Veja as principais dúvidas sobre aroace e saiba o que é essa identidade

Escrito por                    
Atualizado em 22.06.22

Tem Que Ter: Caroline Lima

Por
Atualizado em 22.06.22

Você já ouviu falar em aroace? Essa é a abreviação usada para se referir a pessoas que se identificam como arromânticas e assexuais, parte da letra A em LGBTQIA+. O pesquisador Caio Benevides Pedra e a aroace Verônica Helena do Padro Vital te ajudam a entender sobre essa identidade.

Publicidade

Índice do conteúdo:

O que é aroace?

Abreviação para arromântica e assexual, pessoas aroace não sentem atração sexual nem romântica. O oposto de arromânticidade é romanticidade, e de assexualidade é allosexualidade.

Caio Benevides Pedra, que é pesquisador no Núcleo Jurídico de Diversidade Sexual e de Gênero da UFMG (Diverso) e Coordenador de Produção Acadêmica da Comissão de Diversidade Sexual e de Gênero da OAB/MG, explica que “a sexualidade e a romanticidade não são sinônimos, porque uma se refere a atração romântica e outra é sexual”.

Essas identidades podem se apresentar de forma separada. Uma pessoa pode ser assexual e não sentir atração sexual por nenhuma pessoa, mas não ser arromântica e sentir atração romântica. Ou seja, é possível ser assexual e não ser arromântico, por exemplo.

Segundo o pesquisador, “isso não é cem por cento absoluto, pois uma pessoa assexual não significa que nunca vai se atrair sexualmente, bem como uma arromântica não é a pessoa que nunca vai se envolver romanticamente com alguém”.

Caio explica que “existe um espectro dentro disso. Futuramente, pode ser que esse espectro se transforme em outros grupos”. A assexualidade e a arromanticidade podem ser compreendidas como espectros que possuem uma área cinzenta, que inclui pessoas que apenas sentem atração sexual ou romântica de forma esporádica, em contextos específicos.

Por exemplo, pessoas demissexuais, que apenas sentem atração sexual quando já possuem uma ligação emocional profunda com a pessoa. Caio informa que isso “já é um subgrupo da assexualidade, porque ela pode até sentir atração sexual, mas o comportamento é muito específico. Dentro do grupo arromântico também tem pessoas que vivem o amor romântico, mas de forma específica e fora do que a gente considera padrão”.

Esse é um assunto pouco estudado, como destaca o pesquisador. Ele fala que “o avanço dos estudos, da agenda política e das questões que colocam esses grupos como pauta de discussão depende de um fluxo, que está diretamente relacionado a visibilidade”.

Assim, é essencial que assexualidade e arromanticidade tornem-se assunto comuns na mídia, para que este tema seja mais discutido. A representatividade de aroace na ficção também é outro passo para que esse grupo tenha maior visibilidade. Neste caso, é possível citar alguns personagens com esse espectro, como o livro Sem Amor, da escritora Alice Oseman, mesma autora de Heartstopper e da série Bojack Horseman.

Publicidade

O pesquisador explica que essa visibilidade é essencial para que as pessoas que são aroace consigam se reconhecer e até identificar os sentimentos que elas possuem, mas não sabem nomear. Segundo Caio, “às vezes a pessoa nem sabe que é assexual e/ou arromântica. Ela só sabe que sente um incômodo grande e sabem que existe uma expectativa social em cima da forma como as pessoas se relacionam”.

Mais do que isso, o pesquisador explica que “a pessoa sabe que não se relaciona como o padrão espera, que não tem interesse sexual ou não tem interesse romântico. Por isso mesmo essa pessoa se cobra. É justamente por não saber que existem outras formas de se relacionar que a sociedade só aprende uma forma de se identificar”.

As bandeiras aroace

bandeiras aroace

A bandeira assexual é formada pelas cores preta e branca, que representam respectivamente a assexualidade e o espectro assexual. Já o branco representa os aliados fora do espectro assexual e o roxo simboliza toda comunidade.

