manchas escuras no rosto que você precisa se atentar

Escrito por
Em 23.11.21

iStock

Por                                
Em 23.11.21

O surgimento de manchas escuras no rosto pede atenção. Muitas vezes são pintas naturais que não precisam de tratamentos invasivos, mas, em outros casos pode se tratar de algo mais sério, como a melasma. Confira o que explicou a dermatologista da Rede de Hospitais São Camilo, Dra. Silvana Coghi (CRM 83078 SP), sobre este assunto:

Publicidade

Melasma

iStock

Segundo a dermatologista, se trata de uma mancha escura e amarronzada, “que depende de fatores genéticos, exposição solar acumulativa e fatores hormonais (gestação, contraceptivos orais). Não tem cura, mas tem melhora e controle.”

Como tratar

Silvana explicou que o tratamento deve ser conduzido “a base de foto protetores, acima de FPS50, 2 a 3 vezes ao dia.” Além disso, também é recomendado o “uso de clareadores tópicos indicados para cada tipo de pele e estação do ano. Sempre orientado por um dermatologista.”

Melanoses solares

iStock

“São manchas amarronzadas, redondinhas, como sardas, que aparecem em áreas expostas.” Citou Silvana. Ela comentou que não é apenas a face afetada pela melanose solar, mas outras áreas do corpo, como mãos, dorso e colo. “É chamada ‘mancha da idade’ por muitos, mas é causada pelo acúmulo de sol. Não viram câncer de pele.” Finalizou.

Como tratar

A dermatologista comentou que o tratamento pode ser feito com “luz pulsada e o uso de fotoprotetores.”

Fitofotodermatoses

iStock

Também chamadas de manchas de limão, podem ser causadas ao espirrar o suco da fruta no rosto. Segundo Silvana, “são amarronzadas e irregulares, dependem de como são originadas. Se trata de uma queimadura que se forma da reação da fruta cítrica mais o sol em contato com a pele.”

Publicidade

Como tratar

O tratamento é imediato. A dermatologista recomenda “lavar a região com água e sabão, além do uso de foto protetor FPS acima de 50.”

Pintas escuras

iStock

“São os nevos melanócitos, comuns ao longo da vida e nevos congênitos, que aparecem nas crianças de até 2 anos de idade.” Explicou Silvana.

Como tratar

A doutora Silvana comentou que “as pintas devem ser sempre acompanhadas pelo especialista e retiradas conforme alterações que aparecerem no formato, tamanho, cor, bordas, diâmetro ou sintomas, se coçam ou doem.”

Queratoses seborreicas escuras

iStock

Segundo a dermatologista, são manchas que aparecem ao longo da vida, conforme a idade. “Geralmente ásperas, elevadas na pele e aparecem na face, pescoço e áreas de dobras do corpo. É uma lesão benigna, não vira câncer.”

Como tratar

O tratamento acontece apenas por motivos estéticos ou outros incômodos no local em que aparecem. “Pode ser conduzido a partir da retirada ou exérese.” Complementou Silvana.

Conforme a doutora Silvana, “as Manchas no rosto nem sempre são estéticas, podem algumas vezes significar doenças de pele, como pintas malignas, do tipo melanoma.” Caso observe a existência de manchas escuras em sua pele, lembre-se que é importante fazer uma consulta e avaliação com o dermatologista, para dar início ao tratamento correto. Agora, aproveite para conferir também a matéria sobre como diferenciar os tipos de mancha na pele.

Este conteúdo foi útil para você?
SimNão

As informações contidas nesta página têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e acompanhamentos de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas.