Dicas de Mulher Dicas de Comportamento

10 coisas que você nunca deve fazer “por amor”

Agradar ao parceiro é o que todo mundo quer, mas isso não significa que você deve passar por cima da sua autoestima e dos seus planos

em 31/10/2014

Foto: Thinkstock

Foto: Thinkstock

Bem lá no fundo, o que (quase) todo mundo quer mesmo é viver um amor. Uma história de parceria, um romance, gostar e ser gostado. Isso porque mesmo a autossuficiência e o prazer de estar sozinho não suprem todas as necessidades amorosas.

E no vai e vem da vida, sempre acaba aparecendo alguém legal que dá vontade de manter por perto e viver um relacionamento. Mas na ânsia de atingir o objetivo, e na tentativa de equilibrar as expectativas que cada um cria do outro, às vezes pode-se permitir certas mudanças ou atitudes que vão além do indicado.

Quem é que pensa em individualidade quando está apaixonado? O impulso inicial é ser a pessoa dos sonhos da outra para se aproveitar mais os momentos juntos e agarrar de vez partido. Mas tudo deve ter limites. Para que sua vida não saia do caminho, para que sua personalidade se mantenha intacta, para que suas outras relações familiares e amigáveis continuem de forma saudável, é preciso firmeza para manter sua vida no rumo certo.

Será que você está exagerando nas concessões? Confira algumas atitudes comuns que muitas vezes são confundidas com atos de amor, mas que na verdade podem ser apenas demonstrações de falta de amor próprio:

1. Abandonar seus amigos e familiares

É comum que quem esteja apaixonado ou namorando queira priorizar os momentos a dois e agradar o outro estando à disposição. Esse é um grave erro que muita gente comete. O círculo social é tão importante para nossa saúde emocional quanto o amoroso e o familiar. Uma coisa não precisa excluir a outra e muitas vezes perdemos pessoas importantes das nossas vidas por perceber isso tarde demais.

2. Viver a vida da pessoa

Nunca anule a sua vida pessoal, seus sonhos e planos para acompanhar a vida do seu amor. Cumplicidade e apoio mútuo são fundamentais para qualquer relacionamento. Mas viver apenas a vida do outro e perder sua identidade é muito perigoso para sua autoestima, além de provavelmente decepcionar quem se apaixonou pela pessoa você era antes.

3. Permitir desrespeito

Todos são passíveis de cometer erros quando com raiva, ciúme ou outros sentimentos que mesmo sendo repreensíveis também são humanos. Faz parte de um relacionamento saber equilibrar os acertos e deslizes dos outros – não é possível encontrar alguém sem imperfeições. Alguns erros e certos atos que consideramos desrespeito são inevitáveis. Mas tudo tem limites e você deverá saber os seus em relação ao seu parceiro. Deixar pra lá atitudes que te incomodam ou te ofendem não ajuda a manter a relação, pelo contrário, apenas contribui para a formação de uma bola de neve que pode te esmagar ou até mesmo legitimar o comportamento inadequado. Respeite e imponha seus limites.

4. Deixar de cumprir seus compromissos

Depois que começa um envolvimento, principalmente no início, a pessoa apaixonada pode ter uma tendência de faltar ou adiar seus compromissos para passar mais tempo com o outro, acompanhá-lo em outras ocasiões ou porque ele pede sua companhia. Por mais que dê vontade de ficar grudado ou de agradar ao outro, anular os outros aspectos da sua vida é completamente desaconselhável. Não saia do seu caminho, nada garante que esse investimento terá bons resultados e você poderá se decepcionar consigo mesma se algo sair errado.

5. Mudar seu corpo ou sua aparência

A não ser que a mudança já fosse importante para você, nunca mude seu estilo, seu cabelo ou seu corpo apenas pelo desejo de outra pessoa. Você deve ser a soberana do seu corpo, não dando a ninguém o direito de mudá-lo. Uma pessoa deve se aproximar de você pelo que você já é e não pelo que ela imagina que poderá ser.

6. Fazer planos importantes para o futuro que dependam do outro

Por mais que tenha a certeza de que um relacionamento será para sempre, você jamais terá a garantia de que isso se realize. A criação de planos e expectativas que envolvam outras pessoas devem levar duas coisas principais em consideração: Em primeiro lugar, se o outro sabe desses planos e realmente se mostrou interessado e disponível. Ou também se aceitou apenas para não criar problemas.

Em segundo lugar que, mesmo planos duradouros e bem programados podem não ter o resultado esperado e será preciso conviver com as consequências. Parceria é o que todos esperam de um relacionamento e que deve ser buscado a dois. Mas para isso é preciso ter uma relação firme e estável, um tempo mínimo de convivência para realmente saber o que se pode esperar do outro.

7. Aceitar comportamento que você acha inadequado

Cada um tem seu jeito e também não é possível pretender mudar o comportamento de uma pessoa. Mas às vezes podemos nos decepcionar com pessoas que conhecemos ainda superficialmente. Se você não concorda com as atitudes do seu companheiro é necessário deixar claro a divergência de opiniões entre vocês e não incentivar ou ignorar tais problemas.

8. Deixar de fazer seus programas

Perder festas, viagens com os amigos, celebrações da família, eventos importantes de trabalho, aniversários… Pode até acontecer no afã do início de um relacionamento. As pessoas sabem e compreendem, mas até certo ponto. Essa prática contínua não é saudável para suas relações com os amigos, para você mesma nem para o seu relacionamento amoroso. Provavelmente você irá se arrepender depois de ter perdidos tantos momentos importantes e as consequências em seus laços amigáveis podem ser irrecuperáveis.

9. Largar sua carreira

Em relacionamentos longos ou casamentos, muitos casais decidem juntos que apenas um será o provedor da casa, normalmente para que a mulher cuide das crianças e da vida privada da família. Sim, muitas pessoas estabelecem essa relação em acordo mútuo e em algumas ocasiões da vida isso pode até ser necessário, como os primeiros meses de vida de um bebê.

Mesmo que essa situação te pareça confortável, pense bem em como você acha que vai se sentir sem atividades e sendo dependente financeiramente de outra pessoa. De preferência, mantenha-se em movimento profissional, mesmo que seja por um período menor. Sua autoestima e sentimento de pertencimento à sociedade são muito dependentes dessa atividade.

10. Fazer uma tatuagem

Tem pessoas que se empolgam na demonstração de afeto e chegam ao ponto de fazer uma tatuagem com o nome do amado ou algo do tipo. Exemplos não faltam de que essa declaração de amor não é uma boa ideia. Existem infinitas formas de marcar o coração de uma pessoa e elas não precisam envolver marcas eternas no seu corpo. Retirar uma tatuagem costuma ser mais caro e mais doloroso do que fazê-la.

Comentários
Dicas relacionadas