Já a bandeira arromântica é composta pelas cores verde, verde clara, branca, cinza e preta. Elas representam as pessoas arromânticas, o espectro arromântico, relações platônicas, arromânticos assexuais e allosexuais.

Também existe a bandeira aroace, para identificar pessoas que são assexuais e arromânticas em qualquer lugar do espectro. Ela é composta por dois tons de azul, uma faixa branca, uma amarela e outra laranja. Elas representam o espectro arromântico e assexual, pessoas aplatônicas, relações fora do padrão convencional, relações românticas e sexuais e a comunidade.

Características da pessoa aroace

Pessoas assexuais são pessoas com ausência total ou parcial da atração sexual por outras pessoas, enquanto pessoas arromânticas são pessoas que não sentem, de forma total ou parcial, atração romântica por outras pessoas. A Verônica Helena do Padro Vital é uma pessoa aroace, na área cinza de ambos os espectros, e conta um pouco mais sobre essas características.

Características da assexualidade

Para falar sobre as características da assexualidade, Verônica destaca que “a atração sexual é conceitualmente diferente do que se entende por libido e desejo sexual. Pessoas assexuais não sentem atração sexual direcionada a outros indivíduos, ou quando sentem, é uma atração rara, parcial e pouco condicional”.

É essencial destacar que “pessoas assexuais vivenciam de forma distinta e única à nível de indivíduo e às questões ligadas a atração sexual”, dessa forma as experiências, vivências e características diferem de uma pessoa para outra.

Verônica compartilha que “durante toda minha vida senti que não me encaixava diante das expectativas existentes acerca das relações e por muito tempo acreditei que havia algo de errado comigo ou que apenas não havia encontrado a pessoa certa”, justamente porque quando o assunto não é divulgado, as pessoas tendem a acreditar que só existe um padrão.

Publicidade

“Percebia que não me atraia da mesma forma e na mesma frequência que as outras pessoas. Meu interesse por me relacionar mais intimamente com os outros era raro, condicional e bastante inconstante. Ainda que eventualmente eu tenha interesse em me relacionar sexualmente com outras pessoas, isso não é fundamental e indispensável na minha vida, por isso me identifico com a área cinza do espectro.

Características da arromanticidade

Como a assexualidade e a arromanticidade são espectros, “a arromanticidade estrita é composta por pessoas que não sentem atração romântica em nenhum nível e sob nenhuma circunstância. Além disso, existem aqueles que estão na área cinza da arromanticidade e que podem vir a sentir atração romântica, dependendo de algumas circunstâncias”, conta Verônica.

No caso de Verônica, “me entender como aro é mais recente e têm sido um processo mais difícil de me entender ace. Antes de me entender como aro, era comum sentir atração romântica em alguns momentos escassos e tentar levar isso adiante, mas eu não tinha noção dos meus limites e tentava seguir os comportamentos padrões, levando meus relacionamentos ao fracasso”.

Ela conta que “pensar em me relacionar amorosamente com alguém me deixava extremamente nervosa, a ponto de adoecer. Sempre adorei romances literários, fanfics, doramas e comédias românticas clichês. Entretanto, quando era eu quem estava envolvida nessa trama as coisas eram bastante diferentes”.

Por isso, se entender como aroace foi essencial para Vital. “Hoje, depois de me descobrir aroace, me entendo melhor, tenho apoio dentro da comunidade a qual sou pertencente e total ciência das infinitas possibilidades existentes de me relacionar, não dependendo da maneira que o amor romântico normativo impõe”, informa.

Dúvidas sobre ser aroace

Por causa da falta de conhecimento sobre a vivência aroace, é comum que muitas pessoas tenham diversas dúvidas sobre o assunto. Verônica conta que “para além de outres amigues da comunidade aroace, nunca conversei com alguém que tivesse um conhecimento vasto sobre a assexualidade e que não tivesse dúvidas”. Por isso, confira as principais delas:

A assexualidade é uma disfunção hormonal/psicológica?

Verônica Helena do Padro Vital (VV): De forma alguma, a assexualidade não é uma disfunção em nenhum aspecto e ponto.

Assexuais podem fazer sexo?

VV: Há uma confusão sobre a definição de assexualidade, as pessoas comumente não diferem atração sexual de desejo, libido e da própria vontade ou gosto pelo ato sexual. Então sim, elas podem fazer, porque existe um espectro dentro da assexualidade.

Publicidade

É possível ser aroace e pan?

VV: Sim, é possível. Algumas pessoas no espectro arromantico e assexual ainda podem sentir atração sexual ou romântica. Dessa forma, quem é aroace pode ter uma orientação sexual e/ou romântica paralela gênero-guiada que indica por quais gêneros nós nos atraímos sexualmente ou romanticamente nos casos em que o fazemos. Em resumo, um aroace pode também ser pansexual, panromantico ou outras orientações.

Uma pessoa aroace pode namorar?

VV: Sim. Inclusive eu estou namorando nesse momento. E até consigo entender o porquê de essa ser uma das dúvidas mais comuns entre as pessoas. Basta pensarmos que nenhum namoro, nem mesmo os entre allosexuais, é igual a outro. Cada relacionamento é único e construído a maneira das pessoas que o constituem. Da mesma forma acontece para pessoas aroaces. A existência de atração sexual e/ou atração romântica não é pré-requisito obrigatório para o namoro, essa é uma visão limitante acerca do que se configura um relacionamento e de quais podem ser as motivações para que duas pessoas decidam compartilhar sua vida um com o outro. Isso sem levar em consideração a diversidade de vivências dentro do espectro que possuem características muito individuais.

Orientações dentro da área cinza assexual não seriam traços de personalidade?

VV: Essa pergunta mostra um desconhecimento tanto sobre o conceito de traço de personalidade quanto sobre o espectro da assexualidade em si. Por isso, uma coisa não tem nada a ver com a outra.

Essas são algumas das principais dúvidas que as pessoas costumam ter por desconhecerem o espectro aroace.

Vídeos e relatos sobre a aroace

Quer saber mais sobre o assunto? Confira essa seleção de vídeos com relatos de pessoas no espectro arromantico e assexual, para conhecer melhor como o espectro é diverso e que cada pessoa tem sua própria experiência:

O espectro assexual

Esse é um ótimo vídeo introdutório para apresentar o espectro assexual. Nele você aprende de forma simples e rápida sobre o que é assexualidade.

Ace e aro são identidades independentes

Nesse vídeo, Mayra Sigwalt convida a escritora e tradutora Laura Pohl para falar sobre arromanticidade. Esse vídeo é ótimo para entender como a atração sexual e a atração romântica são dois sentimentos independentes que podem ou não estar relacionados. Elas também conversam sobre personagens no espectro ace em obras de ficção.

Representatividade assexual

Nesse outro vídeo, Bárbara Morais se junta a Mayra Sigwalt novamente para indicar livros com personagens assexuais. Ler sobre a experiência de pessoas assexuais é uma ótima forma de entender melhor a assexualidade. Além disso, é importante consumir esses conteúdos para as mídias compreenderem que este é um tema importante.

Será que sou assexual?

Esse vídeo apresenta diversos sentimentos que costumam ser comuns para pessoas assexuais. Ele pode ser bem informativo para quem está se descobrindo assexual ou está em dúvida se pode ser assexual. Lembrando sempre que nada é regra, e só você pode nomear sua sexualidade.

Agora que você já conhece um pouco mais da assexualidade e da arromânticidade, confira também essa matéria sobre gênero-fluido para apreender mais sobre as identidades LGBTQIA+ e combater o preconceito.